Promessas desleais às Associações

 A CMS tem disponibilizado de forma regular verba financeira às associações do nosso concelho, cujos gestos levam-nos quase a acreditar que este órgão está realmente interessado no crescimento e desenvolvimento das atividades locais. Porém esta atitude não passa de mera intenção, pois é assim que a CDU vai conseguindo obter votos, controlando as associações, calando-as com promessas de concessão dinheiro do povo.

Nos encontros festivos dessas associações acalentam e alimentam o ego das Direções das associações, mantendo um discurso efusivo de solidariedade para com os mais desprotegidos. Paralelamente, aproveitam para elevar o trabalho do executivo CDU,  pelo conhecimento dos problemas que estas entidades enfrentam diariamente, demonstrando uma postura compreensiva e preocupante porque “tudo farão para ajudar”, proclamam juras com dígitos substanciais para silenciar as vozes e ficam a aguardar os aplausos de quem já acreditou. Para terminar,  ainda expressam que “só não fazem mais,  porque o estado não deixa”.    

Existe um provérbio que aclara, que “a mentira tem pernas curtas”, porque sabemos que ela não costuma ir muito longe, e mais cedo ou mais tarde, acaba por ser desmascarada. Vejamos algumas dessas adulterinas promessas, pelo executivo da CDU:

- O novo Lar de Idosos da Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Seixal (AURPIS), construído ao abrigo do Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES), cujo projecto engloba as respostas sociais de Centro de Dia, Apoio Domiciliário e Creche, disponibilizou 1,08 milhões de euros. Sendo que a CMS comprometeu-se apoiando a sua construção mediante protocolo, no valor de 300 mil euros até final do ao 2011, cuja verba não foi disponibilizada até à presente data, estando a instituição a pagar juros de empréstimo. O Estado cumpriu com o pagamento integral da verba.   

- A Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos da Torre da Marinha (AURPITM) também aguarda pelo financiamento, há anos prometido pelo executivo. A Instituição funciona numas instalações cedidas pela autarquia, cujo edifício de dois pisos carece de obras de adaptação e ampliação, custeadas em 134 mil euros. A Instituição disponibiliza 15 mil euros, o estado concede 39 mil euros com candidatura aprovada MASES/2008 e estabelecido Protocolo de compromisso e obrigação em 01/09/2009, valido pelo prazo de 24 meses. Não obstante, as diligências efetuadas por esta entidade, no sentido de solicitar por duas vezes consecutivas, a prorrogação do prazo definido pelo MASES, incorrendo o risco de perder essa verba, a remodelação do edifício não foi, até à data, concretizada pela autarquia.

- Em Outubro de 2009 (dois dias antes das eleições autárquicas), o executivo terminou o ciclo eleitoral na Associação Reformados Pensionistas e Idosos de Fernão Ferro (ARPIFF), assumindo publicamente e por declaração escrita, o custo total das obras de ampliação das instalações, orçadas em cerca de 460 mil euros, caso o estado não viabilizasse a comparticipação. Até à presente data, a CMS apenas comparticipou com 100 mil euros, não estando previsto outro apoio económico por parte deste órgão.   

Em suma, constata-se que efetivamente que este executivo camarário da CDU,  não cumpre com os seus compromissos, revela uma atitude de desresponsabilização atribuindo culpas à atual circunstância financeira que rompe o nosso país, para justificar a sua fraca gestão autárquica. Muito dificilmente, este órgão conseguirá levar a cabo os seus compromissos,  pois as contas da autarquia se apresentam descontroladas,  dividas e compromissos financeiros insustentáveis, um município estrangulado e manietado, são as causas mais que evidentes para que tal não aconteça em tempo real.


Elisabete Adrião

1 comentário:

Google