Manifesto de candidatura a Presidente da Comissão Política Concelhia do PS Seixal


Todos nós, Socialistas, lutamos há muito por uma sociedade mais justa, igualitária e fraterna.
Foi esse o ideal da Revolução Francesa de 1789, dos Republicanos Portugueses em 1910 e dos Capitães de Abril em 1974.
É esse o nosso ideal e será esse o ideal de todos os socialistas no futuro, até que uma sociedade de bem estar para todos seja uma realidade.
Temos razões para estar orgulhosos do que conseguimos.
O estado de direito social assegura o apoio aos mais necessitados, a educação universal, o sistema nacional de saúde, e esses são os pilares duma sociedade mais justa e segura.
Não podemos, no entanto, deixar de aspirar a ser, como sempre, uma força de transformação.
Fizemo-lo no passado e podemos continuar a fazê-lo no século XXI na nossa terra.
É uma questão de escolha política.
O nosso partido representa a liberdade, igualdade, solidariedade social e ambiental e a justiça.
Os nossos valores fundamentais são universais, estão interligados e a sua verdadeira expressão requer democracia.
Nós lutamos por liberdade na sociedade, em oposição à liberdade da sociedade à custa do individuo; lutamos pela igualdade, não pelo igualitarismo, lutamos pela solidariedade, em oposição à caridade e pela justiça social e ambiental, dizendo não à piedade.
Juntos, os nossos valores formam a nossa bússola moral com a qual lutamos para construir sociedades progressistas e de progresso. Estas são as sociedades em que as pessoas não lutam umas contra as outras, mas em que trabalham juntas para o benefício de todos.
Aspiramos a um modelo de sociedade em que cada pessoa é capaz de criar as condições da sua emancipação nos mais diferentes níveis, uma sociedade de confiança, próspera e que cuida dos seus recursos naturais.
É verdade que hoje, os nossos valores são questionados permanentemente por uma sociedade globalizada, que nos solicita permanentemente tanto a nível material como comunicacional, criando uma falsa ideia de felicidade que, na realidade, se traduz em perda de qualidade de vida.
É legitimo concluir que as sociedades e os atores políticos subestimaram o poder económico, o que fez com que os mercados financeiros ganhassem um poder imenso sobre o poder democrático. Mas estas forças não servem os interesses comuns, apenas os de uns poucos privilegiados.
A ânsia de lucros fáceis, regras pouco claras e reguladores frouxos provocaram a pior crise dos últimos oitenta anos. No entanto as forças conservadoras continuam a trabalhar para preservar o sistema como ele é, cimentando as desigualdades.
Mas apesar de tudo, não contem connosco, Socialistas, para pessimismos. Nós não abandonamos as pessoas nem as comunidades para com isso ganhar bolsas de descontentamento e capitalizar votos, não é essa a nossa forma de estar.
Em vez disso, trabalhamos para que  o futuro as nossas comunidades e a nossa sociedade seja um lugar melhor para todos, para isso entendemos que:

1. Uma sociedade democrática significa que o poder democrático prevalece em todas as áreas da vida. Isso representa que os cidadãos são capazes de decidir, não apenas que são livres para escolher. A democracia deve ser pluralista, verdadeiramente representativa da diversidade da sociedade e permitir que todos participem. Para isso é necessária a existência de meios de comunicação independentes e que os mesmos meios sejam postos à disposição das diferentes mensagens políticas.  A liberdade de expressão que existe no mundo físico também deve existir na comunicação social e no mundo virtual.
2. O poder democrático exige uma forte autoridade pública a nível local, regional, nacional e até a nível europeu. Essa autoridade deve preservar o bem público, garantir o interesse comum e promover a justiça e a solidariedade. A autoridade pública deve ser exercida de acordo com princípios da boa governação, do Estado de direito e da prestação de contas. Necessitamos de bons políticos, Leis claras e exequíveis em tempo útil e de reguladores eficazes.
3. O trabalho e o direito ao emprego são um dos pilares fundamentais do desenvolvimento humano e por conseguinte das sociedades. O trabalho é a nossa chave para permitir que as pessoas sejam os obreiros do seu futuro, desenvolvendo um sentimento de pertença e de orgulho na sociedade em que se inserem.
4. Uma sociedade baseada nos nossos valores, criará uma nova economia capaz de incorporá-los. A riqueza será criada com sustentabilidade e respeito pela dignidade humana, promovendo o progresso social e bem estar.
5. Sustentabilidade significa solidariedade duradoura e justiça para o futuro. Ela protege o planeta e as gerações vindouras contra a visão de curto prazo. Sustentabilidade significa preservar o planeta, proteger os idosos e investir na juventude para garantir a solidariedade intergeracional que deve ser também, por si só, um valor a preservar.
6. Uma sociedade forte e justa é aquela que respira confiança e inspira segurança. Para garantir a confiança temos de assegurar que a riqueza gerada por todos é partilhada de forma justa. Uma sociedade livre, justa e pacífica é aquela em que as pessoas se sentem seguras em qualquer situação do seu dia-a-dia.
7. Uma sociedade Socialista é inclusiva. Uma sociedade inclusiva abraça a sua diversidade. Isto significa a mesma dignidade e liberdade para todos os homens e mulheres e significa igualdade de acesso à educação, cultura e serviços públicos. Lutamos por uma sociedade que reconhece a igualdade de género no legado completo do movimento feminista. Queremos uma sociedade em que mulheres e homens sejam iguais no mercado de trabalho e que repartam o seu papel social nos domínios público e privado.

Queremos moldar o futuro para que possamos recuperar o controle das nossas vidas dentro dos valores que nos norteam.
Este é o meu manifesto de candidatura à Comissão Política Concelhia do Seixal do PS, espero poder contar com o seu apoio.


2 comentários:

José Geraldes disse...

Parabéns! Produziste o que eu chamo um bom Manifesto ideológico e não programático.E fizeste bem, na exacta medida em que são os princípios que dão corpo às ideias e não o contrário. Ideias e propostas não te faltam, (não nos faltam). Quem te conhece e está atento à tua intervenção política, sabe que sempre as defendeste e continuarás a defender, no dia a dia. É preciso que estejamos atentos, intervenientes e preocupados com a nossa casa, o Concelho do Seixal, mas isso não significa que tenhamos de ser caseiros. O Manifesto está lançado, importa conseguir a vitória dos princípios. Quanto às ideias, importa actualizá-las, burilá-las e passar à sua defesa na praça pública. Este é o método, este é o caminho. Conta comigo!

César Gonçalves disse...

Gosto de quase tudo que diz mas, não sei se na prática as suas ideias vão para a frente o PS nos últimos anos deu uma grande volta, resumindo gostei do seu manifesto, é verdade que interessa mais aos militantes do PS mas da minha parte é só uma pequena opinião porque sou seu Amigo, por isso espero que os militantes do PS acreditem em si e votem no seu projeto político, pedindo desculpas por me meter num assunto que só diz respeito aos socialistas de setúbal um abraço de César Gonçalves.

Google