DECISÃO DA ERC “FERE DE MORTE O JORNAL DO REGIME”

Estima-se que desde que foi criado o Boletim Municipal do Seixal tenha já custado ao erário municipal um montante superior a €. 20.000.000,00 (vinte milhões de euros), quatro milhões de contos.
Com esta verba gerida em prol das populações estariam já construídos uma média de oito equipamentos colectivos, nomeadamente, escolas, piscinas municipais, pavilhões desportivos, cemitérios, parques de lazer, mercados municipais, centros de acolhimento e apoio à terceira idade ou a reconversão das zonas ribeirinhas da Amora e Seixal. Mas, para que o regime comunista não “caísse” no concelho do Seixal, era necessário alicerçá-lo, à boa maneira soviética, com um órgão de propaganda que tinha e tem por objectivo camuflar as fragilidades de quem governa; onde tudo tem sido permitido, desde o sindicalismo partidário, à defesa dos valores de regimes obsoletos, caducos e acima de tudo ditatoriais, onde se esmaga pela força a liberdade de pensamento e acção.

Por participação do Vereador Socialista, Samuel Cruz, a ERC foi chamada a pronunciar-se sobre os conteúdos do Boletim Municipal e concluiu que há falta de pluralismo democrático, instando a Câmara Municipal do Seixal a pugnar por uma maior abertura às diferentes forças políticas que intervêm na vida pública da autarquia promovendo a participação das sensibilidades políticas (oposição) em todos os meios de comunicação autárquicos, designadamente no Boletim Municipal.

Instada a pronunciar-se pelos diversos órgãos de comunicação social sobre a deliberação, a Câmara Municipal, prefere remeter-se ao silêncio e dizer que desconhece a deliberação.

Podem os mais altos responsáveis da Câmara Municipal remeterem-se aos mais tacanhos silêncios, mas não vão poder ignorar que o órgão regulador da comunicação social que pugna pela liberdade de expressão, como pedra basilar da democracia, reconheceu que no concelho do Seixal, gerido pelo partido comunista, há deficit democrático e aconselha que seja corrigido.

Vamos, no futuro próximo, assistir a manobras editoriais com vista a apagar os efeitos da deliberação, mas conhecendo-lhes o gene, não temos dúvidas que a deliberação não vai ser cumprida; porém ninguém ignora que esta deliberação deu uma estucada de morte no jornal do regime. O tempo se vai encarregar de o demonstrar.

 A bem dos verdadeiros interesses dos munícipes do Seixal, acabe-se com a propaganda, criem-se melhores condições de vida para a população, pague-se aos fornecedores a tempo e horas e deixem que a democracia seja uma realidade no concelho.



Fonseca Gil

Vereador Socialista na Câmara Municipal do Seixal.

3 comentários:

Ponto Verde disse...

ESCANDALOSO E PORNOGRÁFICO!

Anónimo disse...

... e o que aconteceu por aqui????
Há um mês que este blog está silenciado!!!!.

Anónimo disse...

Recuse Contadores Inteligentes

É preciso que a verdade se saiba.
É que povo desinformado é povo enganado.

Google