O que faz falta é animar a malta

Escrevi num recente texto que um dos actuais problemas da CM Seixal é a falta de dinheiro. Por esta ser uma situação (infelizmente) recorrente nos dias que vivemos, carece de ser concretizada, até para se poder avaliar o tamanho do “buraco”.
A CM Seixal iniciou o ano de 2011 com uma dívida de 68 milhões e quatrocentos mil euros, divididos entre 43 milhões à banca e 25 milhões de euros a fornecedores.

Valor preocupante em especial se tivermos em conta que o orçamento de 2010 foi de 81 milhões de euros, ou seja o endividamento da CM Seixal era, no início do ano, equivalente a 84% do seu orçamento anual.

Qualquer gestor diligente, atento a estes números e à conhecida realidade do abrandamento da actividade económica do sector imobiliário (principal financiadora do município), teria iniciado medidas drásticas de contenção da despesa.

Que fez a Câmara Municipal do Seixal?

Aprovou a criação dum novo mapa de pessoal, no qual criou 52 (cinquenta e duas) novas chefias, com ordenados bem acima da média nacional e portasse como se nada se passasse, adquirindo por exemplo esculturas, sem qualquer utilidade, por vários milhares de Euros, para guardar no acervo (nome pomposo dum armazém na cave).

Pelo caminho pediu um empréstimo de mais quatro milhões de euros (o que esgotou a capacidade de endividamento do município no curto prazo – já que a capacidade de endividamento de médio e longo prazo já se encontrava excedida), e aumentou a dívida a fornecedores em mais de dez milhões de Euros!

Assim, no final do mês de Agosto, a situação financeira da CM Seixal era a seguinte: 48 (quarenta e oito milhões de Euros recebidos), o que indica que a execução orçamental deste ano dificilmente chegará aos 70 (setenta) milhões de Euros, ou seja, o valor recebido total em 2011 será idêntico à divida que transitou do ano anterior - 68 (sessenta e oito milhões de euros).

A despesa com o pessoal foi até ao final no 2.º quadrimestre de 25 milhões de euros, o que corresponderá a uma despesa total de 37,5 (trinta e sete milhões e meio de euros), uma quantia superior a 50% do orçamento, valor incompreensível dado o tipo de serviços prestados pelo município.

Em suma:

A CM Seixal em 2011 terá uma receita de 70 milhões de Euros, 15% abaixo do ano anterior.

Gastará 37,5 milhões de Euros com o pessoal, mais de 50% do seu orçamento.

E acabará o ano a dever mais de 45 milhões à banca e mais de 35 milhões a fornecedores, num total de 80 milhões de Euros.

Pelo que no final de 2011 o nível de endividamento da CM Seixal será de 115% (cento e quinze por cento), para termos uma ideia mais clara do que falamos refira-se que o mesmo indicador aplicado ao país regista um nível de endividamento na ordem dos 90%...

Publicado no Jornal Comércio do Seixal e Sesimbra

Sem comentários:

Google