O que enerva o Sr. Presidente da Câmara?

O Presidente da Câmara Municipal do Seixal, Alfredo Monteiro, anda nervoso, isso nota-se nos seus actos e atitudes.
Tal facto foi particularmente evidente na última reunião de Câmara onde, em reacção a um texto do Vereador Fonseca Gil, fez uma intervenção descabida e particularmente mal-educada, culminando num ataque de cólera a chamar-me feio, num aparte que mais não é que ridículo.

E é ridículo não porque me considere bonito mas porque entendo que tal adjectivação não tem cabimento no normal combate político.

Debrucemo-nos então sobre o que enerva Alfredo Monteiro:

O novo edifício, a “sua” obra de regime custa mais de 500.000€/mês aos depauperados cofres municipais e revelou-se uma obra faraónica desadequada às reais necessidades do município e dos seus munícipes.

Além do mais, repetidamente o Sr. Presidente da Câmara afirmou que o modelo encontrado para a construção deste edifício era exactamente o mesmo do novel Campus da Justiça em Lisboa, e sabe-se agora que o DIAP abriu um inquérito crime a este contrato por suspeitas de participação económica em negócio e de corrupção para acto ilícito, espera-se pois agora que o Ministério Público do Seixal siga idêntico caminho.

O abandono político, desde o início do Verão vários autarcas têm abandonado o projecto político da CDU/PCP no concelho: começou pelo Tesoureiro da Junta de Freguesia de Fernão Ferro, que se demitiu alegando falta de colaboração da Câmara Municipal e pouco entrosamento com o Presidente da Junta, num facto que passou despercebido a muitos mas que é bem sinal de que os tempos estão a mudar. Seguiram-se os anunciados abandonos da Presidente da Junta de Freguesia da Amora e mais recentemente do Vereador do Urbanismo, afastamentos que apesar de previsíveis não deixam de empobrecer em muito o projecto político do PCP dado as personalidades em causa.

Por outro lado também internamente as chefias do município sofreram importantes mexidas tendo-se assistido ao afastamento de todos aqueles que foram os pilares do poder comunista nos últimos trinta anos, no concelho do Seixal, neste campo ainda é cedo para fazer a avaliação mas presume-se que os saneados não terão achado piada à situação.

Outros se seguirão, a historia se encarregará de dizer quem e porquê.

A falta de dinheiro, na Câmara Municipal do Seixal nunca foi preciso gerir, fruto do crescimento urbanístico exponencial e desordenado do concelho o dinheiro abundou durante anos nos cofres do município. Com o arrefecimento do sector a Câmara Municipal, que nunca procurou outras soluções de financiamento, entrou numa situação de falência técnica. É certo que para esta situação também não é alheia a péssima gestão dos seus Recursos Humanos, com recurso a centenas de avençados “amigos” do Partido, auferindo muitas centenas de milhares de Euros mensalmente e a recente criação de 52 (sim leu bem, cinquenta e duas) novas chefias!

Ou seja, Alfredo Monteiro anda nervoso porque não só não tem dinheiro para apresentar obra neste mandato, como não o tem para satisfazer as clientelas que giram à sua volta e a ver vamos se os Euros chegam sequer para satisfazer os compromissos já assumidos.

Para já a situação é preocupante, segundo o relatório remetido à DGAL, a CM Seixal, em 30 de Junho passado, devia a fornecedores quarenta milhões de Euros e desses quarenta milhões, metade correspondia a dívidas já vencidas!

Para já o barco está-se a afundar e a tripulação nada faz para o evitar, uns já o abandonaram e outros vão-no fazer proximamente, só não sabemos se o comandante será o último a sair ou não…

E eu que não sou bonito nem feio, não tenho culpa nenhuma disso.

Sem comentários:

Google