Financiamento das funções sociais do Estado tem de ser garantido

António José Seguro reiterou ontem a sua preocupação com as questões sociais e defendeu que "em tempo de crise devem ser encontradas alternativas para garantir o financiamento das funções sociais do Estado".
Num encontro que reuniu mais de setenta sindicalistas, o candidato à liderança do PS afirmou que "ao contrário do que é defendido pelo PSD, as desigualdades sociais não são uma inevitabilidade e têm de ser combatidas", através de diferentes mecanismos como sendo as políticas salariais.

As questões sociais foram ainda discutidas do ponto de vista europeu, tendo o candidato socialista demonstrado "grande expectativa em relação ao Conselho Europeu extraordinário que se realiza amanhã", reforçando a ideia de que "a União Europeia precisa de uma convergência política e económica". "A Europa vai iniciar a discussão das perspectivas financeiras para o período 2014-2020 e uma das prioridades é que esses fundos possam não só ajudar os desequilíbrios regionais, mas também apoiar uma estratégia de crescimento económico sustentável".

Durante a iniciativa, Seguro salientou que "o PS não pode ser apenas um partido da classe média" e afirmou a sua intenção de manter um bom relacionamento com as tendências sindicalistas. "Temos de encontrar novas formas de aproximação aos trabalhadores e assegurar a representação dos seus interesses", concluiu.

“Esta geração não soma direitos à geração dos seus pais”

 “Quando olho para esta geração vejo que não soma direitos à geração dos seus pais”, lamentou hoje António José Seguro num encontro que realizou ontem com dezenas de jovens para discutir os ‘Contributos para o Novo Ciclo de Políticas de Juventude, Empreendedorismo e Emprego’.

 “Esta é a geração mais qualificada de sempre”, lembrou, sublinhando que “é necessário lidar com esta situação com politicas públicas globais complementadas por politicas mais especificas “.

Naquela que foi uma das reuniões mais abrangentes e diversificadas realizada nos últimos anos, em Portugal, sobre as políticas de juventude, o desemprego jovem foi um dos temas centrais.

“Temos de ter a ousadia de questionar os actuais modelos de organização económica e social para percebermos se existem outras alternativas ao modelo vigente”, defendeu o candidato à liderança socialista. “É necessário responder aos actuais problemas estruturais de Portugal com o olhar no horizonte”.

Seguro mostrou-se ainda muito preocupado com a intenção de o Governo reduzir as indemnizações por cessação do contrato de trabalho, considerando que esta medida “viola claramente o acordo tripartido que tinha sido definido em sede de concertação social em Março último”.

No encontro de hoje, estiveram presentes Tiago Giló (Representante do Movimento Precários Inflexíveis), João Pitta (MIT - Portugal), Rui Duarte (Vice-Presidente do Fórum Europeu da Juventude), Nuno Laurentino (Ex. Atleta Olímpico de Natação), Mauro Silva (Presidente da Associação Nacional de Jovens Imigrantes), Ludgero Teixeira (Presidente da Rede de Jovens da Diáspora Africana na Europa e Embaixador da AIJ), Dynka Amorim (ONG / Intervenção Social Comunitária), Alexandre Sousa Carvalho (representante do Movimento 12 de Março), Rafael Guimarães (Presidente da Federação Nacional de Associações de Estudantes do Ensino Politécnico), Pedro Alves (líder da JS), entre muitos outros jovens de todos os sectores do panorama português.



António José Seguro no Barreiro e em Almada

António José Seguro esteve ontem no Barreiro (que incluiu uma visita à secção do PS do Lavradio) e em Almada para debater com os militantes e simpatizantes socialistas as suas ideias para O Novo Ciclo.

Durante os encontros, Seguro apontou o combate à corrupção como uma das suas prioridades e assumiu total disponibilidade para “trabalhar com todos os partidos políticos com o objectivo de encontrar alternativas eficazes para combater este problema.”

No que respeita à actual crise económica, o candidato à liderança do Partido Socialista defendeu que “a Europa deve retomar o seu projecto solidário e adoptar medidas conjuntas claras para resolver os problemas dos Estados.

“Tenho grandes expectativas em relação às conclusões do Conselho Europeu extraordinário de amanhã”, exclamou.

 “Amanhã a União Europeia tem a possibilidade de tomar decisões. Tem a possibilidade de criar uma agência de notação europeia, de definir uma política de eurobonds, e, a prazo, tem a possibilidade de dotar o seu orçamento de mais recursos financeiros”, sublinhou o candidato socialista.

 Nos debates com os militantes, António José Seguro respondeu a todas as questões da plateia, reafirmando que “as pessoas são o centro da minha acção política”, e que “o PS existe para resolver os problemas das pessoas”.  

Sem comentários:

Google