Perto, barato e bom

A maioria comunista no Seixal, através de todos os meios à sua disposição, em especial através da sua máquina de propaganda paga com o dinheiro de todos nós, constatemente exige mais e mais investimento do Governo Central no município. Esta atitude corresponde a uma estratégia clara e tem por objectivo ocultar as necessidades diárias da população, às quais a Câmara não consegue fazer frente apesar de serem da sua responsabilidade. esta estratégia tem especial relevo no que toca a saúde e à educação.
O Governo, e bem, vai investindo mas procura racionalizar a implantação destes equipamentos. O esforço vai no sentido de acompanhar os movimentos demográficos e tem em conta a melhoria e aumento de rapidez dos meios de transporte.
Note-se que a questão sendo também económica, nem o é predominantemente, do que estamos aqui a falar é de qualidade.
Não basta que os equipamentos existam, o investimento em betão é relativamente simples, para que exista qualidade é necessário que existam pessoas, e que estas sejam suficientemente qualificadas.
Abaixo de determinados mínimos críticos, aquilo a que continuamos a chamar escola não ensina e o que insistimos em designar centro de saúde não cuida da nossa saúde.
Não consigo entender que determinados autarcas, no período difícil em que vivemos, persistam na busca fácil de votos a insistindo nesse atavismo que tão mau resultado tem dado.  

Sem comentários:

Google