Esta gente é perigosa


No âmbito das comemorações da Revolução Republicana promoveu a Câmara Municipal do Seixal (CMS) uma palestra sobre o tema.
À falta de interessados (o que não admira tendo em conta o que vou descrever a seguir) foram “arrastados” para o local várias centenas de alunos das escolas do concelho.
O primeiro orador foi Aurélio Santos da União dos Resistentes Antifascistas Portugueses, eu devia ter desconfiado que este não era propriamente um especialista na Revolução do 5 de Outubro mas com o meu infinito optimismo dei o benefício da dúvida…
Em má hora o fiz, o chorrilho de disparates foi tanto e de tal quilate que já não ouvi mais ninguém e certamente teriam coisas bem mais interessantes e de certeza mais acertadas para dizer.
Ora vamos lá a ver a coisa foi mais ao menos assim, segundo o Sr. Santos:
O 5 de Outubro não teve a intervenção de ninguém a não ser do Povo anónimo, Maçonaria e Carbonária nem uma palavra, Partidos uma bagunça e os militares fugiram todos.
Aliás aquilo nem era uma República porque as mulheres não podiam votar e os analfabetos também não, ou seja, contextualização histórica – zero.
Mas o melhor ainda estava para vir: a teoria do iceberg. O que deu verdadeiramente cabo da 1.ª República, sempre segundo o Sr. Santos, foi o grande capital (sempre ele) que comunado com as forças da reacção (a ponta do iceberg) conspirou para o derrube do regime e o arrastou para a 1.ª Guerra para dividir entre si os despojos das colónias.
Continuou o Sr. Santos o seu delírio afirmando que tal como a Alemanha também Portugal teve os seus campos de concentração, com a única diferença que por cá ao invés de câmaras de gás existiam uns mosquitos que faziam o trabalho ao picar as pessoas, vindo estas, posteriormente, a morrer (não nos esqueçamos que se falava para crianças entre 12 e 16 anos). Eu conheço o Tarrafal e conheço Auschvitz-Binkernau comparar as duas coisas é grosseiro!
Terminou o ilustre orador afirmando que não se deveria comemorar o centenário da República, pois esta tinha estado interrompida durante a longa noite do fascismo…
E termino eu perguntando quem é que se lembrou de convidar um orador para comemorar o centenário da República que não sabe a diferença entre República e Democracia?

2 comentários:

António Cardoso disse...

“1º GRANDE NOITE DE FADOS” – SILÊNCIO que se vai cantar…

16 DE OUTUBRO, 20H, RESTAURANTE PIC-NIC, PINHAL DO GENERAL

UM EVENTO, PROJECTO “VIVER PINHAL DO GENERAL”

FAÇA A SUA RESERVA EM
www.viverpinhaldogeneral.blogspot.com

D+ PELO PINHAL DO GENERAL!

Anónimo disse...

Uma vergonha!!!

Por falar em Escolas, para quando a contrução da EB1 de Santa Marta do Pinhal?
A zona das tabuletas...
Tabuleta da nova Escola, do novo Centro de Saúde, do Quartel dos Bombeiros e do Posto da PSP

Google