Carta aberta aos colaboradores da CMS

Caro(a) Colaborador(a) da CMS,

No passado dia 13 a CMS deu um passo decisivo na sua modernização, transferindo todos os seus serviços centrais para um único e moderno edifício.
É conhecida a nossa oposição ao modelo de negócio encontrado para construir este imóvel que, sem acautelar as mais básicas regras da concorrência, nos condena a pagar uma renda mensal que ultrapassa os 200.000€ (duzentos mil euros).
No entanto, neste momento esta é uma realidade consolidada pelo que aguardamos que, ultrapassados alguns exageros iniciais, se encontre o ponto de equilíbrio necessário para que todos possam circular e sentir-se confortáveis no seu novo local de trabalho.
Desejamos também que o esforço financeiro realizado com a construção não inviabilize o investimento necessário na criação de condições de trabalho para todos vós, nomeadamente no que respeita à higiene e segurança no trabalho, meios de comunicação e equipamentos informáticos.
Por último esperamos que esta modernização se estenda uniformemente por todos, e em especial às suas mentalidades, que o novo edifício traga um claro clima de fraternidade e igualdade, com uma maior liberdade, acompanhando os sinais do tempo.
É que uma das condições do sucesso duma organização é que todos possam exprimir-se livremente, e que a informação flua rápida e naturalmente horizontal e verticalmente.
Porque está marcada uma greve para a próxima segunda-feira, e a greve é um direito, não uma obrigação, esperamos que o tempo da intimidação e do abuso dos selos nas portas tenha também terminado.
A bem da verdade e do rigor se desejar trabalhar saiba que é tão responsável pelas instalações como em qualquer outro dia e que ninguém o pode importunar se for esse o seu desejo, a única função do piquete é informar, desejamos que a cumpra.
Obrigado pela atenção dispensada e à sua disposição para o que entender, somos os,

Vereadores Socialistas na CMS

A arte de dizer uma coisa e o seu contrário sem que os outros percebam não é política

Como já é publico apoio o candidato Luís Ferreira para presidente da federação distrital de Setúbal do PS, esta é a minha declaração de interesses.
Tal decisão muito se deve a pensar que a politica deve ser rejuvenescia, de caras, porque não? Mas principalmente no modo da fazer.
Vem isto a propósito da entrevista que, o também candidato Vítor Ramalho, dá esta semana ao jornal do Seixal e que pode consultar aqui.
Diz, a determinado momento, Vítor Ramalho enaltecendo os investimentos do Governo no distrito : “O projecto do arco ribeirinho Sul, que é uma obra de grande envergadura e que irá permitir requalificar a zona ribeirinha de vários concelhos.”
Até aqui tudo bem, não fora mais à frente, na mesma entrevista, afirmar também Vítor Ramalho: “Agora há uma quebra significativa na procura na construção, há casas a mais, ninguém compra, por isso queixam-se. Foi por isso que eu me opus a que fossem desafectados à Siderurgia Nacional mais uma vasta área para a construção no Seixal. Muita gente criticou-me na altura mas agora – tarde – reconhecem que tinha razão.”
A este propósito impõem-se dois esclarecimentos, primeiro que dos 7 eleitos do PS que votaram a favor do projecto ainda nenhum assumiu, que me conste, que mudou de opinião. Quanto aos três que votaram na altura contra já o mesmo não se pode dizer.
Segundo, e mais importante, relembre-se que o projecto do Arco Ribeirinho Sul e o projecto da Siderurgia são, no que ao Seixal diz respeito, exactamente a mesma coisa!
Ora é justamente contra esta forma, ultrapassada e que tanta má imagem tem trazido aos políticos que me rebelo, como é possível numa mesma entrevista, afirmar uma coisa e o seu contrário?
Ou o projecto do Arco Ribeirinho Sul é bom ou não é. Agora não podemos é pelo simples facto de lhe mudar o nome mudar também a nossa opinião.
Por fim gostava de deixar uma questão em aberto, na área da siderurgia nacional 20% do território destina-se a habitação, estando previstos para o local prédios de três andares no máximo. Os restantes 80% do território ocupado pela ex-siderurgia nacional destinam-se à ocupação industrial. Algumas vozes Socialistas, poucas, mostram-se contra este projecto. Já para o espaço da antiga Lisnave está previsto uma ocupação a 100% com habitação e serviços, em construção em altura e ainda não ouvi uma única voz em sentido contrário…

11 de Setembro

Chega com quase uma semana de atraso mas ainda não é tarde para aqui transcrever o sms que mão amiga me enviou no passado dia 11.

"Faz hoje anos que o Quarto Cavaleiro do Apocalipse saiu à rua cavalgando desabridamente a ignominia. Primeiro em Santiago do Chile (chove sempre em Santiago a 11 de Setembro) quando os que se diziam paladinos da democracia a mataram, quando “mataram” Allende e muitos, muitos mais cuja culpa era existirem. Depois (que ironia) em Nova Iorque quando a besta louca do fanatismo falou mais alto (deus me livre dos que matam em seu nome) e mudou o mundo para pior, matando em nome de um deus (necessariamente menor) que, estou certo, é, na sua essência, bom…
Hoje, 11 de Setembro, chove sempre em Santiago e Nova Iorque."

Uns fazem outros falam…

Já muitas vezes afirmei que a Câmara Municipal do Seixal (CMS) faz do embuste a sua arma de combate político. Na realidade, através duma aprimorada (e cara) máquina de propaganda a CMS quer-nos fazer crer que tudo o que de bom se faz no Seixal é da sua responsabilidade e que tudo o que falta fazer é da responsabilidade do Governo Central.
Vem isto a propósito do último número da revista Metrópoles (revista da área metropolitana de Lisboa) que escolheu como tema de capa: Mobilidade e Transportes na Área Metropolitana de Lisboa.
Vários municípios foram convidados a participar, a Câmara Municipal de Almada fala-nos do novo Flexibus (miniautocarros eléctricos destinados a circular nas áreas antigas) que foram inaugurados com um mês de utilização gratuita. A Câmara do Barreiro traz-nos sete projectos diferentes na área da mobilidade de que destaco a rede de percursos cicláveis e o projecto linha Azul (uma espécie de táxi colectivo mas com horário e percurso fixos).
A Câmara de Lisboa mostra-nos os projectos Lisboa porta-a-porta (transporte gratuito para pessoas com deficiência e crianças) e o projecto Pedibus, que cria percursos pedonais de acesso às escolas.
A Câmara de Loures por sua vez destaca o projecto rodinhas (mini-bus que fazem a articulação intermodal e asseguram as deslocações de proximidade) e também o projecto a pé para a escola.
Também com as características de servir as populações sénior e jovem nas suas deslocações, em especial nas zonas antigas (retirando daí o automóvel) e assegurar o acesso aos equipamentos de utilização colectiva surge-nos o projecto linha azul da Câmara de Odivelas.
Já com o objectivo expresso de complementar a oferta de transporte colectivo existente foi criado em Oeiras o Oeiras Combus, projecto que a Câmara de Oeiras destaca.
Por fim a Câmara do Seixal, pela voz do seu Vereador Joaquim Santos, não nos fala de nenhum projecto (até porque não os tem), mas brinda-nos com a sua foto (caso único na revista) e um artigo sob o título: O passe social deve ser alargado a todos os operadores da AML e não limitar-se às deslocações pendulares casa/trabalho.

SOBRE A INAUGURAÇÃO DO NOVO EDÍFICIO DOS SERVIÇOS CENTRAIS DA CÂMARA MUNICIPAL DO SEIXAL

Nos últimos dias, têm vindo a ser publicadas na imprensa, várias notícias acerca da futura inauguração do novo edifício dos serviços centrais da Câmara Municipal do Seixal.
Para além do destaque à inegável melhoria do serviço público prestado, que acontece com pelo menos 20 anos de atraso, cumpre efectuar algumas precisões ao que tem vindo a ser escrito, a bem da verdade dos factos.
Na realidade o investimento efectuado é da ordem dos trinta milhões de euros mas efectuado pela sociedade privada que construiu o imóvel, ou seja, de investimento público neste projecto existe zero!
Na realidade neste momento se a CMS desejasse adquirir o edifício teria de pagar não trinta mas sim trinta e seis milhões de Euros!
Quanto ao valor da renda a pagar relembre-se que aquando da aprovação deste projecto se falava em 150.000€ mensais mas que neste momento esse valor já ascende a mais de 200.000€ mês.
Mas mais, ao contrário do que já foi escrito este contrato incluiu uma opção de compra sim, mas sem que o valor das rendas já pagas seja deduzido ao valor de aquisição, o que como se sabe contraria a prática comum.
É por isso aliás que o PS tem vindo a afirmar que este contrato põe em causa o princípio de solidariedade inter-geracional que deve presidir à boa gestão das finanças públicas.
E é também pela grandeza dos números envolvidos que o PS estranha que não tenha existido um concurso público internacional para a construção deste edifício, antes se optando pela negociação directa com uma única entidade.
Registe-se ainda que é lamentável que por erro do projecto inicial, que não previa estacionamento no local, se tenha posteriormente optado pela construção dum parque de estacionamento nas traseiras do edifício, o que obrigará os utentes do mesmo ao um longo “passeio” à volta do mesmo, sem que disponham de qualquer abrigo.
Uma última palavra para o Sr. Presidente da Câmara, que afirmou que este não é um edifício luxuoso mas sim sóbrio e bonito, não deixa de ser irónica, e diria até afrontosa tendo o momento de crise que se vive, a aquisição duma única tapeçaria, por mais de cem mil euros, para decorar o salão nobre.

Luís Ferreira no Seixal, Quinta-feira, 21h, Pavilhão do Alto do Moinho

Estimado(a) camarada,

No próximo mês de Outubro, os militantes socialistas do distrito vão ser chamados a escolher os dirigentes federativos para o próximo biénio, numa decisão que assume uma particular importância devido à conjuntura política e social que nos encontramos a atravessar. Face aos resultados globalmente decepcionantes registados nas últimas autárquicas, estas eleições internas representam, de igual modo, uma oportunidade única para começarmos a inverter o ciclo de hegemonia do PCP que, ao longo das últimas décadas, se tem revelado prejudicial para as aspirações desta região.
Candidato-me a Presidente da Federação com um programa que visa a modernização do Partido, suportado por uma equipa que nos dá garantias sólidas de sucesso no trabalho que pretendemos desenvolver. Acreditamos que é possível mudar de rumo e imprimir uma nova dinâmica que, a médio prazo, nos afirme como a principal força partidária do Distrito.
Para que tal aconteça, é indispensável que se comece a construir um modelo de desenvolvimento económico e social que nos permita contrariar a tendência que tem transformado muitas das nossas cidades em subúrbios indiferenciados. No domínio do ordenamento do território, da democracia participativa ou da criação de novos pólos de investimento, o PS tem que ser capaz de apresentar propostas alternativas e inovadoras.
No caso concreto do Seixal, a Federação deve também procurar contribuir para a resolução de muitos dos problemas que têm vindo a dificultar a afirmação do projecto do PS. Neste domínio, temos que ser claros. A escolha dos candidatos às últimas legislativas foi altamente prejudicial para as expectativas da população residente naquele que já o maior concelho da Península de Setúbal. Não é compreensível que se tenha instalado no Seixal um défice de representatividade que, em matérias tão importantes como a construção do novo hospital ou a estruturação da rede viária, não permite que os reais interesses dos seus habitantes sejam devidamente acautelados. Connosco, esta situação vai ter mesmo que mudar.
No dia 9 de Setembro, pelas 21h30, vou estar no Pavilhão Municipal do Alto do Moinho, em Corroios, para apresentar, conjuntamente com o mandatário da candidatura José Manuel Torres Couto e o camarada Samuel Cruz, a moção “Afirmar o Futuro”.
Juntos, vamos voltar a acreditar na vitória.
Aceite as minhas saudações socialistas,

Luís Ferreira

Os trabalhos do operário Lula

Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores; que não entende de economia, pagou as contas de FHC, zerou a dívida com o FMI e ainda empresta algum aos ricos.

Lula, o "analfabeto", que não entende de educação, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos, e ainda criou o PRÓ-UNI, que leva o filho do pobre à universidade.
Lula, que não entende de finanças nem de contas públicas, elevou o salário mínimo de 64 para mais de 200 dólares e não quebrou a previdência como queria FHC.
Lula, que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo.
Embora o PIG - Partido da Imprensa Golpista, que entende de tudo, diga que não.
Lula, que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o país à liderança mundial de combustíveis renováveis.
Lula, que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a ser respeitado e enterrou o G-8.
Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu, mandou às favas a ALCA, olhou para os parceiros do sul, especialmente para os vizinhos da América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser imperialista.. Tem fácil trânsito junto a Chaves, Fidel, Obama, Evo etc. Bobo que é, cedeu a tudo e a todos .
Lula, que não entende de mulher nem de negro,
colocou o primeiro negro no Supremo (desmoralizado por brancos), uma mulher no cargo de primeira ministra, e pode fazê-la sua sucessora.
Lula, que não entende de etiqueta, sentou - se ao lado da rainha e afrontou nossa fidalguia branca de lentes azuis.
Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de Keynes, criou o PAC, antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora de o Estado investir, e hoje o PAC é um amortecedor da crise.
Lula, que não entende de crise, mandou baixar o IPI e levou a indústria automobilística a bater recorde no trimestre.
Lula, que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais, é respeitado e citado entre as pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual.
Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha empatia e relação dire C ta com Bush - notada até pela imprensa americana - e agora tem a mesma empatia com Obama.
Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador, é amigo do tal John Sweeny e entra na Casa Branca com credencial de negociador, lá, nos "States".
Lula, que não entende de geografia, pois não sabe interpretar um mapa, é ator da mudança geopolítica das Américas.
Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal.
Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas, faz história e será lembrado por um grande legado, dentro e fora do Brasil.
Lula, que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos palestinos para dialogar com Israel.
Lula, que não entende nada de nada, é melhor que todos os outros.
Alem de receber o premio de estadista GLOBAL

As contas que o Presidente da CMS não sabe fazer

Repetidas vezes os responsáveis da CMS afirmam que no Seixal e em Setúbal não existe investimento do Governo. Esta afirmação só se pode dever a um desconhecimento crasso ou a notória má-fé. Aqui fica um exemplo:

EP (Estradas de Portugal) Investe 11 milhões na conservação da Rede Rodoviária do distrito de Setúbal

A Estradas de Portugal assinou no passado dia 4 de Agosto com a empresa INTEVIAL, S.A., o Contrato de Conservação Corrente para o triénio 2010 – 2013 no valor de 11 milhões de euros.
Este contrato visa a realização de trabalhos de manutenção e conservação dos cerca de 800 quilómetros de vias e das 332 pontes, viadutos e outras travessias que constituem a rede rodoviária a cargo da Estradas de Portugal no distrito de Setúbal

Uma mentira repetida muitas vezes

Uma mentira repetida muitas vezes torna-se verdade, diz o Povo e com razão.
Vem isto a propósito de ter ouvido várias vezes nos últimos tempos, dizer que o Estado cortou 25% nas receitas das autarquias.
Uma dessas vezes o dislate foi mesmo proferido por um funcionário da JF da Arrentela, perante uma utente que reclamava por pagar uma certidão que antes não se pagava, tentando justificar o facto.
Outra vez foi uma colega minha Vereadora que o "sussurrou" durante a reunião de Câmara.
Confesso que lido mal com a mentira e perante tal insistência e convicção dos boateiros, supus mesmo que me tivesse passado algum facto ao lado!
Aproveitei então a presença do responsável financeiro do município na sessão de Câmara para o questionar, que sim, no âmbito do PEC existiram cortes no orçamento municipal, cortes esses que não chegam ao um por cento.
Ora de menos de um por cento para 25% vai uma diferença de 24 pontos, só me ocorre dizer uma coisa:
QUE GRANDES MENTIROSOS!
Google