Reinvente-se a justiça

Como declaração prévia de interesses diga-se que não aprecio por aí além a figura videirinha de Jardim Gonçalves, ao passo que simpatizo com o estilo trapalhão de Joe Berardo.
Acontece que na semana passada foi sobejamente noticiado o arquivamento da queixa crime, por prática do crime de difamação, de Jardim Gonçalves contra Berardo. Disse este último que Jardim “roubou bollions” quando se encontrava à frente do BCP.
Lembro-me da à altura dos factos ter pensado que existia uma justiça de ricos e outra de pobres, Berardo não podia fazer aquelas afirmações, seria multado mas com a sua fortuna nem cócegas o facto lhe faria.
A decisão de arquivamento é mais surpreendente confirmando no entanto a minha teoria. Recordo agora um cliente que despediu um trabalhador que era toxicodependente, porque este tinha subtraído dinheiro da caixa.
Meses mais tarde foi o meu cliente citado numa acção de trabalho intentada pelo trabalhador despedido, movido pela indignação dirigiu-se a casa deste e numa acesa troca de acusações chamou-lhe drogado.
Ganhámos a acção de trabalho mas perdemos o processo crime, entendeu a meritíssima juiz que era crime chamar drogado mesmo a quem, como era o caso, efectivamente o fosse.
Ou seja, dê lá para onde der, o que vale a pena é estar do lado dos billions!

1 comentário:

Anónimo disse...

E pensava eu que o que valia a pena, ou seja o que motivava um socialista, era lutar contra a injustiça social.
Mas são os sinais dos tempos que vivemos.

Google