Contra a razão não há argumentos

Os Vereadores do Partido Socialista na Câmara Municipal do Seixal chamaram à atenção do Presidente da Câmara para as ilegalidades cometidas por este na violação do prazo de comunicação da ordem de trabalhos e não falta de entrega da respectiva documentação de suporte em tempo devido.
Foram os Vereadores Socialistas enxovalhados pela linguagem arrogante do Senhor Presidente da Câmara que argumentava que estava a cumprir a lei e que nada ia ser alterado, chegando mesmo ao ponto do seu discurso ser ofensivo para a dignidade dos Vereadores Socialistas.
Foi preciso abandonar uma Sessão de Câmara e ameaçar que se abandonariam todas as seguintes enquanto não fosse cumprida a lei para, finalmente, o Senhor Presidente da Câmara reconhecer que não tinha razão e, vai daí, altera o dia das sessões cumprindo assim o prazo legal.
Mas já no que se refere ao acompanhamento das convocatórias com as cópias dos processos para que haja um conhecimento sério das matérias que vão a deliberação, continuam os esquecimentos, principalmente em processos que requerem uma maior análise à gestão do município e, na sessão do dia 14 havia um ponto da ordem de trabalhos referente à anulação de um concurso público de prestação de serviços de seguros cujo processo não chegou ao conhecimento dos Vereadores; obviamente que os Vereadores Socialistas se recusaram tomar posição sem que conheçam em profundidade este dossier e não tiveram outra alternativa que não fosse abandonar a sessão no momento da votação deste ponto da ordem de trabalhos.
Não vamos aqui aprofundar este tema, de momento, mas vamos querer saber, em toda a extensão, das razões profundas que levaram à necessidade de anular este concurso e tentar perceber qual a razão para que o processo não estivesse disponível para ser consultado pela Vereação.

2 comentários:

Carmo Torres disse...

O «Comércio» esteve presente na última sessão de câmara mas teve de sair ainda antes do término do período aberto à população, porque estava em fecho de edição e era preciso ainda compor o texto para sair com a actualidade a que habituámos os nossos leitores, pelo que não pode acompanhar o resto da discussão.
No entanto, tendo em conta que foi tão discutido o tema da alteração da data, precisamente para que os vereadores tivessem tempo de ler todos os processos, (embora não indo ao encontro do pedido de que a documentação fosse antes entregue à sexta-feira), este seu comentário é assaz curioso.
Se não foi para que a documentação aos vereadores fosse entregue a tempo, então porque é que se deu a alteração da data da reunião camarária?
Pelos vistos, tudo ficou na mesma, excepto para os jornalistas, cujo trabalho ficou deveras dificultado.

Anónimo disse...

Uma Pergunta : Então porque não votam contra, ou se abstêm, fazendo uma Declaração de Voto. Abandonar a sessão ? Nah ! Isso parece-me mais " não brinco mais contigo" num qualquer recreio de um Jardim de Infância.

Pela elevação da Democracia !

Google