Seixal: Presidente da Câmara lamenta que PS e BE tenham recusado pelouros

Seixal, 25 Nov (Lusa) - O presidente da Câmara do Seixal, Alfredo Monteiro, explicou hoje à Lusa que “independentemente da maioria absoluta da CDU, sempre foi tradição na Câmara atribuir pelouros às outras forças políticas”, lamentando a recusa dos vereadores do PS e BE.
“Sempre entendi que a atribuição de pelouros às outras forças políticas na Câmara do Seixal significa dar uma possibilidade de também estes participarem na gestão municipal”, explicou o autarca.
As declarações de Alfredo Monteiro surgem uma semana depois dos vereadores do PS e do vereador do BE terem recusado os pelouros da Defesa do Consumidor e Intervenção Veterinária, propostos pelo presidente da autarquia, por considerarem tratar-se de “migalhas”.
Para o vereador estreante do BE, Luís Cordeiro, que desempenha funções de dirigente no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), “aceitar as funções a meio tempo na câmara colidia com o trabalho no IEFP".
"Como tal teria que abdicar da profissão e não iria hipotecar funções para exercer um cargo de migalhas", disse.
Por seu lado, Samuel Cruz, em representação dos três vereadores socialistas na câmara, afirmou à Lusa que “a proposta que foi feita foi a de gerir o pelouro mais pequeno de todos - defesa do consumidor".
"Nem sequer reflecte o resultado eleitoral do PS, que obteve 23 por cento da votação”, justificou Samuel Cruz.
O socialista considera “ridículo o presidente da Câmara propor que três vereadores chefiem um pelouro onde existem três funcionários e para isso atribuía um ordenado anual a cada vereador de mais do dobro do valor que lhe cabia gerir”.
O presidente da Câmara eleito pela CDU afirmou que “não existem pelouros menores ou maiores".
"Todos eles [pelouros] são importantes para a vida do concelho, no entanto, os pelouros em questão são a meio tempo, logo no caso do PS nunca seriam três vereadores para o pelouro, mas sim um vereador a gerir aquela pasta”.
O presidente da autarquia lamentou ainda que pelouros importantes sejam apelidados de “migalhas”, assim como, os vereadores em questão “terem optado por ficar de fora da gestão municipal e de não participarem activamente na vida do concelho”, rematou.
Na Câmara do Seixal, os pelouros foram distribuídos pelos cinco vereadores da CDU, sendo que, da oposição apenas o PSD ficou com a pasta da Protecção Civil.
O pelouro da Acção Social foi entregue a Corália Loureiro, o Desporto e a Mobilidade a Joaquim Santos, enquanto a pasta do Urbanismo ficou a cargo de Jorge Silva.
A Educação e Juventude vai ser gerida por Vanessa Silva e a pasta do Ambiente pelo vereador Joaquim Tavares.
SYC.
Lusa/Fim.

2 comentários:

M. disse...

Talvez agora o Boletim Municipal do Seixal, verdadeiro sorvedouro de dinheiro público, comece a fazer aquilo que já é feito na comunicação social local e dê a conhecer os casos de abandono de animais e os que procuram novas casas.

É de lamentar que tanto dinheiro gasto num órgão de propaganda, não chegue para que ali seja focado este assunto, que já ocupa as páginas do Comércio à alguns meses.

Será que não o fazia por este pelouro pertencer ao PS, e poder dar assim demasiada evidência ao vereador?

Anónimo disse...

Encontro com a população - Seixal
Ordenamento de trânsito em Pinhal de Frades

A Câmara Municipal do Seixal apresenta no próximo dia 2 de Dezembro, quarta-feira, às 21 horas, no Centro de Solidariedade Social de Pinhal de Frades, o Projecto de Ordenamento de Trânsito de Pinhal de Frades.



Este projecto vai ser implementado brevemente, em colaboração com a Junta de Freguesia de Arrentela, tendo como principal objectivo melhorar as condições de segurança e garantir uma maior comodidade de circulação nesta área urbana da freguesia.

Google