O Anti-PS

(Este texto é puramente fictício e qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência)

Caros concidadãos…

Terminadas que estão as eleições europeias facilmente se constata que a derrota do Partido Socialista foi em grande parte devida ao sentimento generalizado do Anti-PS, que premiou todos os partidos da oposição com votos "roubados" ao Eng. Sócrates.

É claro que a escolha do candidato também ajudou à derrota, mas este sentimento tem-se vindo a revelar cada vez mais forte e ganha de dia para dia mais e mais apoiantes.

Se eu fosse um reputado médico a trabalhar no sistema nacional de saúde e se alguém me obrigasse a picar o ponto todos os dias, impedindo-me de assistir os meus 4 consultórios particulares… Anti-PS

Se eu fosse jornalista e se alguém me acabasse com o sistema privado de segurança social sustentado pelo "Zé Povo"… Anti-PS

Se eu fosse funcionário do Ministério da Agricultura no Alentejo, onde há mais funcionários do que agricultores e me obrigassem a fazer qualquer coisa para justificar o meu salário no final do mês… Anti-PS

Se eu fosse magistrado e me tentassem acabar com os meus 2 ricos meses de férias no Verão… Anti-PS

Se eu fosse militar e me cortassem a RADME (Repartição de Assistência na Doença aos Militares do Exército), devido a burlas na concessão a pessoas que não tinham direito ao cartão, registando-se casos de sobrefacturação, de desconto duplo da mesma factura, entre outras práticas que lesaram o Estado em pelo menos meio milhão de euros… Anti-PS

E claro, se eu fosse professor e me acabassem com a promoção garantida a "General", independentemente da minha qualidade e do meu desempenho… Anti-PS

Meus amigos, será que há portugueses de primeira e outros de segunda? Porque razão usufruem os funcionários do Estado de regalias que não são iguais para os restantes cidadãos?

Ouvimos todos os dias, estas classes que referi, queixarem-se incessantemente disto e daquilo, e de direitos adquiridos e de regalias… e os outros?

Veja-se a mais recente manifestação de professores em Lisboa. Está para chegar o dia em que eu ouça os professores protestarem contra a iliteracia dos nossos alunos, contra sermos os últimos nos rankings europeus a matemática, como se as nossas crianças nascessem burrinhas, coitadas e a matemática só estivesse ao alcance de grandes génios.

Contra o facto de quase ninguém conhecer os nossos autores como deve ser, mas um qualquer estudante espanhol discute Cervantes e um inglês Shakespeare.

Contra os preços absurdos dos manuais escolares e que todos os anos são diferentes, sem hipótese de reaproveitamento entre famílias ou alunos da mesma escola, e contra os erros que abundam nos ditos manuais que, pasme-se, são escritos pelos senhores professores.

Contra a insegurança nas escolas por carência de pessoal auxiliar, contra a sua própria insegurança e perda constante de autoridade, etc., etc., etc.

Mas não, os motivos são sempre os mesmos. Dinheiro, estatuto e regalias sociais.

Quando é que percebem que algo vai mal no ensino quando um aluno de um país de leste começa o ano lectivo sem saber falar a nossa língua, e ao fim de 4 meses já é o melhor aluno da turma?

Quando esse dia chegar, tenho a certeza absoluta que terão todos os portugueses ao vosso lado a gritar nas ruas e a manifestarem-se… Anti-PS.

Até para a semana…

Texto publicado no semanário Terras do Vale do Sousa

4 comentários:

Anónimo disse...

Se eu fosse um reputado médico a trabalhar no sistema nacional de saúde e visse que o governo socialista do meu país tem uma política de saúde em que privilegia o sistema privado onde me pagam 4 ou 5 vezes mais:

Se eu fosse jornalista e se alguém me acabasse com o sistema privado de segurança social por mim sustentado ao longo de muitos e muitos anos;

Se eu fosse funcionário do Ministério da Agricultura no Alentejo, onde há mais funcionários do que agricultores e me obrigassem a fazer qualquer coisa para justificar o meu salário no final do mês porque o governo socialista do meu país não tem política nenhuma para a agricultura a não ser distribuir dinheiro por alguns amigos:

Se eu fosse magistrado e me tentassem acabar com os meus 2 ricos meses de férias no Verão porque nos outros 10 meses tenho que trabalhar mais de 12 horas diárias e na maior parte dos casos sem o mínimo de condições nas instalações dos tribunais;

Se eu fosse militar e me cortassem a RADME (Repartição de Assistência na Doença aos Militares do Exército), devido a burlas na concessão a pessoas que não tinham direito ao cartão, registando-se casos de sobrefacturação, de desconto duplo da mesma factura, entre outras práticas que lesaram o Estado sem que eu tenha qualquer responsabilidade porque estava em missão no estrangeiro;

E claro, se eu fosse professor e me acabassem com a promoção garantida a "General", independentemente da minha qualidade e do meu desempenho, tal como se faz em qualquer outro sector da administração pública;

Então, meus amigos, dava vivas o PS.

Domingos C. Andrade disse...

Pois é caro Samuel, e quem será responsável por isso? Precisa do desenho?

PS/PSD/PP que, ora sozinhos, ora acompanhados, em alternância, ao longo de quase 35 anos, para satisfazerem as suas clientelas.

Isto por um lado, dá-lhe parte da resposta.

Depois, pode ter a certeza, que muita e muita gente honesta, neste país, finalmente, consideram que há necessidade de mudar de política e de rumo.

Sinceramente, o senhor está a querer dizer que os mais de 7 000 eleitores do Seixal e os mais de 500 000 no país, que no dia 07.06.09, negaram o seu tradicional voto ao PS, se incluem no arrazoado "Anti-PS" do post que publicou?
Começamos finalmente a entender-nos!

Começamos finalmente a perceber, o que, verdadeiramente o PS ao nível dos seus membros mais destacados pensa dos cidadãos deste país.

Como costuma dizer-se:

Palavras para que?

PS: Gravei o seu post, para mais tarde o lembrar e recordar!

SEIXALENSE ATENTO disse...

Há anos que ando a desafiar o elenco CDU da Câmara Municipal do Seixal a deixar de jogar na propaganda barata e tornar-se mais eficaz em vários assuntos tão fáceis de resolver. Hoje vou voltar a insistir com a questão da limpeza da Baía. Com centenas de funcionários esta Câmara ainda não conseguiu arranjar uma pequena equipa para correr (pelo menos quinzenalmente) a orla da Baía do Seixal, fazendo uma limpeza dos lixos que se vão acumulando pelas marés constantes. Lembro-me que quando se realizou o Campeonato Europeu de Vela, aí sim andaram várias patrulhas da Câmara a limpar à pressa toda a orla da Baía. Claro que vinha aí a imprensa e "vai de esconder o lixo debaixo do tapete". Hoje enquanto fazia o meu passeio matinal vi um Grupo enorme de Escuteiros a fazer esse trabalho na zona da Torre da Marinha. É agradável verificar que o poder popular consegue ultrapassar sem cinismo o tal Poder Local que alguns apregoam como dos melhores do País. Fiquei a pensar que será que os Escuteiros do nosso Concelho tomaram esta iniciativa para "agradecer" aos funcionários da Câmara social-fascista que por duas vezes seguidas impediram esses Escuteiros de realizar umas sardinhadas na Festa de S. Pedro no Seixal ??
Consegui verificar hoje que a maldade paga-se com a humildade. Se toda a oposição actuar nas "barbas" deste social-fascismo o mesmo vai afundar. É preciso actuar mais e demonstrar o que não foi feito em 35 anos de poder absoluto.
Limpem a Baía e vão aproveitando para limpar a mente !!!

Anónimo disse...

"Seixalense atento" mais parece macaco.
Repete, repete, repete.

E diziam vocês que o Cunhal usava cassete!

Google