Seixal: Hospital terá serviço de urgência básica - ministra da Saúde

Ministra da Saúde assegura que o hospital do Seixal terá urgência, veja a notícia no Expresso on-line.
Esta é mais uma prova que o caminho se faz caminhando e não aos gritos, como alguns parecem querer ou querem fazer crer...

19 comentários:

João Afonso disse...

E os internamentos?

Samuel Cruz disse...

A tipologia prevista para o hospital já previa internamentos.
Parece-me que há aqui quem não esteja interessado no hospital mas apenas na agitprop!

Anónimo disse...

O que significa agitpop?

Anónimo disse...

Olhe sr. vereador e médicos vai ter?! e enfermeiras/os?! e equipamentos e vão ser novos ou em segunda mão?

Quando não se quer procurar soluções, levantam-se obstáculos e falsas questões!

Curiosamente houve inúmeros comentários em posts anteriores a insinuar diversas questões, acerca da posição do candidato quanto ao hospital e perante o incumprimento do PS perante o que houvera sido prometido, e agora virão essas mesmas vozes agradecer o empenho do Vereador nesta questão e o facto de ter primado sempre pela defesa da população acima mesmo de eventuais questões partidárias?

Não podem não é? é que aí só se fala e defende o que o "comité" manda, mesmo que não seja o que o Seixal precise...Enfim que bem prega Frei Tomás...

Hserejo

Samuel Cruz disse...

AGITPROP, basicamente quer dizer agitação e propaganda.É uma ideia do marxismo-leninismo que diz respeito à disseminação das ideias e princípios do comunismo entre trabalhadores, camponeses, estudantes, intelectuais e formadores de opinião na sociedade em geral. Este era o nome dum ministério durante a revolução bolchevique que mais tarde veio a designar-se por Departamento Ideológico.
Mais tarde o termo também se aplicou a um movimento cultural muito conotado com a esquerda de que será o expoente máximo Bertolt Brecht.

Anónimo disse...

Samuel, muito obrigado pelo esclarecimento. Por acaso não fazia a mínima ideia do que aquilo queria dizer. Fiquei esclarecido. Obrigado

Teixeira disse...

Eu já tenho dito isto dezenas de vezes, mas aqui vai outra vez.

Esta senhora, no Forum Seixal Saudável anunciou aos seixalenses que o Hospital viria para o Concelho do Seixal certo? CERTO!;

Três semanas depois deste anúncio, o grupo parlamentar do Partido Socialista (PS) que, por acaso, é também o partido no qual milita esta senhora, CHUMBOU(!!!) na Assembleia da República a possibilidade do Hospital do Seixal ter camas de internamento e serviço de urgência (há um post colocado neste blogue acerca deste assunto que ainda está por "investigar"). Um grande retrocesso certo? CERTO!!!

A ministra vem agora (apenas 3 semanas depois do CHUMBO) reiterar a vontade do Governo para que o Hospital do Seixal possua um "Serviço de Urgência Básica". Mas o que é um Serviço de Urgência Básica (SUB)? Eu esclareço:

"e) «Serviço de urgência básica (SUB)» o primeiro nível de acolhimento
a situações de urgência, constitui o nível de cariz médico
(não cirúrgico, à excepção de pequena cirurgia no SU), podendo estar
sediado numa área de influência que abranja uma população superior
a 40 000 hab.
em que, pelo menos para uma parte, a acessibilidade
em condições normais seja superior a sessenta minutos em relação
ao serviço de urgência médico-cirúrgico ou polivalente mais próximo.
O SUB permite o atendimento das situações urgentes com maior
proximidade das populações, dispondo dos seguintes recursos mínimos:
Humanos — dois médicos e dois enfermeiros, em presença física,
um auxiliar de acção médica e um administrativo, por equipa;

Equipamento — material para assegurar a via aérea, oximetria
de pulso, monitor com desfibrilhador automático e marca passo
externo, electrocardiógrafo, equipamento para imobilização e transporte
do traumatizado, condições e material para pequena cirurgia,
radiologia simples (para esqueleto, tórax e abdómen) e patologia química/
química seca."

Teixeira disse...

Caros amigos, não deixem que vos joguem areia para os olhos. O que aqui está protelado é o mesmo serviço que era prestado nos SAP (que foram fechados durante o grande ataque ao SNS pelo Governo Socialista). A ministra Ana Jorge, não fala de um verdadeiro serviço de Urgência com camas de internamento, fala de um Centro de Saúde com Serviço de Atendimento Permanente.
Para além disso, a população abrangida por este serviço é muito superior a 40 mil habitantes. É de cerca de 500 mil (concelhos: Sesimbra, Almada e Seixal)(!!!).

Para este número de habitantes, o Hospital deveria contar com um verdadeiro Serviço de Urgência: o Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica:

"d) «Serviço de urgência médico-cirúrgica (SUMC)» o segundo nível
de acolhimento das situações de urgência, que deve localizar-se estrategicamente
de modo que, dentro das áreas de influência/atracção
respectivas, os trajectos terrestres não excedam sessenta minutos entre
o local de doença ou acidente e o hospital. Este serviço deve distar
mais do que sessenta minutos de outro serviço de urgência do nível
médico-cirúrgico ou polivalente (sendo, contudo, admissível a existência
de mais de um serviço de urgência médico-cirúrgico num raio
de demora inferior ao citado nos casos em que a população abrangida
por cada hospital seja superior a 200 000 hab.
) e dispor dos seguintes
recursos:
Humanos—equipas de médicos, enfermeiros e outros profissionais
de saúde de dimensão e especialização adequada
e necessários ao
atendimento da população da respectiva área de influência, periodicamente
ajustadas à evolução da procura do SU;
Das valências médicas obrigatórias e equipamento mínimo—medicina
interna, cirurgia geral, ortopedia, imuno-hemoterapia, anestesiologia,
bloco operatório (vinte e quatro horas), imagiologia (radiologia
convencional, ecografia simples, TAC), patologia clínica
(devendo assegurar todos os exames básicos, vinte e quatro horas);
O apoio das especialidades de cardiologia, neurologia, oftalmologia,
otorrinolaringologia, urologia, nefrologia (com diálise para situações
agudas) e medicina intensiva (unidade de cuidados intensivos polivalente)
ao serviço de urgência deve fazer-se de acordo com o definido
nas respectivas redes de referenciação;

Isto é completamente elementar, e só se deixa enganar quem quer.

A população do Seixal quer um verdadeiro HOSPITAL! Não deixem que este governo vos engane!


(todas as citações foram retiradas de Diário da República, 2ª série - nº176)

JS Seixal disse...

Parece que o PCP fica sem a galinha dos ovos de ouro. Perde a oportunidade, porque se trata de oportunismo apenas, de incitar a população com propaganda (para não repetir agitprop (modus operandi da cdu por estas terras), desinformação, etc.

O PCP não quer saber do hospital, é secundário. Para o PCP o principal é conquistar a população a qualquer custo, até com mentiras, inverdades, informação distorcida, etc.

A preocupação com a população do distrito e do Seixal nasce com o governo a criar um hospital que faz falta e que é apoiado por todas as forças políticas, acima de todas pelo PS.

Fazer aproveitamento das pessoas desta forma, faz lembrar o sindicalismo primitivo que tem por objectivo empurrar as pessoas num caminho, para servir designios pouco meritórios e desleais.

AINDA BEM QUE O HOSPITAL VEM PARA O SEIXAL! AINDA BEM QUE ELE VEIO COM O PS!

JS Seixal disse...

Parece que o PCP fica sem a galinha dos ovos de ouro. Perde a oportunidade, porque se trata de oportunismo apenas, de incitar a população com propaganda (para não repetir agitprop (modus operandi da cdu por estas terras), desinformação, etc.

O PCP não quer saber do hospital, é secundário. Para o PCP o principal é conquistar a população a qualquer custo, até com mentiras, inverdades, informação distorcida, etc.

A preocupação com a população do distrito e do Seixal nasce com o governo a criar um hospital que faz falta e que é apoiado por todas as forças políticas, acima de todas pelo PS.

Fazer aproveitamento das pessoas desta forma, faz lembrar o sindicalismo primitivo que tem por objectivo empurrar as pessoas num caminho, para servir designios pouco meritórios e desleais.

AINDA BEM QUE O HOSPITAL VEM PARA O SEIXAL! AINDA BEM QUE ELE VEIO COM O PS!

Teixeira disse...

Eu já tenho dito isto dezenas de vezes, mas aqui vai outra vez.

Esta senhora, no Forum Seixal Saudável anunciou aos seixalenses que o Hospital viria para o Concelho do Seixal certo? CERTO!;

Três semanas depois deste anúncio, o grupo parlamentar do Partido Socialista (PS) que, por acaso, é também o partido no qual milita esta senhora, CHUMBOU(!!!) na Assembleia da República a possibilidade do Hospital do Seixal ter camas de internamento e serviço de urgência (há um post colocado neste blogue acerca deste assunto que ainda está por "investigar"). Um grande retrocesso certo? CERTO!!!

A ministra vem agora (apenas 3 semanas depois do CHUMBO) reiterar a vontade do Governo para que o Hospital do Seixal possua um "Serviço de Urgência Básica". Mas o que é um Serviço de Urgência Básica (SUB)? Eu esclareço:

"e) «Serviço de urgência básica (SUB)» o primeiro nível de acolhimento
a situações de urgência, constitui o nível de cariz médico
(não cirúrgico, à excepção de pequena cirurgia no SU), podendo estar
sediado numa área de influência que abranja uma população superior
a 40 000 hab. em que, pelo menos para uma parte, a acessibilidade
em condições normais seja superior a sessenta minutos em relação
ao serviço de urgência médico-cirúrgico ou polivalente mais próximo.
O SUB permite o atendimento das situações urgentes com maior
proximidade das populações, dispondo dos seguintes recursos mínimos:
Humanos — dois médicos e dois enfermeiros, em presença física,
um auxiliar de acção médica e um administrativo, por equipa;
Equipamento — material para assegurar a via aérea, oximetria
de pulso, monitor com desfibrilhador automático e marca passo
externo, electrocardiógrafo, equipamento para imobilização e transporte
do traumatizado, condições e material para pequena cirurgia,
radiologia simples (para esqueleto, tórax e abdómen) e patologia química/
química seca."

Teixeira disse...

Caros amigos, não deixem que vos joguem areia para os olhos. O que aqui está protelado é o mesmo serviço que era prestado nos SAP (que foram fechados durante o grande ataque ao SNS pelo Governo Socialista). A ministra Ana Jorge, não fala de um verdadeiro serviço de Urgência com camas de internamento, fala de um Centro de Saúde com Serviço de Atendimento Permanente.
Para além disso, a população abrangida por este serviço é muito superior a 40 mil habitantes. É de cerca de 500 mil (concelhos: Sesimbra, Almada e Seixal)(!!!).

Para este número de habitantes, o Hospital deveria contar com um verdadeiro Serviço de Urgência: o Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica:

"d) «Serviço de urgência médico-cirúrgica (SUMC)» o segundo nível
de acolhimento das situações de urgência, que deve localizar-se estrategicamente
de modo que, dentro das áreas de influência/atracção
respectivas, os trajectos terrestres não excedam sessenta minutos entre
o local de doença ou acidente e o hospital. Este serviço deve distar
mais do que sessenta minutos de outro serviço de urgência do nível
médico-cirúrgico ou polivalente (sendo, contudo, admissível a existência
de mais de um serviço de urgência médico-cirúrgico num raio
de demora inferior ao citado nos casos em que a população abrangida
por cada hospital seja superior a 200 000 hab.) e dispor dos seguintes
recursos:
Humanos—equipas de médicos, enfermeiros e outros profissionais
de saúde de dimensão e especialização adequada e necessários ao
atendimento da população da respectiva área de influência, periodicamente
ajustadas à evolução da procura do SU;
Das valências médicas obrigatórias e equipamento mínimo—medicina
interna, cirurgia geral, ortopedia, imuno-hemoterapia, anestesiologia,
bloco operatório (vinte e quatro horas), imagiologia (radiologia
convencional, ecografia simples, TAC), patologia clínica
(devendo assegurar todos os exames básicos, vinte e quatro horas);
O apoio das especialidades de cardiologia, neurologia, oftalmologia,
otorrinolaringologia, urologia, nefrologia (com diálise para situações
agudas) e medicina intensiva (unidade de cuidados intensivos polivalente)
ao serviço de urgência deve fazer-se de acordo com o definido
nas respectivas redes de referenciação;

Isto é completamente elementar, e só se deixa enganar quem quer.

A população do Seixal quer um verdadeiro HOSPITAL! Não deixem que este governo vos engane!

(todas as citações foram retiradas de Diário da República, 2ª série - nº176)

Por tudo o exposto, senhor vereador Samuel não minta mais aos Seixalenses! Não é este seriço de urgência que os Seixalenses querem!!!

Anónimo disse...

CARO Teixeira não é esse serviço de urgência que os Seixalenses querem, concerteza eu também não!
aliás eu por mim teria um médico de cada especialidade , uma enfermeira 24h, uma auxiliar de acção médica 24h, um admnistrativo 24h, uma ambulancia vemer 24h, o inem e todos os equipamentos possíveis aqui à porta de casa, isso sim é uma promessa que se deve fazer, até porque vai de encontro ás necessidades da população e é perfeitamente exequível!!!!
Não mande o sr. areia para os olhos da população e, já que fez uma completa pesquisa sobre quais os MÍNIMOS REQUISITOS necessários para o funcionamento de um serviço de urgência básica, diga-nos também quais os mínimos necessários para existir um SAP, por forma a se verificar as verdadeiras diferenças!!!!
E já agora não diga que não há nenhum SAP a funcionar com os requisitos mínimos porque o Hospital do Seixal também não terá os requisitos mínimos para Urgência Básica!!!
Hserejo

J.S. Teixeira disse...

Caro Anónimo das 9.44,

Como é que eu vou dizer isto sem ferir susceptibilidades...você faz de propósito?

Eu não estou a pedir nada para a minha porta porque a minha empatia vai muito para além do meu umbigo. Peço aquilo a que a população do Seixal (já não falando de Almada e Sesimbra) tem direito. E sabe a que é que tem direito?

- A mais do que um SAP a funcionar num Concelho com mais de 165 mil habitantes! Como fecharam quase todos os que existiam no nosso Concelho creio não ser de mais essa reivindicação.

- Um SU que não seja um SAP. O Serviço de Urgência proclamado para o futuro Hospital do Seixal funciona nos mesmos moldes dos Serviços de Atendimento Permanente existentes anteriormente no Seixal ou seja, são "serviços médicos de consulta não programada". Isso e o facto de nenhuma delas possuir camas de internamento, já que no SUB não se fazem cirurgias.

O que diferencia o SAP do SUB é unica e exclusivamente a constituição da equipa, que no caso dos SAP acrescenta um Segurança e um Porteiro.

Quanto aos requisitos, espero que você os encontre, já que o SAP é uma valência e os SU são serviços.

Já agora, onde é que eu disse que "não há nenhum SAP a funcionar com os requisitos mínimos"?

Tenho dito.

Anónimo disse...

não disse mas poderia ser desculpa que ia dar Sr. Teixeira, e voltou a não fazer a diferenciação de requisitos mínimos de SAP e de SUB, PORQUE É APENAS ASSIM QUE SE PODE COMPARAR OU ENTÃO ENTRE O QUE VIRÁ A EXISTIR NO SUB E O QUE EXISTE NO SAP ACTUALMENTE,porque senão não está a ser honesto intelectualmente nem consigo próprio nem com a população que ambos defendemos, essa é a verdadeira questão.

Que seria melhor melhor ter um "Garcia da Horta" também acho, mas também reconheço que este Hospital que se pretende é claramente melhor do que o que existe actualmente em equipamentos de saúde no Seixal, e vai reduzir, em muito as lacunas existentes.

Quanto a achar o que perguntei pelos vistos o Sr. já achou uma vez que refere que:

"O que diferencia o SAP do SUB é unica e exclusivamente a constituição da equipa, que no caso dos SAP acrescenta um Segurança e um Porteiro."

só que OLHE QUE NÃO, OLHE QUE NÃO!!!.........

Hserejo

J.S. Teixeira disse...

Hserejo,

Bom, realmente o sr. não faz de propósito, mas se não conseguiu perceber à primeira eu explico uma segunda vez.

Em primeiro lugar, o SAP é uma valência de um serviço, enquanto que os SU (dentro dos quais diferenciamos SUB e SUMC, já que SU não quer dizer rigorosamente NADA) são um serviço por si mesmo. Logo, é fruto do apedeutismo, falar em serviços mínimos dos SAP, mas mais uma vez lhe peço que, se conseguir encontrar os "tais" requisitos, agradeço que os forneça.

Em segundo lugar, é exactamente por causa de comentários como os seus que eu peço, no meu blogue que as pessoas reflictam antes de escrever. É que, quando inseriu a tecla CAPS, perdeu todo a sua eloquência. Mas deixe lá ver se eu percebi.
O sr. diz que os recursos são condicionados pelos requisitos? Ora bem, mais uma vez, a sua agnosia, turva-lhe o raciocínio. Vou tentar ser "mais" claro.
O que existe no SAP actualmente é fruto da reificação que foi executada pelo governo PS no ano de 2007. Sabe, é que não fecharam apenas os SAP do Seixal e Corroios, também aplicaram uma série de medidas que visavam diminuir os gastos, nomeadamente ao nível do pessoal. Assim sendo, o SAP que funciona no nosso Concelho, ACTUALMENTE, é muito precário quando comparado a um SUB. No entanto, se comparar os SAP do Seixal antes de 2007 e o SUB proposto para o Hospital do Seixal verá que encontrará deficiências na resposta à população no SERVIÇO e não na VALÊNCIA.

Assim sendo, e em jeito de conclusão, que este comentário já vai longo, reitero aquilo que mencionei uns comentários acima. O Serviço de Urgência Básico não é mais do que um Serviço de Atendimento Permanente pelo recursos que oferece aos seus utentes.

Se não concorda, desminta-o através de factos, ou caso contrário, chitom.

Compreendeu Hserejo?

Tenho dito.

P.s. Só uma achega, não me coloque no mesmo barco que o senhor no que diz respeito à defesa da população do Seixal. Fazê-lo seria, isso sim, uma desonestidade intelectual.

Anónimo disse...

Sr. Teixeira

É verdade , realmente tem toda a razão o sr. apenas defende o executivo camarário e a CDU, USANDO AS PALAS PARA NÃO OLHAR PARA OS LADOS E VER MAIS Á FRENTE,realmente estava a ser parvo ao pensar que se pode defender uma população independentemente das cores partidárias ou cartões de militante!

QUER PORTANTO O SR. TEIXEIRA DIZER QUE NÃO SE ASSUME COMO DEFENSOR DOS INTERESSES DA POPULAÇÃO(ainda que de acordo com as suas ideologias e ideossincrasias)MAS SIM UM DEFENSOR DA OBRA DA CDU E DO EXECUTIVO MUNICIPAL!

Ainda bem que teve a honestidade intelectual de o assumir, era tudo o que precisávamos saber!

Eu cá assumo que tento defender os interesses da população, de acordo com as minhas ideossincrasias e ideologias, se os outros não tudo bem, as atitudes ficam para quem as toma!

Quanto ao restante, ainda bem que chegou lá, realmente toldar a visão dos mais incautos,fazendo comparações entre coisas não comparáveis, como V.exa. mesmo diz, Valências(sap)e Serviços(SUB), é, digamos, pouco salutar.

No que se refere à falta de instrução e á ignorancia, essas são as armas de que o sr. se serve para tentar levar a cabo as suas torpes intenções, que, de acordo com V.exa., não são a defesa dos interesses da população do Seixal mas sim as de alguém ou mesmo apenas os seus!


Hserejo

J.S. Teixeira disse...

HSerejo,

Meu caro, só falta fazer um desenho. Mas pronto mais cego não é aquele que não vê, mas sim o que não quer ver (ler neste caso). Como já expliquei este facto inúmeras vezes e o sr. parece que não consegue alcançar o cerne da questão, peço desculpa, mas vou deixá-lo na ignorância porque não tenho paciência nem jeito para fazer desenhos.

Quanto ao seu discorro de acusações sobre a minha intenção ao escrever em blogues, veremos no fim das contas quem tem razão. Eu reitero as minhas posições anteriores. Por muito que lhe custe perceber que uma pessoa pode ter opiniões sem estar filiada em partidos, essas pessoas existem e eu sou uma delas. Agora garanto-lhe o seguinte. Quando se ladeia um partido político que, para além do país, destrói o nosso concelho precarizando os bens dos quais os seus habitantes são dignos proprietários, não se pode afirmar que está do seu lado.

Nunca me poderá enquadrar num partido político mas em políticas e ideais.

Tenho realmente pena que não consiga atingir na sua intelecção tal facto, porque isso torna-o, uma pessoa que se diz livre, num escravo do seu dono, que a cada frase que expõe, se torna mais claro.

Tenho dito.

Anónimo disse...

Realmente existe aqui algum ruído na comunicação.
De facto a vontade de defender, aquilo que julgamos ser, os melhores caminhos para o bem estar social, cultural, económico, etc. de determinada população não obriga a que estejamo vinculados por qualquer meio a um qualquer Partido. E ainda bem!!!!

Mas deixe-me que lhe diga que o facto de ser militante de um partido nunca me toldou a visão, nem me tirou o sentido crítico ou calou a voz do descontentamento.

Isso talvez porque esse mesmo partido tem como principio basilar a liberdade do pensamento e da expressão.

Realmente existem outros cuja disciplina da organização não permite o direito à indignação ou ao contraditório, mas se quem lá está é feliz com isso...façam bom proveito.

Mas, como já comentei noutro post, o que realmente considero relevante, sobretudo nas autárquicas, é o Ser Humano...as pessoas ,o individuo e as suas capacidades e as suas crenças, o seu sentido de justiça social, etc.

E aí não temos que concordar ou militar, apenas assumir o que propomos e achamos que é melhor para o Seixal.

Esse é o único barco em que julguei inicialmente que estava, a defesa da população do Seixal, independentemente de partidos, movimentos, correntes filosóficas.

Pelos vistos demarcou-se dessa ideia com medo de se ver conotado com determinado Partido Político.Está no seu direito, só é pena que não perceba que, mais importante que as cores, são as propostas, as ideias e as acções.

Eu não tenho pejo em defender determinada proposta que seja boa para o Seixal seja ela do PCP, PSD, CDS, PS, BE, MPT, MRPP, ou outro qualquer.

E sabe porquê porque não me sinto escravizado a nada, nem a ninguém.
Não cumpro ordens, nem sou mandatado para escrever posts, faço-o por gosto e de acordo com o que penso e defendo e com o que a minha douta agnosis permite, mas sempre , sempre de forma livre e expontanea e procurando defender aquilo que acho melhor para o Seixal, a sua População indepentemente de cores políticas, mas olhando para as pessoas nas lideranças destes novos projectos!!!

Não tenho dito mas vou dizendo!!!

HSerejo

Google