A Apresentação segue dentro de momentos...

Devido às condições meteorológicas que se fizeram e fazem sentir, a apresentação da minha Candidatura à Câmara Municipal do Seixal foi adiada, sendo anunciada brevemente uma nova data. A todos os que confirmaram a sua presença, bem como aos que não o fazendo iriam estar presentes, endereço desde já as minhas desculpas, certo de que compreendem o motivo, ao qual sou alheio.

Saudações Socialistas!

Apresentação de candidatura

As bifanas dos escuteiros

Algo que tem suscitado muita polémica na Blogosfera Seixalense, e até na comunicação social nos últimos dias, é a actuação da comissão de vistorias na Festa de São Pedro, no Seixal, nomeadamente um alegado encerramento dum convívio organizado pelos escuteiros.
Pelos vistos os serviços da Câmara não conseguiram apurar o que se passou (a avaliar pelo que hoje é publicado no jornal do Seixal), mas o Sr. Domingos e o Sr. Teixeira conseguiram-no fazer.
Comecemos pois por aqui, em primeiro lugar estranho que o gabinete de imprensa, ou alguém por ele, não tenha conseguido apurar o que se passou, algo vai mal nesta organização. Assim como estranho que ninguém, da estrutura interna da Câmara, me tenha pedido informações sobre o assunto. Ou talvez não...
Igualmente estranho é, em especial tendo em conta o afirmado anteriormente, a quantidade e qualidade espantosa de informação detidas pelo Sr. Teixeira e pelo Sr. Domingos! Antes andava por aqui um Paulo Afonso (de características semelhantes), mas quando a sua identidade foi questionada, este desapareceu e apareceram as personagens Teixeira e Domingos.
Ora sucede que as aludidas personagens, tendo em conta o teor das suas intervenções, TÊM de ser altos responsáveis da Câmara Municipal do Seixal, de outra forma não disporiam da informação que aqui revelam possuir. Acumulam essa "qualidade" com a cobardia, porque não se identificam e com o facto de serem mentirosos porque raramente contam a verdade toda.
Ora vejamos, no caso em apreço, souberam dizer que os serviços médicos veterinários estão sobre a minha alçada e que participaram na acção inspectiva. Esqueceram-se de dizer que quem participou nesta acção inspectiva foi a denominada Comissão de fiscalização, que incluí o médico-veterinário (enquanto autoridade médico-veterinára municipal), a fiscalização municipal e a PSP.
Acresce e também se esqueceram, os Srs. Domingos e Teixeira, de referir que todos os anos (lá pelo mês de Abril) eu próprio endereço uma missiva, a todas as Juntas de Freguesia do concelho, onde digo mais ao menos o seguinte: atenção aproxima-se a época das feiras, quando licenciarem/aurorizarem/venderem espaços nas festas certifiquem-se que as entidades requerentes possuêm as necessárias autorizações legais.
Vejamos então:
1.º Os escuteiros tinham a obrigação de licenciarem a actividade.
2.º Admitindo que é perfeitamente normal que os escuteiros desconhecem-se esta obrigação, deveriam ter sido alertados para este facto pela Junta de Feguesia (CDU), a qual já tinha sido alertada previamente por mim para este facto.
3.º Não sendo assim, os meus serviços têm instruções claras para actuarem SEMPRE duma forma pedagógica, a titulo de exemplo diga-se que ao longo do último ano foram intervencionados todos os talhos do concelho e nenhum alarme surgiu. Por isso, no caso em apreço, as questões levantadas do ponto de vista da higiene e segurança alimentar foram resolvidas no local. O que forçou o encerramento da actividade foi a prática duma actividade comercial, e este licenciamento é da responsabilidade do Pelouro do Urbanismo, assim como a sua fiscalização é da responsabilidade dos fiscais municipais - Dois pelouros tutelados pela CDU!
Perceberam ou querem que eu faça um desenho?

Notícias Correio da Manhã (em apenas 4dias)

23 Junho 2009 - 00h30

Seixal
Vinte acusados de rapto de traficantes

O Ministério Público do Seixal concluiu a acusação contra vinte pessoas, dezanove homens e uma mulher, que vão responder por cinco crimes de rapto, tráfico de droga, falsificação de documentos, detenção de arma proibida, falso depoimento e situação ilegal no País.


Treze dos acusados estão em prisão preventiva desde Janeiro, após terem sido detidos numa operação da Unidade Nacional Contra Terrorismo da PJ denominada ‘Cárcere Privado’, nos bairros Quinta da Princesa e da Jamaica, no Seixal.

Os arguidos, considerados "extremamente perigosos", estão ligados ao sequestro, em 2006, de cinco traficantes em Lisboa. Estes foram levados para caves na zona da Amora e Fogueteiro, agredidos e mantidos em cativeiro, guardados por cães de raça perigosa.

H.M./M.P.

22 Junho 2009 - 00h29

Seixal: Aponta arma à GNR
Um homem foi detido sábado à noite depois de ter agredido violentamente a mulher e apontado uma caçadeira a militares da GNR que tomavam conta da ocorrência, apurou ontem o CM. Os guardas tiveram de efectuar disparos para o deter. Levado para o posto, tinha uma taxa de alcoolemia de 3.35 gr/l. Tem antecedentes de violência doméstica.


20 Junho 2009 - 00h30

Mulher de 31 anos residente em Corroios, Seixal
, andou mais de duas horas com ladrões
Sequestrada quando estacionava o carro
Uma mulher de 31 anos foi sequestrada por dois ladrões durante duas horas. A vítima foi atacada quando estacionava o carro na garagem de casa, em Corroios, Seixal, vindo a ser abandonada quando os assaltantes se depararam com uma viatura policial.




Os ladrões, armados com uma faca e uma pistola, introduziram-se na garagem do prédio da vítima. Pelas 02h00, a mulher entrou de carro e foi sequestrada. Colocada no banco de trás da viatura, andou por ruas do Seixal e Almada.

Pelo caminho, a viatura roubada (Seat Ibiza) esteve envolvida num acidente, o que não serviu para abrandar os ladrões. A mulher foi coagida a entregar o cartão multibanco, e respectivo código, tendo a dupla levantado 400 euros.

Depois das 04h00, mais de duas horas após o sequestro, uma viatura da PSP atravessou-se no caminho do Seat Ibiza, o que levou os assaltantes a encostar e fugir a pé. A PSP socorreu a vítima.

Na minha opinião, o problema da insegurança é o que mais afecta o concelho do Seixal, e não entendo como os responsáveis políticos da CDU insistem em desvaloriza-lo.
E é para mim evidente que este problema é o resultado de anos e anos de políticas erradas da CDU, nomeadamente de políticas de desenvolvimento(?) urbano e sociais.

Vergonha

Isto é uma vergonha!
O texto do A-Sul diz tudo.
Passei pelo local quando estavam a montar esta estrutura, com um dos técnicos que trabalha na campanha do PS, e que é brasileiro. O comentário foi imediato, aquilo no Brasil é proibido!
Este será certamente um aspecto a rever na nossa legislação, mas para além disso há sempre que registar a falta de decoro de quem procede assim.

Para reflexão no fim-de-semana (o mundo não acaba no Seixal)

La ética es una disciplina filosófica que ha sido caracterizada como una “ciencia del deber ser”. Emanuel Kant ha distinguido el ser y el deber ser. El mundo del ser se refiere a lo que acontece en la realidad fenoménica, independientemente de nuestra voluntad y nuestro obrar, es lo dado. Pero, al lado de este mundo regido por las regularidades fenoménicas establecidas, es posible un mundo donde reina la libertad humana, donde las cosas suceden por la plena voluntad del hombre. Se trata entonces del mundo del deber ser, de los actos libres, voluntarios y autónomos; éstos son los que pertenecen al mundo moral.
Estamos hablando de la ética de la responsabilidad y de los imperativos categóricos kantianos, o sea, de la autoconciencia en el uso de medios, en la consecución de metas y finalidades.
En política, como en todo ámbito de la vida podemos oscilar entre el ser y el deber ser. El magnífico discurso de Obama en El Cairo, se inscribe en ese deber ser del imperativo categórico Kantiano, la voluntad clara de imprimir determinado curso a los hechos.
Un orden inmanente toca a su fin, el de la globalización neoliberal y puede tal vez Obama, merced a sus particularidades de liderazgo y las circunstancias históricas de un orden quebrado, intentar ajustar el curso de los acontecimientos y eliminar hipótesis de conflicto que posibiliten rearmar los esquemas vigentes.
Al contrario de la globalización neoliberal que sumaba espacios territoriales y aunaba mercados reducidos y asfixiados por la financiarización, excluyendo amplias mayorías y estableciendo enemigos (ejes del mal), él emprende un camino inverso; el camino de diálogos, marcos de acuerdo, entendimientos e inclusiones.
Este discurso fue pronunciado en un contexto universal particular; los resultados de la era neocon: en los países en desarrollo viven 1300 millones de personas por debajo de la línea de pobreza, más de 100 millones de ellas se encuentran en los países industrializados y 120 millones en Europa Oriental y Asia Central.
Las disparidades de la pobreza, realmente alcanzan cifras alarmantes; Asia Meridional concentra la mayor cantidad de población que subsiste con 1 dólar diario, es decir, 515 millones de personas; seguida por Asia Oriental, Sur Oriental y el Pacífico, donde 446 millones de personas viven en estas condiciones. 219 millones en África, al sur del Sahara y 11 millones en los estados árabes. En América Latina y el Caribe, 110 millones de personas viven con 2 dólares diarios. En Europa Oriental y en los países de Asia Central, 120 millones de personas viven con 4 dólares al día. Desde el comienzo de la crisis sistémica, el número de desocupados en todo el mundo podría acrecentarse de 190 millones en 2007 a 210 millones a fines de 2009.
Para más, el Banco Mundial ha hecho un nuevo cálculo: habrá 400 millones de pobres más en el mundo, frente a los 100 millones que se habían calculado, incrementando así, las estadísticas de este año.
Los trabajadores pobres que vivían con menos de un dólar al día, aumentarán en 2009 a cuarenta millones, es decir, de 480 millones a 520, y en cuanto a los trabajadores pobres que vivían con menos de dos dólares al día, aumentarán en cien millones, hasta los 1.400 millones de personas.
En términos geopolíticos el mundo padece 34 conflictos armados vigentes, sólo desde el comienzo de las contiendas en Afganistán e Irak, éstas arrojaron casi 2.000.000 de víctimas.
Alrededor de750.000 personas mueren cada año sólo en las guerras de la República Democrática del Congo, Darfur e Irak y un total de 2.700 millones de personas anualmente, afrontan un alto riesgo de conflicto violento debido al mal reparto de la riqueza y la seguridad, con peligro de muerte en un alto porcentaje.
Un sistema se quebró y no muestra alternativa, hay que cambiar el rumbo; repito, deben despejarse hipótesis de conflicto, sumar actores internacionales y proponer un rumbo que torne el escenario mundial más vivible.
La gramática del poder no pudo ser más afortunada, el presidente de Estados Unidos encontró el escenario apropiado, la Universidad de El Cairo. En pleno mundo árabe lanzó su gesto histórico de reconciliación, estableció metas y valores comunes e invitó al diálogo a factores hasta ahora desencontrados.
En esta universidad cursaron muchos líderes de grupos terroristas, como el segundo jefe de Al-Qaeda y otros de fama mundial.
También desde este escenario dio a conocer a Israel los planteos de una nueva etapa: el vínculo con Israel es especial, pero no a cualquier precio y la existencia de un Estado Palestino, pasa a ser una razón estratégica de su país, vinculada al no menos estratégico Golfo Pérsico y la cuestión iraní.
Debemos tener en cuenta, que en el último año de la gestión Bush se firmaron contratos para la provisión de armamentos por 20.000 millones de dólares con destino a Arabia Saudí, Emiratos Árabes Unidos, Kuwait, Qatar, Baharem y Omán, cuyo objetivo, es reforzar su seguridad frente a Irán y Siria y a los grupos terroristas Al Qaeda y Hizballah.
Entonces se habló de un paquete total de 20.000 millones de dólares para ese grupo de países, aunque según parece, ese monto podría referirse sólo a la parte que le correspondería a Arabia Saudí.
Se deben incluir casi 14.000 millones de dólares para la recomposición de armamento en Irak y posiblemente casi treinta mil millones en compensación a Israel y Egipto, siendo mesurados y entendiendo que las entregas son a plazos no inmediatos, podemos hablar de contratos por casi 60.000 millones de dólares. Rusia aportó durante siete años casi 10.000 millones de euros a la región.
Todo dice, que existe una vocación de la conducción norteamericana de moderar lo que se desmadró en la administración anterior y son necesarios acuerdos y entendimientos para alcanzar metas más razonables al mundo en crisis que atravesamos.
Netanyahu, privilegiado destinatario del mensaje, eligió otra universidad para responder, la de Bar Ilán.
Esta casa de estudios, núcleo ideológico de los colonos y donde estudiaba el asesino de Itzhak Rabin, concedió lo máximo posible para las circunstancias de la coalición gobernante.
Mencionó la palabra estado palestino, pero lo condicionó hasta no saber, si se hablaba de un autogobierno o un estado.
Se encargó de asegurar que no existirán nuevas colonias, pero no mencionó desarmar las existentes y con eufemismos deslizó que se atenderían las necesidades de sus pobladores; es decir, se seguiría construyendo en ellas.
El discurso coordinado con Washington, no pudo menos que ser saludado por Obama como un avance, habló de un estado palestino y se le concedió tiempo, pero todos sabemos que es limitado.
Netanyahu logra así ganar cierto espacio y mantener intacta su coalición, aunque ocultando para estas gestiones al peculiar Canciller Liberman.
Su discurso no alcanzó el realce del de Obama, fue pronunciado con miras internas, defensivo; para gusto de la Casa Blanca mencionó un eventual estado palestino una sola vez y careció de propuestas y metas valederas.
Las enunciadas repito, fueron artificios de equilibrista, porque este gobierno con la actual composición, dudo que sea un socio válido para este emprendimiento. No por ser de derechas, sino por ser una derecha irresponsable. Su segmento más extremo es irracional y redencionista y el moderado, es propicio a la demagogia populista.
No es cuestión de ver a Estados Unidos como un nuevo campeón del bien y a Israel como la nueva versión del eje del mal. Todavía no hay precisas ponencias del mundo árabe sobre el tema, Al Fatah debe entenderse en el asunto con Hamas y el resto de los estados árabes con multiplicidad de actores no estatales y semi- estatales como Hizballah, deben decir sus cosas. En esta etapa de recomposiciones y reorientaciones estratégicas, bien vale recordar a John Rawls y su concepto de justicia.
Él la considera como la primera de las virtudes de la sociedad; cada uno tiene el derecho de inviolabilidad basado en el principio de la justicia; ni siquiera el bienestar de la sociedad puede oponerse a ella. De forma medular a este esfuerzo, corresponde realizar un recuento de las circunstancias de la justicia y de una situación de elección justa para las partes enfrentadas a tales circunstancias. Éstas se enfrentan a una cantidad relativa de buenas razones mutuamente aceptables y no son éstas, ni naturalmente altruistas ni puramente egoístas: tienen fines que buscan promover. Rawls ofrece un modelo de elección justa en el cual los componentes, hipotéticamente, escogerían principios de justicia mutuamente aceptables. Bajo tales circunstancias, encontrarían particularmente atractivos sus principios de justicia favorecidos. En términos llanos, llamamos a esto coexistencia y están dadas las condiciones para intentarlo; es preciso apelar a los imperativos categóricos de voluntades que estén dispuestas a transformar, aunque sea para la supervivencia de un mundo que según analizamos con las estadísticas expuestas, reclama al menos un tibio cambio.
Obama busca socios y los encontrará, esperemos que la búsqueda no sea traumática y podamos decir, parafraseando a Ludwig Wittgenstein: Los límites de mi lenguaje no son los límites del mundo.


Carlos Braverman (Israel): Politólogo y Psicólogo, miembro de la Asociación de Derechos Civiles de Israel. Activista por una coexistencia judéo-árabe mutuamente justa y el altermundialismo. Miembro del Partido Meretz (Partido Socialista de Israel - Haifa). Presidente del Instituto Campos Abiertos (Investigaciones en Ciencias Políticas).

Parabéns Garfield

O gato mais famoso do mundo faz hoje 31 anos.

Quem não se lembra das aventuras do felídeo laranja? Garfield apareceu a 19 de Junho de 1978. Tinha traços disformes, bochechas enormes, olhos pequenos e já mostrava um enorme sarcasmo. Evoluiu, tornou-se um gato mais bonito e vaidoso.
Para mim continua a ser o meu mais fiel retrato... Representa o louco combate entre um inato desejo de liberdade a consciência que é a voz pela qual fala a necessária integração no tecido social.
Garfield é um gato inútil, preguiçoso, guloso, cómico e invejoso, sendo até provável que reúna em si todos os sete pecados mortais.
Mas e há sempre um mas, o facto é que este gato parece imensamente feliz!
E não é justamente para isso que nascemos?

Inquérito Jornal do Seixal

O Jornal do Seixal está a realizar um inquérito on-line, sobre a preferência dos leitores acerca de quem deve gerir os destinos da Câmara Municipal do Seixal.
Sei que estes estudos são falíveis, mas é sempre melhor ir na frente...

Se desejar pode votar aqui.

Segurança no Seixal - como a avalia?

Hoje deixo-vos para comentar uma notícia que revela duas faces de uma mesma moeda, por estarem interligadas: a) Insegurança no Seixal; b) Falta de efectivos policiais em número suficiente para ganharem estas "batalhas".

Além disso gostava também que, de forma ponderada, me dissessem - de 0 a 20 - como avaliam o nível de Segurança existente no Concelho do Seixal.

Poderá comentar aqui ou no blog Revolta das Laranjas. Os seus comentários poderão ser publicados no jornal «Comércio do Seixal e Sesimbra».

«Seixal: Cadastrado por tráfico foi perseguido a alta velocidade na EN10 e quase atropelou o próprio pai.

Fuga à GNR em contramão:
O desespero na fuga à GNR, ao final da tarde de anteontem, fez com que um cadastrado de etnia cigana quase atropelasse o próprio pai, quando este se meteu no meio da rua para tentar parar o carro. O homem, de 32 anos, que já cumpriu oito anos de prisão por tráfico de droga, conduziu ainda vários quilómetros em contramão na EN10, em Paio Pires, Seixal, conseguindo não chocar de frente contra os muitos camiões que ali circulam constantemente. Fugiu para o bairro da Cucena, onde mora, e ganhou avanço sobre os três carros da polícia. Está a monte.

Para complicar, a GNR foi recebida à pedrada no bairro do suspeito, com um dos veículos a sofrer várias mossas e a ficar com um vidro estilhaçado. A perseguição começou em plena EN10, quando o suspeito, perante uma operação Stop, fez inversão de marcha.

Os vários militares no local encetaram de imediato uma perseguição a alta velocidade. E o cadastrado, apesar de a estrada ter dois sentidos, decidiu seguir em contramão para tentar despistar os polícias, conseguindo escapar sempre a eventuais embates frontais.

Já no bairro da Cucena, e depois de quase atropelar o próprio pai, o cadastrado em fuga viu-se encurralado pelos três carros da GNR que empreenderam a perseguição. Decidiu subir um passeio, ganhando com isso alguma vantagem sobre a polícia – e mais uma vez conseguiu fugir. O suspeito continuava ontem à tarde a monte e desconheciam-se as razões para ter decidido fugir.

PORMENORES:

- PERÍCIA AO VOLANTE
Apesar dos vários quilómetros em contramão, o fugitivo mostrou grande perícia ao volante do seu carro, da marca Renault. Por várias vezes evitou colisões frontais.

- CRIMES VIOLENTOS
Ao homem, de 32 anos, não é conhecida qualquer profissão. Toxicodependente, suspeita-se que o cadastrado por tráfico esteja associado a crimes violentos.

- OPERAÇÃO STOP
De modo a tentar localizar o suspeito, a GNR fez uma operação Stop de madrugada. Oito pessoas acabaram detidas por conduzirem embriagadas.

[Miguel Curado / João Tavares]»

Seixal: Hospital terá serviço de urgência básica - ministra da Saúde

Ministra da Saúde assegura que o hospital do Seixal terá urgência, veja a notícia no Expresso on-line.
Esta é mais uma prova que o caminho se faz caminhando e não aos gritos, como alguns parecem querer ou querem fazer crer...

A derrota da direita no Seixal é um bom indicador para as legislativas

Seixal -Europeias 2009: PSD no Seixal perde em todas as Freguesias. PS ganha nas Freguesias de Corroios, Fernão Ferro e Cidade de Amora. A derrota da direita no Seixal é um bom indicador para as legislativas.

O PCP no Seixal, através da sua máquina de desinformação está a tentar manipular a verdadeira expressão dos resultados eleitorais, fazendo crer à população que venceu em todo o Concelho do Seixal .



Num quadro eleitoral difícil para o PS, no Concelho do Seixal, a vitória do Partido Socialista nas duas maiores Freguesias do Concelho - Amora e Corroios- e na Freguesia de Fernão Ferro, representam um reafirmar de confiança no PS, por parte das populações e um estímulo para os próximos actos eleitorais.

Em democracia os resultados eleitorais respeitam-se e analisam-se para deles se retirar conclusões.

O PCP no Seixal, através da sua máquina de desinformação está a tentar manipular a verdadeira expressão dos resultados eleitorais, fazendo crer à população que venceu em todo o Concelho do Seixal .

Isso não é verdade e o PCP deveria ter um sentido de responsabilidade que não tem, deveria ser politicamente honesto e dizer às pessoas os verdadeiros resultados eleitorais.

Com mais de três décadas do PCP no Seixal, estamos habituados a estes truques, que só evidenciam a necessidade de sobrevivência politica através de ficções montadas pela propaganda, esquecendo completamente a realidade e fazendo entrar as populações em cenários completamente montados sem o minimo de correspondencia com a realidade.

Esta técnica comunista, bem conhecida, pode tentar enganar os seus seguidores mas não enganará o Povo do Concelho do Seixal que já começou a perceber que a propaganda do PCP é mesmo só propaganda.

No Concelho do Seixal o coração bate à Esquerda e nos próximos actos eleitorais isso vai confirmar-se, com a confiança da população no PS, partido que oode operar a mudança.

O PS está preparado para os próximos actos eleitorais. Estes resultados indiciam que nas freguesias de Amora , Corroios e Fernão Ferro vamos continuar à frente e que nas outras Freguesias com o trabalho mais acentuado dos Socialistas o PS sairá reforçado.

Após 35 anos de PCP no Seixal é tempo de mudar.

Uma última nota para o PSD no Seixal : não ganhou uma única freguesia, das seis do Concelho . Um autêntico Flop.

José Assis
Vereador do PS na Câmara Municipal do Seixal
Militante do PS na Secção de Amora

Intervenção da Deputada Maria Manuel Oliveira GPPS


Senhor Presidente
Senhoras e Senhores Deputados


O processo de revisão do Novo Plano Director Municipal da Moita tem sido um dos mais conturbados de que há memória em Portugal, isto porque a Autarquia, de maioria CDU, insiste em apresentar propostas que violam despudoradamente a legislação em vigor para o quadro em observância, nomeadamente o Decreto-Lei n.º 380/99, de 22 de Setembro, na redacção actual que lhe é conferida pelo Decreto-Lei n.º 316/07, de 19 de Setembro.
Remonta ao ano de 2005, em vésperas de 4 de Julho, a aprovação, pela maioria CDU, do projecto inicial do Novo PDM da Moita. E, desde então, por seis vezes – estas são as vezes que se contam, seis vezes – foram aprovadas versões finais globais dessa proposta inicial: a primeira, em 25 de Outubro de 2006, a segunda, em 9 de Julho de 2007, a terceira, em 11 de Julho de 2008, a quarta, em 25 de Julho de 2008, a quinta, em 25 de Outubro de 2008, e a sexta e última (por enquanto!), em 11 de Novembro de 2008.
Este manancial de versões finais globais aprovadas em Assembleias Municipais, apenas e somente pela maioria CDU, só existe, porque não houve lugar a ratificação por parte das instâncias superiores, dado que, invariavelmente, todas as versões que foram sendo apresentadas continham situações ilícitas, mesmo após as sucessivas e sistemáticas orientações fornecidas pelas entidades competentes de controlo.

Senhoras e Senhores Deputados
Quem revisitar o projecto inicial do Novo PDM proposto pela maioria política da Câmara Municipal da Moita, depara-se com um conjunto de erros gravíssimos e irrecuperáveis, que colocam em sério risco a sustentabilidade e o desenvolvimento do Concelho, ao nível do planeamento territorial e ambiental, situação que se alastra, aliás, a outros Concelhos do Distrito de Setúbal, como Almada, Seixal e Barreiro.
Visa o Novo PDM a desafectação de cerca de 400 hectares de Solo Rural em REN (Reserva Ecológica Nacional) e RAN (Reserva Agrícola Nacional) para novo Solo Urbano sem REN e sem RAN, dando lugar a extensas zonas urbanizáveis e a novos parques empresariais, incrementando, deste modo, a massificação urbanística e a especulação imobiliária no Concelho.
O mais curioso é que este embróglio transformista inventado pela Câmara ficaria completo com a transferência, ou melhor, com a deslocação de áreas de REN (Reserva Ecológica Nacional) para zonas já protegidas e que integram, actualmente, a RAN (Reserva Agrícola Nacional). Coisa espantosa e nunca vista!
O projecto do Novo PDM prevê a construção de mais 20 mil novos fogos a juntar aos 35 mil já existentes, para uma população de cerca de 60 mil habitantes. Um completo absurdo! É que, cada 1000 novos fogos entrados no mercado, por construção nova e a preços descomunais, passam a ser, sem margem para dúvida, mais 1000 casas desocupadas, em novos bairros desertos, acrescendo o facto de contribuírem para a derrapagem financeira dos imóveis já existentes - menos recentes, portanto - que tendem a ver o seu preço relativo de mercado baixar vertiginosamente, ficando cada vez mais desvalorizados.
Os parques empresariais, esses, são colocados no mercado a preço de ouro, não havendo empresas que lá possam instalar-se, à excepção dos hipermercados que proliferam - quais cogumelos! – a cada cem metros, na estrada que liga Moita - Alhos Vedros – Baixa da Banheira.
Atenção!
Nada contra apontaríamos, quanto a este facto, se a Câmara Municipal da Moita tivesse um único projecto que fosse de reabilitação do comércio tradicional local, completamente delapidado e aniquilado pela CDU, mas o encerramento dos estabelecimentos comerciais tradicionais e a perda de emprego por parte dos proprietários e dos trabalhadores não parece preocupar nem de perto nem de longe o executivo camarário.
E diz-se a CDU a favor dos trabalhadores e da manutenção dos postos de trabalho!
Parece-nos, senhoras e senhores Deputados, que está bem demonstrado que, para além de uma errada política de Solos, o projecto do novo PDM da Moita não só agrava, sobremaneira, o já existente desordenamento do território, como propicia a transferência de mais-valias urbanísticas para os especuladores imobiliários que “actuam” no Concelho, sem o menor sinal de respeito pelos legítimos interesses e as justas preocupações dos munícipes, mormente daqueles que vivem nas zonas rurais e que subsistem das suas terras de cultivo hortofrutícola e de cereal, e das suas explorações pecuárias.
A pergunta que se impõe, agora, senhoras e senhores Deputados é a seguinte: após a aprovação, pela maioria CDU, em Assembleia Municipal de 11 de Novembro de 2008, da sexta versão final global do Novo PDM, a Moita já tem um Plano Director Municipal?
A resposta é contundente: não, não tem.
E porquê? Porque a tal sexta versão continua a ter situações desconformes com a lei enquadrável e, segundo apurámos, o parecer da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT) é, mais uma vez, desfavorável. Não houve, ainda, lugar a ratificação por parte das instâncias superiores, portanto a Moita não tem Plano Director Municipal. E se não for ratificado pelas entidades competentes, o novo PDM da Moita é nulo.
Assistimos, pois, senhoras e senhores Deputados a uma espécie de novela em fascículos de cordel, em que a irresponsabilidade, o despotismo, o autoritarismo, a prepotência do executivo camarário de maioria CDU, que detém as rédeas do Concelho da Moita desde o 25 de Abril de 1974, toma proporções alarmantes, ao escamutear as leis da República, fazendo aprovar, em Assembleias Municipais, documentos essenciais para a vida das cidadãs e dos cidadãos residentes no Concelho, numa espécie de regime de autodeterminação, em que o interesse político-partidário se sobrepõe, ou melhor, anula o interesse público.
Esta postura ditatorial da Autarquia da Moita - à semelhança do que acontece em muitas outras Autarquias de maioria CDU do Distrito de Setúbal - tem de ser denunciada ao país, pois ensombra o valor máximo que Portugal conseguiu conquistar com a Revolução de Abril e que é o valor da Democracia.
O Partido Socialista, um partido da esquerda moderna, quer preservar esse valor inestimável, por isso, revelando uma visão estratégica de futuro, apostou fortemente na Península de Setúbal, através de investimentos que, em contra-ciclo, podem constituir uma arma de combate à crise que se vive no nosso país e que assola todo o Planeta. Relembremos, alguns desses importantes investimentos:
- o novo aeroporto:
- a linha de alta velocidade;
- a Plataforma Logística do Poceirão;
- a ponte Chelas/Barreiro;
- o alargamento da Portucel;
- a expansão da Plataforma Industrial de Sines;
- a ligação deste projecto aos portos de Sines e de Setúbal;
- o investimento de 24 milhões de euros no sector social, nomeadamente em creches, lares de idosos, equipamentos para pessoas com deficiência, projectos de combate à pobreza e à exclusão social.



Senhoras e Senhores Deputados
É abismal a diferença entre a governação do Partido Socialista e a gestão das Autarquias de maioria CDU do Distrito de Setúbal, uma maioria gasta pela sua longevidade, pela incapacidade de gerar novas ideias, novos projectos e novas dinâmicas.
E é esta diferença que o povo português identifica e, mais cauteloso que está hoje, rejeita veementemente. E vai confiar no Partido Socialista, porque o que as portuguesas e os portugueses querem é um Portugal livre e tolerante, um Portugal moderno e cosmopolita, um Portugal em que as ilhas da ditadura dêem, finalmente, lugar a oásis de liberdade e de respeito por todos e por cada um.
Disse.

Eleições Europeias

Veja aqui todos os resultados para o Parlamento Europeu.
Aqui no blog apareceram alguns comentários quanto ao resultado... A mim que estou de férias em Trás-os-Montes os resultados merecem-me apenas dois comentários:
1. O PSD ganhou as eleições e o PS perdeu - Parabéns aos vencedores.
2. O segundo grande perdedor da noite é o PCP que pela primeira vez ficou atrás do BE - habituem-se.

KFC

Se a moda pega por cá... Talvez não fosse mau!

A informação mais Triste!

A Vida num instante,

De um momento para o outro, tudo muda na nossa vida. Vim agora duma Assembleia de militantes da Secção de Corroios, sentei-me ao computador, para apelar-vos à participação no Comício Final de hoje, mais logo na antiga FIL, temos um autocarro que sairá do Seixal, passará pela Amora e Corroios para estarmos juntos no encerramento da campanha europeia.

Mas a vida é isto, estamos em mudança constante. E de um segundo para o outro perdemos pessoas importantes na nossa vida.

ELE nunca mais se vai sentar à beira duma mesa a contar estoiras da política e dos políticos. ELE não desenhará mais estratégias de combate politico. ELE nunca mais irá para uma reunião, a dizer que “os vai partir todos”, hoje definitivamente deixei de poder contar com ELE.

ELE começou por ser meu camarada e meu conhecido, fomos colegas e ficamos infinitamente amigos, porque amigos são aqueles que nós convidamos e nos convidam para o casamento e outras tantas ocasiões especiais. Amigos são aqueles que mesmo não estando de acordo, e estivemos juntos em todas as batalhas políticas em mais de 12 anos, sabiamo-nos ouvir um ao outro.

ELE não sabia ficar parado, ELE não sabia estar em qualquer lado sem dizer aquilo que lhe ia na alma. Muitos sabem das suas proezas em segredo. Ele nunca contava que tinha ajudado tantas pessoas de tantas maneiras diferentes. E quantas ELE ajudou enquanto foi Presidente da Junta. Mas creio que ele nunca percebeu o quanto marcava as pessoas com a sua humildade.

Estou certo que tantas e tantas pessoas se reunirão junto d’ELE, num último ADEUS. Morreu a fazer aquilo que mais gostava, Política! Com toda a ironia vamo-nos despedir dele na véspera ou mesmo em dia de eleições.

Nunca precisei de fazer nenhuma sondagem para saber o quanto todos ganharam em conhecer ELE - o Humberto Daniel -, que morreu hoje cerca da 1h da manhã, quando roubando tempo à família, fazia aquilo que mais gostava, numa discussão politica da sessão do Polis na Câmara de Setúbal.

Quero acreditar agora que “Aquele que os Deuses quer favorecer morre jovem, enquanto a sua saúde for boa e os seus sentidos e o seu julgamento, ainda são sãos”.

Até sempre Humberto,

Deste teu amigo, Nuno Tavares

(O Presidente da C.P.C. do Seixal)

No momento certo

«Na penúltima sessão extraordinária da Câmara Municipal do Seixal foram aprovadas três medidas, aprovação essa por unanimidade, que visam, segundo os proponentes, combater a crise. Foram elas: isenção parcial da taxa de ocupação do espaço público, atribuição de bolsas de estudo, concurso para construção, a custos controlados, de casas para habitação para jovens.
Qualquer uma destas medidas só terá efeitos para o ano 2010, sendo certo que a construção a custos controlados naturalmente terá efeito concreto para 2010/2011, pelo menos.
O PS já tinha solicitado que se tomassem medidas municipais, no âmbito do quadro de crise que se vive, em especial de ajuda aos comerciantes. Foi por nós colocada a questão da redução da derrama, bem como no momento discussão das diversas taxas municipais, incluindo o IMI, que para além dos comerciantes abrange a população proprietária no Concelho.
Por outro lado, no anterior mandato a nossa oposição foi clara relativamente ao aumento de taxas que, em alguns casos se cifrou no quadruplo das que estavam em vigor até então.
As medidas agora aprovadas de isenção da taxa de ocupação do espaço publico com a possibilidade de devolução do que foi pago em 2009 devendo para o efeito ser requerida essa devolução, mereceram a nossa aprovação, recordando que já aquando do orçamento municipal para este ano sublinhámos que muitos comerciantes estavam a retirar as suas placas de publicidade porque a factura estava a ficar muito cara. Para nós as propostas que aliviem os nossos munícipes, desde que ponderadas com a responsabilidade de gestão municipal, são sempre acolhidas com a maior da naturalidade.
Ensina-nos a experiência que o poder pelo poder faz mal e que a oposição só pela oposição mal faz, portanto não é o nosso timbre a oposição só por oposição, apesar de sentirmos, equilibradamente, a confiança plena de que o próximo mandato será governado no Seixal pelo PS, que está pronto e preparado para assumir essa responsabilidade.
Aguardamos, pois, que sejam apresentadas novas medidas e se forem boas cá estaremos nós para as aprovar, como já fizemos durante este mandato, sem qualquer problema, alarido ou complexo.
Estar pronto para governar é estar pronto para decidir e os eleitos do PS já demonstraram que estão prontos para decidir. Vontade não nos falta, resta a vontade popular e quando chegar o momento ela estará seguramente ao nosso lado.»


[por José Assis, 30.04.2009]

O refeitório da Câmara é mais caro do que o restaurante onde almoço!

Considerando a discrepância existente nos preços praticados pela entidade "exploradora" do refeitório das oficinas municipais, onde os sócios dessa entidade pagam 4,25 € por refeição, enquanto os não-sócios pagam 6,35 €, e considerando ainda que este é o único refeitório que a Câmara Municipal possui ao serviço dos seus trabalhadores, entendo que a diferença de preços supracitada viola o princípio da igualdade, previsto no artigo 13.º da Constituição da República Portuguesa.
De facto, a aplicação prática deste princípio deve resultar no tratamento igual dos funcionários do município (não distinguindo associados e não associados de qualquer instituição/associação).
A tudo isto, acresce o facto do município dever fornecer, no seu refeitório, a TODOS os seus trabalhadores, uma refeição completa, por valor não superior ao do subsídio de refeição, valor que é actualmente de 4,27 €.
Tal é o que resulta das leis da República e é, antes disso, o que se impõe face às mais elementares regras de justiça social, pelas quais todos pugnamos.
Face ao exposto, requeri, junto do presidente da edilidade, a tomada de medidas urgentes para que as refeições servidas, no refeitório municipal, não excedam em qualquer caso o valor do subsídio de refeição pago aos trabalhadores do município, valor esse que considero ser o justo.

Comente aqui ou no Blog Revolta das Laranjas, os seus comentários poderão ser publicados no jornal Comércio do Seixal e Sesimbra.

É apresentada hoje, nas instalações da empresa "Transucatas - Soluções ambientais, S.A." em Paio Pires, Seixal, a "Estratégia para os Combustíveis Derivados de Resíduos.
A cerimónia terá ínicio pelas 15 horas, sendo presidida pelo Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional e contando ainda com a presença do Secretário de Estado Adjunto da Indústria e da Inovação.

Destacam-se nesta estratégia os estímulos ao aproveitamento energético de fracções de resíduos que ficam após a reciclagem, admitindo o Governo vir a agravar a taxa de gestão de resíduos pela deposição em aterro de resíduos combustíveis, consignando o valor desse agravamento a subsídios directos a produtores e consumidores de combustíveis derivados de resíduos (CDR), e, adicionalmente, a reavaliar o apoio à produção de electricidade por utilização deste combustível alternativo.

Um caso estranho...

Programa da deslocação do Candidato Vital Moreira ao Distrito de Setúbal

Dia 2 de Junho, 2009 - Terça-feira

12h30 - Chegada à Trafaria

13h00 - Almoço com o Candidato na Praça da República (Trafaria)

15h00 - O Candidato é recebido na administração dos estaleiros do Metro Sul do Tejo, em Corroios (Av. 25 de Abril)

15h15 - Saída de Metro até ao Pragal

15h30 - Chegada ao Pragal

17h00 - Visita ao aterro sanitário de Palmela - unidade de confinamento técnico, gerido pela Amarsul (Estrada Luís de Camões / Barra Cheia)

21h00 - Comício no Cine-Teatro Charlot (Setúbal)

EDUARDO PRADO COELHO


Eduardo Prado Coelho, antes de falecer, teve a lucidez de nos deixar esta reflexão, sobre nós todos, por isso façam uma leitura atenta.

Precisa-se de matéria-prima para construir um País
Eduardo Prado Coelho – in Público

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres.

Agora dizemos que Sócrates não serve. O que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.

Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.

O problema está em nós. Nós como povo.

Nós como matéria-prima de um país. Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL,

DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa,como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos... e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país:

- Onde a falta de pontualidade é um hábito;

- Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano.

- Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e, depois, reclamam do governo por não limpar os esgotos.

- Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros.

- Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é "muito chato ter que ler") e não há consciência nem memória política, histórica nem económica.

- Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser "compradas", sem se fazer qualquer exame.

- Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não lhe dar o lugar.

- Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão.

- Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes.

- Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado.

- Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.

Não. Não. Não. Já basta.

Como 'matéria prima' de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa.

Esses defeitos, essa 'CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA' congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não noutra parte...

Fico triste.

Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje, o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.

E não poderá fazer nada...

Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.

Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, nem serve Sócrates e nem servirá o que vier.

Qual é a alternativa?

Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror?

Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa 'outra coisa' não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente abusados!

É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda...

Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias.

Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer.

Está muito claro... Somos nós que temos que mudar.

Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos:


Desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e, francamente, tolerantes com o fracasso.

É a indústria da desculpa e da estupidez.

Agora, depois desta mensagem, francamente, decidi procurar o responsável, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido.

Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO DE QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO.
AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO NOUTRO LADO.
E você, o que pensa?.... MEDITE!

EDUARDO PRADO COELHO
Google