(In)segurança no Seixal

Seixal: Cadastrado por tráfico foi perseguido a alta velocidade na N10 e quase atropelou o próprio pai

Fuga à GNR em contramão
O desespero na fuga à GNR, ao final da tarde de anteontem, fez com que um cadastrado de etnia cigana quase atropelasse o próprio pai, quando este se meteu no meio da rua para tentar parar o carro. O homem, de 32 anos, que já cumpriu oito anos de prisão por tráfico de droga, conduziu ainda vários quilómetros em contramão na N10, em Paio Pires, Seixal, conseguindo não chocar de frente contra os muitos camiões que ali circulam constantemente. Fugiu para o bairro da Cocena, onde mora, e ganhou avanço sobre os três carros da polícia. Está a monte.

Para complicar, a GNR foi recebida à pedrada no bairro do suspeito, com um dos veículos a sofrer várias mossas e a ficar com um vidro estilhaçado. A perseguição começou em plena N10, quando o suspeito, perante uma operação Stop, fez inversão de marcha.

Os vários militares no local encetaram de imediato uma perseguição a alta velocidade. E o cadastrado, apesar de a estrada ter dois sentidos, decidiu seguir em contramão para tentar despistar os polícias, conseguindo escapar sempre a eventuais embates frontais.

Já no bairro da Cocena, e depois de quase atropelar o próprio pai, o cadastrado em fuga viu-se encurralado pelos três carros da GNR que empreenderam a perseguição. Decidiu subir um passeio, ganhando com isso alguma vantagem sobre a polícia – e mais uma vez conseguiu fugir. O suspeito continuava ontem à tarde a monte e desconheciam-se as razões para ter decidido fugir.

PORMENORES

PERÍCIA AO VOLANTE

Apesar dos vários quilómetros em contramão, o fugitivo mostrou grande perícia ao volante do seu carro, da marca Renault. Por várias vezes evitou colisões frontais.

CRIMES VIOLENTOS

Ao homem, de 32 anos, não é conhecida qualquer profissão. Toxicodependente, suspeita-se que o cadastrado por tráfico esteja associado a crimes violentos.

OPERAÇÃO STOP

De modo a tentar localizar o suspeito, a GNR fez uma operação Stop de madrugada. Oito pessoas acabaram detidas por conduzirem embriagadas.

Miguel Curado / João Tavares

Notícia Correio da Manhã

P.S: Resta-me acrescentar que este bairro é várias vezes apresentado na Câmara como um caso exemplar de inclusão. Nota-se...
Aliás só nã vê quem não quer que a Cucena é um bairro social com todas as caracteristicas de gueto, mas como o pior cego é aquele não quer ver, deixemos a CDU pensar que fez ali uma grande coisa, quer dizer o grupo A.Silva&Silva mas se calhar é a mesma coisa...

Sem comentários:

Google