Baixo Tejo- Novos 70 km de estradas


Segundo está definido no contrato, a Concessão Baixo Tejo abarca a concepção do projecto, construção, financiamento, exploração e conservação dos lanços de Auto-estrada no IC32, entre Funchalinho e Coina (22 km), incluindo a ligação à Trafaria. Também integra o troço da Estrada Regional 377-2, entre a Costa da Caparica e a Fonte da Telha (10 km).
Os lanços já em serviço que ficarão em regime de exploração e manutenção são os da Via Rápida da Caparica (6 km de Auto-Estrada no IC20), Via Rápida do Barreiro (9 km de Auto-Estrada no IC21), troço que liga o Montijo a Alcochete no IC3 (3 km) e o troço que liga Coina ao Montijo no IC32 (20 km de Auto-Estrada).
O projecto inclui, ainda, a requalificação da Avenida do Mar, entre a Fonte da
Telha e o IC32 (7 km).

Segundo informação do Governo Civil de Setúbal, a concretização do IC32 entre Funchalinho e Coina vai permitir a conclusão da Circular Regional Interna da Península de Setúbal (CRIPS), dando continuidade ao lanço já construído entre o Montijo (A12/IP1) e Coina. Esta via terá um papel estruturante, contribuindo para a mobilidade dos habitantes do distrito e garantindo ligações com melhor qualidade entre os diversos concelhos. Além disso, também servirá como alternativa à A2 nas deslocações pelo distrito, nomeadamente entre a Costa da Caparica e Almada, Seixal, Barreiro, Sesimbra e Moita. Por sua vez, a construção da ER377-2 entre a Costa da Caparica e a Fonte da Telha permitirá uma melhor distribuição do tráfego de acesso às praias.
Reduzir o tráfego na A2 é outro dos objectivos desta nova concessão, prevendo-se que aí circulem menos 15 mil veículos por dia. Assim sendo, estima-se que a construção
do IC32 permitirá uma diminuição no tempo de viagem na A2. Segundo revela o Governo
Civil, esta diminuição traduz-se exactamente em menos de 16 minutos entre Almada/Caparica e Palhais. De Almada/Caparica à Quinta do Conde ou a Azeitão serão menos 14 minutos. Prevê-se, ainda, que sejam menos 13 minutos nas ligações entre Almada/Caparica e Alcochete, Montijo, Barreiro, Moita e Coina. Já de Almada até aos Foros de Amora a redução cifra-se em 8 minutos. A ligação até ao Seixal durará menos 4 minutos.
Vantagens económicas e sociais
Estima-se que, ao todo, serão 715 mil os indivíduos directamente beneficiados com este empreendimento, o qual terá um investimento inicial de construção e de beneficiação de 186 mil euros e um investimento total de 563 mil euros.
Os benefícios gerados pela construção da Concessão Baixo Tejo superam largamente
os custos que lhe estão associados, estimando-se que o empreendimento crie cerca de
6 mil empregos.

Pode saber mais aqui.

4 comentários:

Anónimo disse...

Mais um excelente investimento do poder central a beneficiar o concelho do Seixal.

Vamos mudar esta terra disse...

bem pensado, era uma nova travessia do tejo, na continuação da IC 32 até algés e ligação á CRIL.
Imagine todo o trafego que iria ser retirado da ponte 25 de abril.

Samuel Cruz disse...

Essa será a quarta travessia do Tejo e corresponde à lógica de todo o sistema. Em principio far-se-à em túnel.
Atentamente,

Samuel Cruz disse...

Essa será a quarta travessia do Tejo e corresponde à lógica de todo o sistema. Em principio far-se-à em túnel.
Atentamente,

Google