Benesses e misérias - Fernando Reis

Pela sua pertinência, deixo-vos aqui um texto, publicado no jornal Notícias da Zona, do meu Camarada e amigo Fernando Reis:

"SE A crise é global, o mundo está perigoso e a situação política é complexa, de quem será a culpa?
Será do comunismo ou do capitalismo? Já Winston Churchill dizia que “o vício inerente ao capitalismo é a distribuição desigual de benesses enquanto o do comunismo é a distribuição por igual das misérias”.
Benesses e misérias que geram corrupção e injustiça social e que têm contribuído para o empobrecimento de muitos povos. No meu tempo de estudante defendia-se a tese de que a tecnologia havia de libertar o homem de certos trabalhos para ter uma melhor vida e mais tempo de lazer.
Das centenas de canais temáticos da TV americana, há um que demonstra que a tecnologia está apta a cumprir a sua parte, ao mostrar grandes fábricas a produzir automaticamente milhões de unidades de produtos de grande consumo sem quase haver intervenção humana, desde o início do processo até ao seu empacotamento e armazenamento, graças ao avanço tecnológico que hoje existe, e que amanhã será ainda maior.
Cabe aos políticos cumprir a parte que lhes compete para se confirmar aquela tese. Ver os governantes ocidentais aumentarem a idade para a reforma dos trabalhadores é não só socialmente injusto como ajuda pouco o mercado a absorver os desempregados.
Caminha-se, assim, no sentido contrário. A longevidade das pessoas é agora maior mas isto não significa que elas continuem de boa saúde, se sintam com mais força e consigam suportar a mesma carga de trabalho que suportavam com menos idade. Hoje, a morte natural vem mais tarde, mas já são poucos os trabalhadores que chegam aos 65 anos com uma vida normal sem quaisquer condicionamentos físicos.
É um facto, também, que a sustentabilidade da segurança social tem que ser garantida. Mas não deve ser à custa de mais sacrifício de quem sempre trabalhou no duro com salários baixos e reformas de miséria. Porque estes já não vivem a vida. Apenas sobrevivem.
É chocante, para o povo americano e europeu, ver a incompetência de alguns dos gestores das nossas vidas ser premiada com benesses absurdas e reformas milionárias ao mesmo tempo que enriqueceram na proporção directa com que o povo empobreceu.
Criar melhores condições de vida aos trabalhadores é não só um acto de justiça social e um direito que se reclama, como é também um dever de quem foi eleito para alcançar esse fim.
Ainda citando Churchill, “não basta dizer que estamos conseguindo fazer o melhor que podemos, temos de conseguir o que quer que seja necessário”."

3 comentários:

Paulo Edson Cunha disse...

Se me é permitido um apelo:
Bom dia,
serve o presente comentário apenas para informar os leitores do Blogue "Revolta das Laranjas" que o mesmo está inactivo por motivos alheios à minha vontade e desconhecidos de mim.
Com tempo, tentarei apurar responsabilidades e resolver a situação.
Se alguém souber como me ajudar, agradeço que o faça para o meu e-mail: pauloedson.cunha@gmail.com

Anónimo disse...

Pede ao Departamento de Informática da Rua Soeiro Pereira Gomes.

Anónimo disse...

Não percebo o que fazem aqui estes dois comentarios, ou seja o apelo e o comentario palerma afinal os da Soeiro até são espertos até conseguem entrar no blogue do outro.Mas o que interessa é comentar o que o sr. Reis escreveu, é uma realidade o que está neste texto, mas a continuar assim o sr. ainda vai ser acusado de agitador. Afinal quem é que aumentou a idade de reforma? quem é que não cria melhores condições de vida para os trabalhadores? Quem paga as reformas de miséria? Em suma quem governa?

Google