As obras de Santa Engrácia

Comente para o jornal Comércio do Seixal e Sesimbra.

Vou esta semana iniciar uma ronda pelas diferentes freguesias do concelho e irei, se me permitem, começar por Corroios, a freguesia onde resido.
O orago desta freguesia é desde 1570 a Nossa Senhora da Graça mas eu sugiro que seja alterado já este ano para Santa Engrácia.
Senão vejamos, fala o povo em obras de Santa Engrácia quando se refere a obras que nunca mais têm fim, por referência às obras da igreja com o mesmo nome, junto à feira da ladra, hoje Panteão Nacional. Tal facto deve-se às obras desta igreja terem-se iniciado em 1682, tinham os Filipes acabado de abandonar Portugal e somente terem terminado já em consolado salazarista em 1966! Uma saga de 284 anos.
Ora posicionemo-nos então no adro da igreja de Corroios e olhemos em frente, o que veremos?
Se disse,o viaduto inacabado da alternativa à EN10 acertou!
Foto A-Sul
Esta obra é paradigmática da incompetência e da forma de agir da CDU. Ainda hoje quando se passa no local podemos ver um cartaz onde se lê "Câmara Municipal do Seixal investimos nas acessibilidades" mas hoje se questionar algum membro do executivo camarário certamente vai ouvir a resposta: aquilo é responsabilidade do Governo... Então se era responsabilidade do Governo e quem estava a pagar a obra era o Carrefour (que se pretendia instalar no local) pergunto eu, que legitimidade tinha a Câmara para colocar um cartaz com aquela mensagem? NENHUMA - No âmbito do direito do consumidor este tipo de prática designa-se por publicidade enganosa.
Mas há mais, tive oportunidade de consultar este processo e a determinado momento consta do mesmo uma carta do proprietário dos terrenos onde a estrada termina (os viveiros de peixe instalados na zona) com o seguinte teor (grosso modo): estão a construir uma estrada no meu terreno, não o vendi nem fui expropriado, parem já!
Resultado, a obra parou e a Câmara ficou a suportar o aluguer do terreno pois as máquinas já lá estavam ou seja, mais dinheiro deitado á rua.
Vão-me desculpar a franqueza mas tenho dificuldade em imaginar bandalheira maior do que esta, uma entidade pública, a fazer uma obra pública em terrenos privados que não cuidou de adquirir e confrontada com a situação fica com a obra parada e a pagar renda ao proprietário por ter as respectivas máquinas em terreno alheio!
Mas as obras inacabadas em Corroios não se ficam por aqui, basta andarmos pouco mais de duzentos metros e estamos no moinho de maré, monumento encerrado desde o ano 2000 para obras de recuperação...Sobre esta matéria dizia-nos, na comemoração dos 600 anos deste monumento, ou seja em 2003, o Presidente da Câmara Municipal, pretendemos: «reabrir o Moinho de Maré ao público em 2004, visto estar na fase final de recuperação, uma obra que representa um elevado investimento, superior a um milhão e meio de euros. .../...».
Sem mais comentários... ESTAMOS EM 2008! Será em 2009 que poderemos usufruir deste património único do concelho?
Andando na mesma direcção temos o novo mercado de Miratejo...
Pode ler a história em poucas linhas aqui.
Depois da demolição dum mercado novo, o Vereador do Urbanismo em 3 de Dezembro de 2005, anunciava durante uma visita às obras que "O edifício organiza-se por quatro níveis altimétricos. O piso menos 2 é composto por um parqueamento com 164 lugares que tem um acesso em rampa feito a partir da Rua Adriano Correia de Oliveira" durante esta visita foi ainda anunciado um atraso nas obras de 3 meses... Pois é passado de três anos ainda não há parque de estacionamento em Miratejo, ou melhor ele está lá... Mas fechado!
Foto Mirastyle
Já pus esta questão ao executivo camarário, foi-me referido que a Câmara não tem dinheiro para pagar a segurança do local e por isso o parque apenas será inaugurado aquando da reorganização do estacionamento à superfície, leia-se, quando o mesmo for pago!
Mas pergunto eu, aquando da decisão de construir o parque a necessidade de segurança no local não se punha já?
Evidentemente que sim! Então porque desde logo não foi acautelada esta situação?
A resposta é simples e reside na total incapacidade gestionária do executivo CDU à frente da CMS.
Se já analisamos o que se passa dum lado da EN10 nesta freguesia debruçemo-nos agora sobre as restantes localidades desta freguesia, a ocidente desta importante via fica a sede administrativa da freguesia. E o que temos aqui? Uma sede de Junta que envergonha os habitantes desta freguesia e um mercado que não reúne as mínimas condições, quer em termos de acessibilidades, quer em termos de habitabilidade e salubridade.
Estranhamente com um mercado velho e sem condições em Corroios a Câmara optou por demolir um mercado novo em Miratejo, para aí fazer um novo, ele há coisas fantásticas, não há?
Passando pelo paradigma acabado de mau urbanismo que é a urbanização de Santa Marta do Pinhal, onde a construção massiva foi autorizada sem que a Câmara acautelasse fosse o que fosse, em termos de qualidade de vida das populações, a começar pelo mau urbanismo, passando pela falta de equipamentos colectivos e acabando na gritante falta de acessibilidades, chegamos aquela que é uma das chagas deste concelho o bairro de barracas de Santa Marta do Pinhal.
(Foto Philodoxos)
Por vezes uma imagem vale mais que mil palavras, parece-me ser o caso...
Esta fotografia foi tirada em Portugal, concelho do Seixal, freguesia de Corroios em pleno sex. XXI, é verdade!
Neste nosso périplo a próxima paragem é Vale de Milhaços e mais uma promessa esquecida da Câmara Municipal do Seixal. A museulização da antiga fábrica da pólvora negra de Vale de Milhaços.Atente nesta notícia publicada no jornal digital Setúbal na Rede em 6 de Fevereiro de 2001:
"A fábrica de pólvora do Seixal, propriedade da Sociedade Africana de Pólvora, instalada em Vale de Milhaços, vai dar lugar à musealização de todo o circuito de fabricação da pólvora. A decisão foi tomada pela Câmara Municipal e já aprovada em sede de Assembleia Municipal, fazendo parte deste projecto um conjunto de parceiros, entre os quais se conta a autarquia, o Ecomuseu do Seixal, a Sociedade Africana de Pólvora e a empresa proprietária dos terrenos."
Passados 7 anos veja como este imóvel, classificado pelo IPPAR, é utilizado:


Enfim, se vive em Corroios não desespere, pode não ter alguns dos equipamentos prometidos mas tem muitas outras coisas que outras freguesias não têm, por exemplo é na sua freguesia que são depositados TODOS os lixos cos concelhos de Almada, Seixal e Sesimbra e a maioria dos entulhos recolhidos na cidade de Lisboa.
Foto Amarsul

12 comentários:

Anónimo disse...

Senhor Vereador se há alguém incompetente em relação à Alternativa à Nacional 10 é o Governo do Partido Socialista! Sabe V. Excª que a declaração de utilidade pública está à espera há mais de um ano de uma aprovação no Ministério da Agricultura! Por isso V. Excª não passa de um mentiroso que mente descaradamente à população. Aliás é ou não verdade que V. Excª foi apanhado em reunião de Câmara a segredar com o seu colega de bancada Menezes Rodrigues, em que lhe disse em relação à Ponte da Fraternidade para votar favoravelmente a declaração publica na reunião de Câmara que depois o PS no governo não dava o despacho...

Anónimo disse...

Não percebo:
-A declaração de utilidade pública está á espera de despacho há mais de um ano, para uma obra que começou á quantos anos?
-E quanto tempo acresce relativamente ao lançamento do projecto?
-Há quantos anos está a obra parada???
-Será que seguia para parte nenhuma..para que não se previsse o precurso?
-Quanto paga a câmara de aluguer "imposto" ao proprietário do terreno relativamente ao qual não acautelou a inevitável ocupação em termos de utilidade pública?
-Quanto tempo decorreu, e quanto custou a ocupação do referido terreno, desde a sua ocupação efectiva, até o pedido de utilidade pública?

Moisés disse...

Senhor vereador veja a situação do Pinhal de Frades, Fernão Ferro, Vila Alegre e Pinhal do General.
Preocupe-se também com esta área, ou ela não se traduz em votos?
Aqui, Arrentela e Fernão Ferro os presidentes das Juntas são autênticos autocratas arrogantes fazem o que querem e passam atestados de estupidez á população.
Faça algo.

Felismina Garcia disse...

Foi com imenso desgrado que recebi a noticia que o senhor vereador compactuava com algumas ilegalidades que foram levantadas nos blogues Rumo a Bombordo e Revolta das laranjas.
A ser verdade sentir-me-ei enganada já que confiei o meu voto no PS e os seus representantes neste concelho não dignificaram o estatuto para o qual foram eleitos.
Mais me espanta que não tenhão vindo a publico repor a verdade.
Como para mim quem cala concente, para o ano aqui estaremos afim de acertar as respectivas contas.

juca disse...

OI o pessuau aqui parece que toma os rebuçados para chupar.
Não tÊm ideais io.

inácio disse...

Comentar o quê. Não há nada para comentar. Os comunas não vêm um BOI do tamanho do Cristo Rei em frente da cabeça.

Tarciso disse...

Deixem-se de obras e limpem mas é o concelho. Verifiquei agora mesmo que em Fernão Ferro a casa do Carlos Pereira está envolta em sucata e ele continua a apregoar que está tudo bem e muito florido.
Se formos para as outras freguesias é a mesma coisa, lixo lixo e mais lixo.
Deve ser uma cina dos COMUNAS. O que é que se faz ao lixo?
ATERRO
Perceberam?
RUA com os COMUNAS

Anónimo disse...

Sr. Vereador só não percebo como escolheu para viver uma freguesia com tantos problemas...exceptuando claro o do aterro, esse está no sitio certo, bem pertinho de si para não destoar.

Anónimo disse...

As instituições públicas do governo PS são culpadas de algumas situações existentes no concelho do Seixal mas é por não terem movido os respectivos processos de perda de mandato para os autarcas da maioria CDU na Câmara do Seixal. Com tanta ilegalidade já deviam ter sido objecto de processo de perda de mandato para a população conhecer realmente quem são os autarcas da CDU. A urbanização de Sta Marta do Pinhal desrespeitou o PDM, o viaduto de Corroios foi feito sem licença sem concurso sem expropriação dos terrenos necessários, à pressa para mostrar nas eleições, em troca sabe-se-lá bem do quê tudo isto é mais do que motivo suficiente para perda de mandato dos autarcas da maioria CDU no Seixal. Alfredo Monteiro preocupa-se muito com as notícias que faz sair no boletim municipal e em vários sítios para que conste que o Seixal é um concelho que integra a emigração que se preocupa com os desprotegidos pena é que não mostre a triste realidade do bairro de barracas de Santa Marta onde residem em condições desumanas para cima 500 famílias. Isso escondem para poderem continuar a dizer que são um concelho modelo. Mas modelo são da incompetência, do atraso, da falta de cidadania e democracia. Um concelho sem planeamento sem regras onde a lei é aplicada consoante a pessoa a quem se vai aplicar. O concelho do Seixal na sua freguesia de Corroios tem uma lixeira que perturba os moradores com maus cheiros insuportáveis. Com tanta coisa má para ver neste concelho não se justifica que o Moinho de Maré de Corroios que é um dos poucos edifícios antigos que ainda restam neste concelho e que é de uma beleza incontestável esteja como vimos abandonado pelo poder autarquico CDU. Não há ponta por onde se pegue. A gestão CDU está caduca. É urgente mudar. Nas eleições em 2009 os habitantes deste concelho não podem ficar em casa, têm de ir votar, está em jogo a qualidade de vida da população do Seixal.

Anónimo disse...

A CDU na Câmara Municipal do Seixal vive à base de negociatas. Se assim não fosse não tinha demolido o edifício do mercado de Miratejo edifício novo e em bom estado e que tinha sido construido com o dinheiro do erário público, para depois irem fazer com o Lidl os negócios habituais que o Sr Presidente Alfredo Monteiro e seus Vereadores gostam de fazer com o pessoal do capital. O que era um mercado municipal num lugar privilegiado é hoje uma loja do lidle e pouco mais. Decência para estes autarcas comunistas precisa-se!

Anónimo disse...

Ó anínimo das 1:56, então porque não falas n as negociatas com AMGonçalves.
A contrapartida foi a admissão do filho do presidenta na empresa.

Há Há há

que esperto são estes sovieticos.

Anónimo disse...

Já que está a talhe de foice, sr. vereador Samuel, quando for visitar a Freguesia de Amora não se esqueça de assinalar o aglomerado de barracas que se amontoam na Cruz de Pau perto da rotunda do lado direito no sentido Amora Corroios e junto à vedação do Centro de Formação Profissional.
Tal como acontce noutros locais a Camara e a Junta de Freguesia estão à espera que as barracas aumentem de volume para pedirem apoio do governo e inscrição no PER para resolver o problema.
Há ! e a culpa é do governo. Claro.

Google