Os grandes obreiros do desenvolvimento de Fernão Ferro


Tendo a Freguesia de Fernão Ferro nascido por desmembramento das freguesias da Arrentela, Paio Pires e Amora, herdou problemas urbanísticos que só a inércia da administração da CDU, que domina a Câmara Municipal desde 1974, os pode explicar.
Com uma posição geográfica privilegiada, na rota das praias, a 20 minutos do centro da capital, rodeada de estradas e servida de transportes colectivos, a Freguesia de Fernão Ferro devia e podia estar mais desenvolvida.
Todavia, muito do que já se fez não se deve à Câmara Municipal mas sim aos proprietários das AUGI.
A Junta o que tem feito muito é desperdício e propaganda enganosa.
Descartou-se do Posto dos CTT, que em 2001 utilizou como uma bandeira eleitoral, para andar agora a fazer turismo à conta dos contribuintes.
Com 15 mil pessoas, a freguesia ainda não tem hoje um super-mercado digno desse nome, as zonas verdes não existem, a falta de escolas atira as crianças para fora da freguesia e muitos moradores andam a beber água transportada em canalizações que contêm amianto, uma substância cancerígena, de elevado risco para a saúde pública
Dizer, como diz o presidente da Junta e a propaganda eleitoralista da CDU que Fernão Ferro é uma Freguesia Florida, moderna e com grande qualidade de vida, é ridículo.
Quem reside nela ri-se com isto.
Como se pode, no séc. XXI, chamar moderna a uma freguesia da área metropolitana de Lisboa que ainda tem mais de metade das suas ruas por pavimentar, a esmagadora maioria da sua população não tem ligação à rede de saneamento básico e muitos moradores ainda têm que ir buscar água ao fontanário e nem sequer energia eléctrica têm?
Isto para não falarmos de outras “modernidades” que têm merecido a indignação geral por afectarem também a saúde publica e a qualidade de vida dos moradores.
Não fosse o empenho dos proprietários dos lotes das AUGI, e os muitos milhões de euros que já pagaram para as infra-estruturas que se vão fazendo, a esta hora a freguesia ainda não teria chegado aonde chegou, pois até os passeios são pagos por estes.
A população de Fernão Ferro tem sido a mais sacrificada de todo o concelho e já está cansada da repetição de um discurso de promessas em que já ninguém acredita.
Será que a freguesia vai ter um pavilhão multiusos como a Junta andou a propagandear ou será apenas gimnodesportivo?
E o cemitério será que vai mesmo ter crematório?
Indiscutivelmente, os grandes obreiros do desenvolvimento de Fernão Ferro têm sido os proprietários das Áreas Urbanas de Génese Ilegal.


Fernando Reis
Publicado no Jornal Notícias da Zona

5 comentários:

Maria Antónia disse...

Já vivo em Fernão Ferro há 16 anos e já dei filhos a esta terra e eu e muitos moradores já demos rios de dinheiro à câmara do Seixal.
E o que é que a câmara já fez na Quinta da Lobateira?
Eu respondo: Nada.Nada.Nada.
E a Junta de Freguesia?
Nada.Nada.Nada.
É uma vergonha a Junta andar a fazer turismo à nossa conta em vez de zelar mais pela freguesia.
Não posso estar mais de acordo com o que o sr.Fernando Reis diz.
Só lhe peço que continue a ser a voz incómoda que tem sido.
Bem precisamos dela e digo isto porque apesar de cá em casa termos votado sempre PSD o sr. já conquistou a nossa admiração.Bem haja.

Anónimo disse...

Maria Antónia
Quem te mandou comprar uma quinta clandestina ? Tens o que mereces.
Estás enganada os Reis acabaram em Portugal com o fim da monarquia.

Alfredo disse...

Este camarário estará a reflectir as preocupações sociais do seu patrão?
Felizmente a Maria Antónia ainda vive na República Portuguesa e não na pôrra da heróica monarquia Coreana onde o comunismo passa do pai para o filho com muito whisky,sexo e faustos manjares na côrte proletária tão reverenciada pelo PCP enquanto os seus servos morrem à fome.
Comprou uma quinta...então os que compraram 5 e 6 lotes são previlegiados pela Câmara?
Diga ao seu patrão que já chega de nos enganar. do

Anónimo disse...

Este camarário não será mais conhecido por sardinha?

Anónimo disse...

Realmente é muito triste a 5 anos que estou na pior zona de Fernão ferro r. Trabalhador pelos vistos nunca se trabalhou nestas ruas o mais giro é a luz e o saneamento que não existe, estradas sem passeios... uma vergonha a 20 minutos de Lisboa, o que é mais incrível e giro é ouvir um ano inteiro que vai ser construído um aeroporto novo e o tgv...

Google