A maior lixeira do Mundo é flutuante


Nas águas cristalinas do Oceano Pacífico há 10 milhões de toneladas de plástico e detritos que se têm aculmulado. Uma imensidão dividida em duas massas de resíduos: uma junto aos EUA (Sopa Ocidental), a outra junto ao Japão (Sopa Oriental). As duas sopas em conjunto têm aproximadamente o dobro do tamanho dos Estados Unidos!
Águas cheias de sacos de plástico, peças de lego e frascos de shampoo, contam-se entre os dejectos.
Charles Moore que descobriu a denominada "Sopa Ociental da Grande Mancha de Lixo", encontrou a zona por mero acaso quando regressava de uma regata no Hawai e diz: "Só quando dentro da lixeira é possível observá-la, pois do céu esses detritos são como que invisíveis".
Os resíduos de plástico podem chegar aos 90 metros abaixo do nível do mar, ultrapassando o equivalente à altura dos tabuleiros da ponte 25 de Abril.
A causa do aparecimento destas zonas, além do desleixo humano, deve-se ao facto de, no Pacífico Norte, os ventos serem fracos e os sistemas de pressão extremamente altos, o que faz com que as águas circulem lentamente e em espiral. Por isso se acumularam ali 100 milhões de toneladas de plástico, provenientes quer de navios e plataformas petrolíferas, quer dos mais variados pontos da terra.
Resta apenas acrescentar que as consequências são nefastas e que além do próprio ambiente, também todos os anos um milhão de aves e 100 mil mamíferos marinhos morrem ali por confundirem os plásticos com comida.
Pensem nisto em todos os gestos do dia a dia, por favor.

Sem comentários:

Google