Desenvolvimento local

Uma das principais funções de um município responsável deveria ser a promoção do desenvolvimento económico e da criação de postos de emprego para os seus munícipes. A autarquia seria então a âncora de sustentação do próprio concelho, pelas sinergias de desenvolvimento criadas, garantidas pela mão-de-obra dos munícipes que garantiriam o seu próprio bem-estar social.
Uma experiência comprovada em planeamento, orçamento, gestão de projectos e em desenvolvimento local e sectorial, bem como, conhecimento em arranjos locais, economia, gestão empresarial, metodologias e técnicas de desenvolvimento local.

Reportando ao Concelho do Seixal, as bases de um fundamentado desenvolvimento teriam de ter traçados os seguintes objectivos:
- valorização da marca Seixal
- a aposta na captação do turismo de alto nível
- a real efectivação de uma recuperação do património edificado e natural
- a captação de eventos para o Concelho
- a criação de campos de golf/cais de acostagem (marinas pequenas), bem como de algumas unidades hoteleiras
- colocar o interesse turístico e social numa fasquia elevada, passando a deter maior relevância, tendo entendimento prioritário nos serviços
- uma preferência pela escolha do parceiro universidade versus empresas de consultadoria - mais baratas e mais capacitadas funcionalmente
- captar actividade industrial
- dinamizar o gabinete de apoio ao empresário
- criar agências locais de desenvolvimento.

3 comentários:

Anónimo disse...

A CDU em maioria na camara municipal não necessita de desenvolver nada nem turismo nem undustria nem nada. Não precisa de criar empregos porque a camara do seixal é o maior empregaor dos militantes comunistas e é suficiente não há é lugar para ninguem que não seja do partido. Para além dos empregos na camara ainda há outros que são controlados por eles CDU que são lares centros de dia entre outros. Logo se estão todos empregados para que vão eles preocupar-se a criar postos de emprego para quem não é do partido? Ainda baixava a taxa do desemprego. Estes senhores não estão preocupados com o bem estar da população não estão preocupados com os nossos jovens desempregados. A população deste concelho tem de acordar. Estes senhores só estão preocupados em dizer mal do governo que é disso que se alimentam e de manifestações, de compadrio, e corrupção.

Paulo Edson Cunha disse...

Querem saber o que a Câmara respondeu ao último requerimento do PSD/Seixal? clique na Revolta das Laranjas, aqui:
http://pauloedsonc.blogspot.com/2008/05/psd-seixal-pretende-ir-visitar.html
E dê o seu contributo.

Ponto Verde disse...

BRAINSTORMING

Estou de acordo na generalidade, mas :

Antes que tudo um autarca, como um gestor tem que rentabilizar da melhor forma aquilo que existe, definir o seu "produto".

Depois defender e potenciar o que é único , melhorar os pontos fracos, potenciar os fortes e ponderar se a inovação compensa.

Não foi isso que foi feito, todo o concelho se descaracterizou, deixando de ter uma matriz única e logo, uma vantagem competitiva , a mancha urbana, legal e clandestina alastrou e condicionou turismo, indústria e ambiente.

Não se requalificou os centros urbanos de arquitectura tradicional, cresceu-se para a periferia derrubando floresta , ela também factor de atracção em termos turisticos e vantagem ambiental...

Os eventos são bem vindos, mas , nem todos... e têm de deixar de estar condicionados à lógica e ao serviço promocional da Festa do Avante.

O Golfe é bem vindo , mas não num Sítio Rede Natura , porque não se requalificam, recuperam e limpam e reflorestam os terrenos junto ao Fanqueiro, antiga SPEL , para esse fim ?

O Hospital, se tiverem capacidade publica e/ou investidores é também bem vindo, mas também não para um Sítio Rede Natura, usem a requalificação dos terrenos da Siderurgia, ou os PP da Torre da Marinha ou da Amora para o efeito !

A actividade industrial não pode continuar com a mesma lógica de baixos salários baixas qualificações, mão de obre intensiva. É isso que dá votos ao PCP, mas não é isso que interessa ao Seixal, continuar por aqui é continuar a engrossar a arqueologia industrial e as deslocalizações.

Os empresários não precisam de gabinetes de apoio, basta que não lhes criem dificuldades burocréticas e "outras" e que tenham para investir, não um concelho urbanisticamente caótico, mas sim uma rede urbana estruturada e infraestruturada de qualidade.

Agências de desenvolvimento, gabinetes de apoio, entidades promotoras, entidades de acompanhamento, unidades de missão, desculpem mas cheira-me a demasiada burocracia...basta que não ponham o vereador Silva a promover o Seixal em Feiras do Imobiliário e afins.

Google