Artigo publicado no jornal "Comércio do Seixal"

Santana Lopes terá chamado “Socialista de meia tigela” a José Sócrates. Trata-se, obviamente, de uma expressão infeliz, pela qual, aliás, o próprio já se retratou.
Acontece a todos. O próprio José Sócrates, dirigiu-se a Francisco Louçã, no Parlamento o mês passado, dizendo que Louçã “não tinha idade nem curriculum…”, sendo Louçã mais velho e as diferenças de curriculum objectivas…
Pessoalmente não valorizo estas questões, o calor do debate político por vezes conduz a excessos, e eu, sempre prefiro quem autenticamente põe paixão no que faz, do que os frios e cínicos cerebrais. Isto sem falar naqueles que fazem do silêncio a sua forma de estar na política, desses, desconfio e muito!
Entretanto, Santana já se retratou, explicitando que poderia usar outras expressões com o mesmo significado, querendo em todo o caso verbalizar a ideia que a Governação de José Sócrates não é de matriz Socialista.
Se não nos agarrarmos à forma, mas ao conteúdo do que foi dito, temos então que Santana labora em dois erros:
- Em primeiro lugar, não entendeu o que é o Socialismo no Séc. XXI, reportando-se, nesta afirmação, ao paradigma do welfare state vigente no século passado. Sendo que hoje a esquerda responsável procura o bem-estar de todos, proporcionando a todos a possibilidade de criarem riqueza em condições de igualdade, e introduzindo mecanismos de redistribuição equitativa.
- E, em segundo lugar, não vislumbrou Santana, o que é a riqueza do PS, enquanto partido enformador da democracia portuguesa e europeia. Se olhar à sua volta Santana verá que o Partido Socialista Europeu acolhe no seu seio os Partidos Socialistas Europeus, entre os quais o PS, os Partidos Sociais Democratas Europeus (no qual não se inclui o PSD) e o Partido Trabalhista…
O PSD é da família política do PP na Europa e ambos fazem parte do Partido Popular Europeu… Aliás Santana diz sempre o PPD/PSD. Ora o Partido Popular Europeu é um agrupamento partidário democrata cristão/conservador…
Para não ser mal entendido, não afirmo que Santana é um Social-Democrata de meia-tigela, direi apenas recorrendo à sabedoria popular: “Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és.”
Quanto ao tema da morte recentemente ocorrida nas antigas instalações das oficinas da Câmara Municipal, não me alongarei, pois a minha posição já é pública, darei a palavra aos leitores, estou certo que interpretarão esta justa indignação melhor que eu.

Sem comentários:

Google