Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és.

Quem pensou que o post que publiquei ontem era mentira acertou, foi a nossa partida do dia das mentiras. O Seixal não vai ter hóteis, equipamentos de lazer, espaços públicos agradáveis e apelativos junto à Baía, mas o post de hoje, posso-vos garantir, é verdade, apesar de parecer mentira... Conhecem aquela expressão: "Que bem prega Frei Tomás, faz o que ele diz não faças o que ele faz"?
Ora, não é só na compra de sociedades como a Ferimo - Sociedade Imobiliária, S.A., detentora da Quinta da Fidalga, que a Câmara do Seixal, administrada pelo Partido Comunista Português há mais de trinta anos, se tem especializado. A CM Seixal também gosta de se envolver com sociedades de fachada, como é o caso da empresa off-shore, Urbangol Limited.
A Urbangol Limited é uma sociedade com sede em Gibraltar, uma zona franca livre de impostos. É esta sociedade a suposta proprietária do Bairro da Jamaica - Vale de Chícharos, uma das piores chagas sociais do nosso concelho (na foto). Ali estava prometido acabar-se com as Torres existentes, realojando na Quinta da Cucena, os que dali saissem. Até hoje...

No Diagnóstico Social do Seixal, disponível em PDF no site da CM Seixal, surge o Plano de Acção para a referida zona.
«É nosso parecer convicto de que, qualquer tipo de intervenção que se possa realizar no imediato, não resolve os problemas de fundo vividos por aquela população, sendo que, o realojamento integral daquelas famílias, será a única solução que poderá permitir uma vivência segura, salubre e que devolva dignidade aos habitantes de Vale de Chícharos.
No entanto, e na eventualidade de não ser possível, a curto ou a médio prazo a concretização desta medida, seria importante efectuar algumas intervenções, ainda que não resolvam a situação, temporariamente poderão minimizar os problemas que actualmente se vivem no Bairro.
Consideramos, pese embora o facto de se terem abordado algumas perspectivas de mudança no contexto habitacional, conforme parece demonstrar o protocolo celebrado recentemente entre a empresa “URBANGOL” e a C.M.S., urge intervir rápida e articuladamente nesta realidade sócio-geográfica, pelas condições graves de insalubridade, remetendo mesmo para uma desumanidade das vivências.
Assim, não nos parece de todo incoerente que a empresa proprietária, assuma um papel colaborante na acção proposta, através dos meios logísticos, materiais, humanos, etc., que se venham a revelar necessárias, enquanto parte interessada no processo.»


Como curiosidade, convém referir que, em listagem actualizada dia 31 de Março de 2008, o Contribuinte nº 980202418, ou seja, a Urbangol Limited, surge na listagem da Direcção-Geral dos Impostos dos Contribuintes Colectivos (pág. 53), entre os grandes devedores ao fisco.


Pois é, que bem prega Frei Tomás...

3 comentários:

ana disse...

Desculpe mas este post parece que tem mais a ver com o doa 1 de Abril do que o do referido dia.
É mesmo anedótico.
Não é possivel se proceder à alienação do espaço para pagamento da dívida? penso que seria justo.
Poderia o mesmo ser usado a favor de um qualquer equipamento a ser executado no futuro pelo Estado, e assim era menos um problema a travar com a autarquia quando se torna necessário executar seja o que for e esta levanta sempre obstáculos.

Velas do Tejo disse...

Há dez anos atrás um primo meu, propos-me uma sociedade num franshising de Lavandarias. Não aceitei. Achei que não devia abandonar uma carreirano no principio para passar o resto da vida a cheirar a desinfectante de roupa. Hoje, o meu primo é rico e já não trabalha, eu tenho a minha carreira e acordo todos os dias às 6 da manhã...

Perdoem-me mas eu entendo-os! É que depois de largar a politica, será muito dificil continuar a acordar cedo.

mariodasilva disse...

"É que depois de largar a politica, será muito dificil continuar a acordar cedo."

Mas os gajos acordaram cedo alguma vez na vida? Chiça!

Google