Uma nova experiência

Desde que nasceu o Rumo a Bombordo, logo se percebeu que o seu criador, pelo seu estilo, pela sua tenacidade e perseverança, estava a dar à luz um instrumento de comunicação que rapidamente muitos lhe iriam reconhecer o mérito de uma intervenção politica séria e descontraída.

Hoje o Rumo a Bombordo é já uma referência no nosso concelho e o convite que me foi endereçado pelo seu criador em fazer parte da equipa de "autores residentes", é para mim uma honra e um desafio. Vou tentar dar o meu humilde contributo para que os nossos leitores sintam, cada vez mais, que este projecto, embora politicamente conotado com o ideal socialista, não está amarrado a dogmas e não serve poderes instalados, sem que isso signifique o desrespeito pelos valores democráticos plasmados na Declaração de Princípios do nosso Partido.

Depois deste intróito, sempre bonito, dirão alguns, mas com pouco sumo, dirão outros, permitam-me que felicite o Governo pela medida hoje anunciada de, brevemente, vira baixar o IVA em um ponto percentual.

Claro que já ouvimos as mais diversas reacções de aplauso, de desdém, de chacota no bom estilo do Alberto João; mas há que considerar que representa um sinal positivo no alívio da carga fiscal; sendo um passo numa caminhada que se espera nos leve novamente a valores de forte crescimento, mas sustentado. Portugal precisa e o esforço que foi pedido aos portugueses deve ser compensado.

Sabemos que uma parte desta receita não cobrada pelo Estado, será absorvida pelo aumento dos preços, sem reflexo directo positivo na bolsa do consumidor assente numa redução dos preços; mas se assim vai acontecer, um facto é inegável, o Estado, com esta medida, prescinde de uma receita previsível de cerca de duzentos e cinquenta milhões de euros que ficarão no sector privado. Esperemos que a medida seja aproveitada da melhor forma; as empresas que têm margens de lucro consideráveis devem aproveitar para promover a redução de preços a bem do consumidor e da sã concorrência, as empresas que tenham dificuldades e estejam sem margens de lucro que sintam algum oxigénio na sua desejada revitalização.

É pouco, todos sabemos, mas é uma ajuda.

Sem comentários:

Google