Por uma nova geração de políticas autárquicas



Passados mais de 30 anos sobre a implantação do Poder Local Democrático está, na maioria do território nacional, concluída a primeira fase da geração de políticas autárquicas. Primeira fase esta que correspondeu, no geral, ao período de infra-estruturação do território, construção de estradas, instalação dos sistemas de saneamento, construção de equipamentos vários e adaptação das instalações autárquicas às novas necessidades.
Infelizmente, no Seixal ainda muitas destas tarefas estão por realizar. A carência de equipamentos é notória (até um cemitério está por fazer há anos, apesar de sucessivamente prometido), a rede de saneamento é incompleta e o seu tratamento só agora começa a ser efectuado (por privados), a própria Câmara - pasme-se - não teve sequer capacidade de construir as suas oficinas, nem o seu edifício central de serviços, razão pela qual a edilidade, nos próximos anos se encontrará na difícil situação de ter que pagar rendas que rondarão os 400.000 (quatrocentos mil euros mensais), sim não me enganei, escrevi QUATROCENTOS MIL EUROS MENSAIS!
Mas houve muita festa, dirão alguns... Têm razão!
É urgente mudar este cenário, e é nesse sentido que a 2ª Geração de Políticas Autárquicas se apresenta como a resposta correcta no tempo certo. Estas políticas pretendem consolidar três vectores da sociedade, de modo a melhor compreender e responder às necessidades sociais das localidades. São eles:

- Dinamização económica / criação de emprego
- Qualidade de vida
- Cidadania solidária / inserção social

De facto, só a dinamização do tecido empresarial trará desenvolvimento económico e, com este, chegará a consequente criação de riqueza e emprego, consequências essas que, por sua vez, levarão, necessariamente, à melhoria dos índices de qualidade de vida, atingindo-se desse modo um maior nível de coesão social, rumo ao que se poderá designar como cidadania solidária.

6 comentários:

ana disse...

Como ponto de partida é realmente um facto que só a dinamização do tecido empresarial trará desenvolvimento económico, mas e há sempre um mas, há que se criar condições para que tal possa acontecer, e, essas condições passam obrigatòrimente pelo poder politico, e temos que concluir que o que governa o Seixal no tem sabido responder às exigências.
Assim é urgente que uma nova geração surja, uma geração sem tabus, uma geração que olhe o futuro do país e não o seu mesquinho futuro próprio, uma geração com projectos que vão para além dos interesses instalados, com capacidade de visão, de intervenção, de decisão, que quando projecte por exemplo uma ponte seja com uma visão de resolver problemas futuros e não passados. Enfim precisamos urgentemente de uma classe política que seja proactiva, penso e por mim falo que estamos fartos de reactivismo.

Velas do Tejo disse...

Vinte milhões de euros!

Mais coisa menos coisa, será este o estrago em alugueres de instalações durante um mandato.

É mesmo assim ou estou a delirar?!Ai Silva, Silva! Livra!

Anónimo disse...

Vinte milhões de euros? Socorro! Socorro! Socorro! Livrem-me destes comunistas que me gastam mal gasto todo o meu dinheiro, o da água 50% a mais do que devia, o do imposto sobre imoveis (contribuição predial) o imposto automovel parte do meu IRS e outos pagamentos à autarquia certidões licenças de construção limpezas de fossas mudança de contadores etc. Estes PCPs sugam o povo. Socorro! Povo da minha terra não votes CDU/PCP.

Operário da CMS disse...

Quero aqui manifestar o meu apoio ao Engº António Marquês e dizer-lhe que muitos na camara sentem o mesmo que ele. Bem haja pela sua coragem.
Um abraço.

Anónimo disse...

A camara do seixal já vai muito à frente nas politicas de 2ª geração autarquicas. Criação de emprego não digam que não criou muito emprego para os amigos do partido e afins? Estão lá todos na CMS. Qualidade de vida os autarcas da camara do seixal têm como exemplo de qualidade de vida a sua propria vida, bons carros bons hoteis bons fatos etc querem melhor exemplo de qualidade de vida? Cidadania solidaria. Solidarizam-se entre eles mais ou menos consoante a categria partidaria e com cuba. De vez em quando também se geminam com alguém. E inseridos o exemplo também é o seu deles. Alguém que tenha coragem de dizer que os nossos autarcas não se inseriram bem! Estão inseridos até à raiz do cabelo.

www.jsdseixal.com disse...

"Contributos para uma política de juventude no concelho do Seixal"

Ver tudo em:

www.juventudeseixal.blogspot.com

www.jsdseixal.com/blog

Google