Colibri (Pureza e Desejo)

«Sabes que não sei muito mais
Do que aprendemos os dois
Em livros secretos
Tentámos fazer melhor

Como dois cristais cor de anil
Que se olham de frente e perfil
Pureza e desejo
E um toque de mão gentil

Quero ver se não respondes,
desta vez puxei por mim
Canto, voa
No bico de um colibri

Se quiseres fazer de conta
Que não viste como eu vi
O fogo que arde
No peito de um colibri

Cravejámos de ondas e sal
Não quisemos ver o areal
Deserto das cores
Com que pintámos amores

Não quero saber muito mais
Só quero saber se onde vais
Regressaste a ti?
Só quero ver-te feliz

Quero ver se não respondes,
Desta vez puxei por mim
Canto, voa
No bico de um colibri

Se quiseres fazer de conta
Que não viste como eu vi
O fogo que arde
No peito de um colibri
O fogo que arde
No peito de um colibri...»

Luís Represas

P.S: Feliz Páscoa a todos, tempo de renascer em Pureza.
Feliz aniversário também, se for caso disso.

1 comentário:

josé Assis disse...

Um dia mostro-te um CD muito interessante sobre a PAZ que me ofereceu a Dalila da UNIPAZ, associação cujo mentor é Pierre Weill e que tem como base a formaçao holistica. O simbolo é o beija flor. Navegar é preciso.

Google