QUATRO NOTAS COM DÓ

Nesta primeira metade de mandato autárquico notei, no concelho do Seixal, um grande aumento da participação cívica. Na realidade hoje é possível a qualquer cidadão interessado receber, no conforto da sua casa, dois jornais locais e consultar vários blogs que vão dissecando a forma de actuar da Câmara Municipal do Seixal, que se resume, na minha opinião como: despesista, laxista e propagandística. Transcrevo pois, por fazer um enquadramento sintético, realista, actual e conhecedor, o texto publicado por António Marquês, meu colega de página no Jornal Comércio do Seixal, na edição da passada semana do Jornal do Seixal.

"I) Quem leu o destacável do “Boletim Municipal” de 18 de Janeiro último ficou com a sensação que a Câmara do Seixal se transformou num autêntico investidor em acessibilidades, tal a profusão de informação sobre o tema que aquelas páginas encerram e a maneira como é transmitida. Mas, no entanto, aquilo são apenas os desejos, as reivindicações, tudo em grande, mas para os outros (leia-se Governo Central) executarem. A realidade é que quando nem a ponte da Fraternidade alargaram (quando estava previsto para 2007 fazê-lo), quando a estrada da Verdizela está como relatava o leitor David Ferreira no último nº deste jornal, quando a alternativa à EN 10 andou apenas 2 Kms em 17 anos por incompetência dos decisores da Câmara (e quando Almada terminou a sua parte em 1991), que mais podem fazer? Apenas o que sabem: reivindicar…
II) Quem leu ainda esse mesmo “Boletim Municipal” ficou ao corrente de que a Câmara está exultante com a construção dum 2º lar para idosos no concelho, este no Seixal. No entanto, a Câmara irá assegurar apenas a execução dos arranjos exteriores e vá lá, vá lá. É que os cerca de 20.000 idosos do concelho têm servido apenas como feudo do voto útil e mais de 30 anos depois do tão proclamado Poder Local democrático continuam a ser enganados com o papão dos “malandros do Poder Central” que são insensíveis às necessidades desta faixa etária. Mas é preciso escrever, mais uma vez, que apesar de não ser das suas competências, se a Câmara fosse mesmo amiga dos idosos já tinha construído um lar em cada freguesia, como muitas outras Câmaras ao longo do país já o fizeram. Como terreno não é problema, bastava apenas passar o “Boletim Municipal” para mensal e, com os 540.000 contos poupados por mandato, faziam dois lares. Bastavam dois mandatos. Quem é amigo, quem é?
III) Muito se tem escrito à volta do problema, doloroso agora que também atingiu o emprego dos trabalhadores, surgido com a “Cooperativa pelo sonho é que vamos”, instituição que me merece, pelos fins que prossegue, o maior respeito.
Num dos jornais do concelho li, em 18 de Janeiro, que as exigências postas pela Segurança Social orçariam em cerca de 25.000 euros (cinco mil contos) e teriam 45 dias para serem executadas. Teria sido mesmo assim?
É que se foi, não teriam razão de ser as lágrimas de crocodilo derramadas pela Srª. Vereadora da Acção Social, explanadas no mesmo jornal. Então a Câmara não tinha 5.000 contos (que é o que gastam em telemóveis em 15 dias) e 4 trabalhadores para fazerem as tais alterações em 3 semanas? Ou pretendeu-se, apenas e como sempre, esticar a corda para os outros passarem por maus? A Câmara fez mesmo tudo o que podia fazer para ajudar a cooperativa?
IV) Quem leu o último nº deste jornal, há-de ter visto na pág. 10 um aviso da Câmara do Seixal a esclarecer sobre um concurso público aberto antes. E que tratava o concurso? Isto: prestação de serviços de manutenção de espaços verdes públicos em Miratejo.
Leu bem, leitor: privatização de serviços camarários, que traz consigo inevitavelmente, dado o tipo de trabalho e concessão) mais precaridade no emprego, para além de outros males associados. Depois da limpeza dos seus edifícios e do serviço de portaria dos mesmos, vem a manutenção dos jardins. Que virá a seguir? Não esquecer que quem manda na Câmara é o Partido Comunista, que tanto e bem tem lutado contra esta prática.
Confuso, leitor? Não vale a pena.
Isto é apenas uma amostra da contradição (para utilizar uma palavra simpática) em que sempre navegou esta ideologia.
Já agora: que diz a isto a Comissão Sindical?
P. S. – O Dr. Leonardo Carvalho, director financeiro da Câmara do Seixal, anda de candeias às avessas com a justiça.
Depois do processo judicial posto pela Câmara de Sesimbra, agora foi a visita da Judiciária por mor da sua gestão como presidente do Seixal Futebol Clube. Mas neste caso será bom acrescentar que o Dr. Leonardo apenas acedeu ao “pedido” do P.C.P., de que é militante, para ir controlar as centenas de milhares de contos, conforme palavras do seu substituto à frente da colectividade a este mesmo jornal há quase dois anos, que a Câmara do Seixal meteu no clube.
Afinal… parece que a tarefa ficou incompleta."

ANTÓNIO MARQUÊS

4 comentários:

Anónimo disse...

Um dia vieram e levaram o meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.

No dia seguinte, vieram e levaram
Meu outro vizinho que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei.

No quarto dia, vieram e levaram-me;
Já não havia mais ninguém para reclamar...

MARTIN NIEMOLLER (1933)

Anónimo disse...

O Dr. Leonardo Carvalho militante do PCP !!! Foi a melhor anedota do ano! Será que ele já deu comissão ao Partido daquilo que amealhou no Seixal F. Clube ??? Ou terà ele ficado só com a comissão? A corrupção é muito dificil de concretizar nos tribunais porque o corrompido também teve as suas vantagens e não vai denunciar o corrupto. Pode ser que os empreiteiros que alinharam no esquema, quando a côr mudar na Camara possam viar a abrir a boca, o mais que não seja anónimamente.
A nossa Judiciária não vai ter dificuldades em apurar onde foi esse Senhor arranjar 150 mil contos para emprestar ao Seixal FC. Só se não quiser, mas nós acreditamos que sim.

Anónimo disse...

Obrigado ao Sr. Engº António Marquês pela sua disponibilidade e empenho na defesa da liberdade, da democracia, da liberdade de expressão. Apesar das agressões de que tem sido alvo por parte do PCP continua com muita dignidade na defesa dos interesses da população, da liberdade, do seixal. Obrigado António Marquês.
Peço desculpa pelo anónimo mas na Camara do seixal e no PCP não pode ser de outra forma. Cumprimentos.

Anónimo disse...

Lamento que a nossa Camara, que também já foi sua, se encontre entregue aos bichos. no entanto os socialistas que defende não são melhores que os comunistas. sinto-me enganado, no sentido em que votei nas autarquicas pelo PS para ver se isto mudava um pouco, mas cheguei á conclusão que ainda são piores do que o PCP. lamento o rumo que a nossa politica está a levar. talvez precisemos de sangue novo na politica.

Google