AUTORIDADE – VERDADE – LEGITIMIDADE

A Secção do Partido Socialista de Corroios, congratula-se pelo facto da Freguesia poder contar agora com um policiamento comunitário de proximidade, aspiração há muito sentida pela população.
Uma vez mais, foi um Governo do Partido Socialista que fez o que era necessário e desejável, com os meios e condições disponíveis, fazendo-nos quase crer que não existem obstáculos ou impossíveis.
Porém, temos assistido nos últimos dias, a varias manifestações públicas relacionadas com a transição entre a GNR e a PSP na Freguesia de Corroios.
Enfim, Corroios é importante, é falada, mas pelos piores motivos.
Com tantas transições Corroios tem tido o papel principal nas contestações às transferências, à forma como foi feita, ao Governo por a ter feito, e é de tal forma que na romaria já se incorporaram os Sindicatos do sector e o Senhor Presidente da Junta de Corroios, cujo saber e experiência deveriam fazê-lo concluir que mudar, transferir pessoas, serviços e outros, qualquer que eles sejam, são sempre passíveis de criar alguma instabilidade, algumas dificuldades e nem tudo, ás vezes nada, está como seria necessário e desejável, na hora, no dia, nem no tempo útil considerado normal.
Que os Senhores polícias, não estão bem instalados, é um facto, mas a população não entende, porque não é entendível quais os motivos porque a GNR foi para a Esquadra da Policia na Costa da Caparica e a PSP não está na moradia onde funcionava a força da GNR em Miratejo. Essa não utilização é da responsabilidade, assumida do Comando Distrital de Setúbal, e não pode nem deve ser utilizada para chicana partidária e muito menos por quem não sabe o significado da palavra fazer.
Se a loja que está a funcionar como posto ou esquadra é provisória, então, provisoriamente ficariam melhor e mais comodamente instalados em Miratejo, por muito mau que seja o estado de conservação daquele posto, que durante muitos anos serviu para a GNR desempenhar, melhor ou pior, a sua função.
Provavelmente os responsáveis pela não aceitação do Posto de Miratejo, tiveram as suas razões na opção tomada e nem consideram existir prejuízos para o desempenho da função dos agentes no terreno, cuja contestação, está a ser politica e partidariamente utilizado ainda que, devessem ser mais contidos pois no exercício de funções não podem nem devem manifestar a sua orientação partidária.
A PSP tem um Comando Distrital ao qual compete em primeira instância dar orientação e prestar informação sobre o assunto e assumir a sua responsabilidade, fê-lo em tempo útil e publicamente através do seu site.
Na mesma linha mas merecendo menos relevância foi o ocorrido na cerimonia oficial, com farda de gala, na Costa da Caparica, cerca de duas horas antes era grande a azafama onde algumas paredes da Esquadra ainda não estavam pintadas e outras ainda estavam húmidas. Encostar ás paredes era proibido ou, a menos que a tinta fosse de secagem rápida.
Entre outros, os legítimos representantes dos Senhores Guardas, deveriam informar-se sobre o assunto e depois então, se não for considerada insubordinação, saírem para o exterior responsabilizando e exigindo dos responsáveis aquilo a que têm direito e que, estamos convictos, toda a população de Corroios deseja que tenham, no mínimo, boas instalações.
Já agora seria deselegante não referir que as pessoas, os transeuntes, a população diz que em Corroios está a PSP, mesmo mal instalada, ela existe, ela mostra-se e deixa-se ver.
Nem sempre foi assim no passado.
Relativamente ao Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Corroios, a sua postura não nos causa estranheza, mas sim alguma preocupação pela seu bem estar e saúde, o esquecimento pode levar a amnésia e esta pode ser irreversível, é que os queixumes dos Senhores Polícias, a sua efectiva má acomodação é fruto de mudança, de uma transformação e, ela só existe quando se faz, quando se melhora, quando se inova, vocábulos de que a Junta desconhece o significado.
Para não nos alongarmos mais e não sermos muito exaustivos, relembramos o Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Corroios que as queixas da PSP não são de todo diferentes das reclamações dos comerciantes do Mercado de Miratejo num passado recente, mesmo com obras feitas por terceiros, a forma “bem sucedida” mas ainda inacabada como decorreram as suas reinstalação, nem tem paralelo com as instalações, sem condições, onde decorrem as Assembleias de Freguesia, onde os eleitos parecem estar numa plateia sem coxia sentados ao colo uns dos outros, salvo seja é claro, o mesmo sucedendo com o espaço publico, onde a população quase não tem espaço para estar, para saberem quem melhor a representa, isto para só falar-mos do que nos ocorre de momento. De facto é muito pouco, mas não há mais, porque obras muitas, mas novas, poucas ou nenhumas.
O Senhor Presidente como responsável máximo de uma Freguesia como Corroios tem de ser uma pessoa bem informada e Vexa esqueceu-se ou pretende que nos esqueçamos das vossas falhas, poucas é certo, para quem não modifica, não transforma, nem inova, não edifica, são muitas as lacunas.
A propaganda politica tem que ser autêntica. A política faz-se, também, com verdade.

Corroios, 8/2/2008
Comunicado do Secretariado da Secção de Corroios do Partido Socialista

1 comentário:

Anónimo disse...

Esta é hilariante...

"...a sua efectiva má acomodação é fruto de mudança, de uma transformação e, ela só existe quando se faz, quando se melhora, quando se inova, vocábulos de que a Junta desconhece o significado"

é hilariante porque se não fosse o Sr. Presidente da JFC os policias, cerca de 60, andavam agora á procura de um canto do posto móvel para urinar...

Google