MAIS UM ERRO NO PROGRAMA DE GESTÃO INFORMÁTICA?

Tive oportunidade de denunciar em Julho do ano transacto que o Município do Seixal quando iniciou a aplicação da famigerada taxa de efluentes aos munícipes tinha sido “cego” e cobrou-a a todos os munícipes; mesmo àqueles que ainda não eram servidos da rede de saneamento, vulgarmente designada na factura da água, por “Infra-Estruturas Urbanísticas”. Veio o Senhor Presidente da Câmara justificar o sucedido com um erro informático gerado no software de gestão da facturação.
E agora, Senhor Presidente, o que se está a passar?
Temos conhecimento de que, pelo menos em Fernão Ferro, alguns munícipes, que continuam a não ser servidos pela rede de saneamento, foram este mês contemplados na sua factura com a exigência do pagamento de mais duas taxas; a Taxa de Manutenção de Infra-Estruturas Urbanísticas e a Taxa de Tratamento de Efluentes.
Será que agora o sistema informático de facturação da Câmara do Seixal foi invadido por uma virose ou será que o município resolveu auto financiar-se junto destes munícipes para poder pagar os custos de colocação da rede junto das suas residências?
Qual vai ser agora a desculpa, senhor Presidente?
Vai dizer à comunicação social que o sistema informático gerou um duplo erro, obrigando ao pagamento, não de uma, mas de duas taxas?
Coitados dos computadores, tão inteligentes que são, mas não podem vir para a imprensa fazer desmentidos e defender a sua honra.
Vá lá Senhor Presidente, cumpra as promessas… execute as obras, mas não tente colocar o carro à frente dos bois; primeiro faça e receba depois.
É esta a gestão que temos, é tempo da população do Seixal mostrar aos comunistas que o Seixal não quer continuar anestesiado por uns concertos anuais na Quinta da Atalaia ou por um fogo de artifício lançado na noite de 25 de Abril de cada ano.

Acorda Seixal

Fonseca Gil, Presidente da Comissão Politica Concelhia do Partido Socialista do Seixal.

2 comentários:

Gramsci disse...

Comentário feito no blog a-sul
https://www.blogger.com/comment.g?blogID=6809379&postID=6419452876217433656

"Tive oportunidade de ver o vosso artigo sobre a "Quinta da Trindade"
Gostaria de saber, se e o quê, o que a Quercus fez sobre este atentado ambiental.
pois como é sabido a Quercus prometeu denunciar as ambiguas relações entres os autárcas e os construtores.
De facto o desastre já está feito.
Será que a Quercus actua só das Lezirias para cima?
estas coisa têm que chegar ao conhecimento dos munícipes, pois se a justiça não serve de nada que sejam os votantes a decidir que tipo de autárcas querem."

Mail eviado para a Quercus

"http://a-sul.blogspot.com/search?q=centro+de+est%C3%A1gio

Ouvi o vosso comunicado de alerta sobre autarquias e construtores.
Não sei o que irão dizer mais ou já disseram.
Mas de qualquer maneira gostaria de denunciar o abate ilegal de sobreiros e outras
árvores centenárias na ex. Quinta da Trindade no seixal. E o desaparecimento de espécies
animais que ali habitavam, tais como raposas, aves migratórias e outras que ali residiam
e procriavam o ano inteiro.
Penso que já será tarde, mas se estas denúncias vierem a público e alguém for
responsabilizado por estas e outras atrocidades ambientais. Estaremos a construir um
mundo melhor (não querendo, é claro, estar a dar-vos lições de moral ou a ensinar-vos a
fazer o vosso trabalho. que não deve ser pouco)."

Velas do Tejo disse...

Eu não entendo... esta malta anda por aí a ganhar prémios do "Digital não sei das quantas" e depois não há nada que se veja, nada que funcione, nada que facilite a vida dos municipes, a vida dos funcionários que têmd e dar resposta às solicitações dos munícipes.

Continuamos a assistir a gestão virtual mas... ao que parece, com muitos bug's! É caso para se dizer: Necessitamos urgentemente de um service pack na autarquia!

Google