Dia Internacional contra o Fascismo, Anti-Semitismo e Comunismo

Comemora-se hoje, 9 de Novembro, o Dia Internacional contra o Fascismo e o Anti-Semitismo, dia comemorativo instituído pelo Parlamento Europeu, no âmbito da luta contra o racismo e a xenofobia na União Europeia. A data foi escolhida porque em 9 de novembro de 1938, portanto antes ainda do início da guerra, sinagogas foram incendiadas, lojas de judeus, assaltadas e saqueadas em toda a Alemanha, este episódio ficou conhecido como a Noite dos Cristais.
Durante o holocausto estima-se que vieram a morrer mais de 6 milhões de pessoas.
Curiosamente cinquenta e um anos depois, também na Alemanha, caíu o muro de Berlim, marco emblemático na queda dos regimes comunistas do leste europeu, foi em 9 de Novembro de 1989. Por esta infeliz coincidência sugiro que o dia 9 de Novembro passe a ser comemorado como o Dia Internacional contra o Fascismo, o Anti-Semitismo e o Comunismo, pois ao passo que o regime Nazi fez 6 milhões de vitimas, estima-se que os regimes comunistas tenham feito 100 milhões de vitimas, conforme discriminado no quadro abaixo.
Cabe aqui recordar que também a Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa aprovou, em 25 de Janeiro de 2006, uma resolução de condenação dos crimes praticados em nome da ideologia comunista.

Estimativa do número de vítimas causadas pelos regimes comunistas:

País, Anos, Vítimas em milhares

República Democrática do Afeganistão 1978-1987 - 228
República Popular Socialista da Albânia 1944-1987 - 100
República Popular de Angola 1975-1987 - 125
República Popular da Bulgária 1944-1987 - 222
Camboja Democrático (Khmer Vermelho) 1975-1979 - 2.035
República Popular do Camboja 1979-1987 - 230
República Popular da China 1949-1987 - 61.911
República de Cuba 1959-1987 - 73
República Socialista Checoslovaca 1948-1987 - 65
República Democrática Popular da Etiópia 1974-1987 - 725 República Democrática Alemã 1948-1987 - 70
Governo Revolucionário Popular de Granada 1983 - 0,1
República Popular da Hungria 1948-1987 - 27
República Democrática Popular da Coreia 1948-1987 - 1.663 República Democrática Popular Laos 1975-1987 - 56
República Popular da Mongólia 1926-1987 - 100
República Popular de Moçambique 1975-1987 - 198 ~
República da Nicarágua 1979-1987 - 5
República Popular da Polónia 1948-1987 - 22
República Socialista da Roménia 1948-1987 - 435
União Soviética 1917-1987 - 35.236
República Socialista do Vietname 1945-1987 - 1.670
República Democrática Popular do Iémen 1967-1987 - 1
República Socialista Federal da Jugoslávia 1944-1987 - 1.073
Subtotal 1917-1987 - 106.267
Guerrilha comunista 1944-1987 - 4.019
Total 1917-1987 - 110.286

Dedico este post, tal como se encontra inscrito no memorial às vitimas do comunismo em Washington, "aos mais de cem milhões de vítimas do comunismo e para os que amam a liberdade."

4 comentários:

aldeia pp disse...

O Partido Comunista Português e os seus militantes orgulham-se do seu passado histórico de luta e resistência contra a ditadura fascista, deram a vida, sofreram torturas, décadas de prisão e clandestinidade, em nome de da liberdade, liberdade essa que hoje permite ao senhor vereador socialista (eu sei que é só a fingir), Samuel Cruz aproveitar o dia contra o fascismo para em vez de condenar os fascistas e a sua ideologia, condenar todos os comunistas, vindo de quem vem não admira, provavelmente no tempo da outra senhora também estaria contra os comunistas portugueses. Ao contrário do senhor vereador socialista (só a fingir) eu não condeno os socialistas portugueses ou franceses pelos milhares de mortos nas guerras coloniais da Argélia ou Indochina, como sabe com grande responsabilidade do PS Francês na altura, mas também não deixa de ser curioso que ainda no último congresso do PS Português tenham sido convidados membros do PC Chinês.

Filipe de Arede Nunes disse...

Exmo. Sr. Vereador,
Bem, em primeiro lugar uma correcção. O regime Nazi foi certamente responsável por muito mais de 6 milhões de mortes. Estes 6 milhões serão apenas os dados referentes aos judeus.
Em segundo lugar, saudar a frontalidade relativamente ao conteudo principal do post. Os números negros do comunismo - que ainda não pararam de aumentar - deveriam envergonhar a humanidade.
Triste é que haja ainda quem feche os olhos aos factos, como sempre o fizeram na sua história. No caso em concreto, o PC Português!
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

Uma sugestão: era bom divulgar também no seu blogue, em numeros apróximados, as vitimas que a igreja católica e outras religiões fizeram ao longo da história para percebermos melhor quem tem moral para atirar pedras....
Não se pode reescrever a história omitindo factos importantes como, por exemplo, as cruzadas e a inquisição, já para não mencionar muitos outros.......
Pode ser a minha verdade mas acho que esta é pertinente!!!!!

Samuel Cruz disse...

Caro anónimo,

Não sou comunista nem católico e, no geral, sou avesso a todos os extremismos.
Apesar disso não me sinto com moral para atirar a primeira pedra.

Google