Novo Tratado europeu associa Portugal a momento histórico

Os chefes de Estado e de Governo dos 27 países-membros da União Europeia (UE) chegaram a um acordo histórico, sob os auspícios da presidência portuguesa, para a assinatura daquele que ficará conhecido como o Tratado de Lisboa e que será formalmente assinado a 13 de Dezembro deste ano, na cidade que lhe dará nome. O anúncio foi feito na madrugada do dia 19 de Outubro pelo presidente em exercício da UE, José Sócrates, para quem “a Europa está agora preparada para responder aos desafios da globalização”.
“Nasceu hoje o novo Tratado de Lisboa. É uma vitória para a Europa, que sai assim de um impasse de muitos anos e supera a sua crise institucional”, declarou José Sócrates, logo após a obtenção do acordo na Cimeira europeia de Lisboa.
Para Sócrates, com este decisivo passo enfrente, “a Europa demonstrou ambição” e quer agora passar a “liderar o debate sobre a globalização”, participando no “redesenhar das instituições mundiais, para que estas possam responder melhor aos desafios globais”.
Sócrates disse igualmente que a UE quer lançar uma agenda que incida sobre a inovação, a educação e as questões ambientais e climáticas, adiantando que na Cimeira europeia de 13 e 14 de Dezembro, em Bruxelas, será tomada uma decisão sobre a criação de um grupo de sábios para analisar os desafios da Europa no contexto da globalização e será aprovada uma declaração da UE sobre este tema.
Visivelmente satisfeito, o primeiro-ministro salientou ainda que “a presidência portuguesa cumpriu o seu plano: discutir e aprovar o Tratado e começar a discutir os assuntos importantes para o futuro da UE”.
Por sua vez, e face ao histórico acontecimento, o PS, através do seu porta-vos, Vitalino Canas, congratulou-se publicamente “por ter sido ultrapassado o impasse” que existia na elaboração de um novo Tratado da União.
Segundo Vitalino Canas, para os socialistas constitui motivo de muita satisfação que o acordo sobre o texto final do novo Tratado tenha sido possível no âmbito da presidência portuguesa, que termina a 31 de Dezembro.
“Os socialistas louvaram o acordo alcançado em Lisboa, regozijando-se por Portugal ficar associado a mais um momento importante na construção europeia”, sublinhou o porta-voz do PS, para de seguida sublinhar que o novo Tratado constitui um “passo importante para que a Europa consiga criar condições para a existência de mais democracia, maior transparência, maior afirmação externa e maior capacidade de funcionamento interno”.

Fonte: Site PS

1 comentário:

JOSE JOAO SA disse...

Calem-se...Oh vozes ocas.... chiuuuuu....Chocam-me as vozes que abrem a boca e não sai nada..... Chiuuuu...... Vozes ocas, cheias de "cultura" e "com licenciaturas" que debitam ideias pré-fabricadas.....Chiuuuuu..... Que triste deve ser não ter voz própria....debitar informação....por vezes sem nexo e parva.....Chiuuuuuu...... Calem-se Oh vozes que fazem parte de um grupo de mentes pobres... sim pobres! Da alma..... pouco sabem....da realidade da vida.... muito menos..... Chiuuuuuu..... que me incomodam! Chiuuuuu.... Oh que sorte tenho... por ter termo de comparação, pois assim...sem nada....eu nunca quero ser.... Chiuuuu....Incomoda-me o ruído.... as fotocópias de diálogo.... o abrir a boca só por abrir.... a incapacidade de "digerir"..... de pensar! Que sociedade esta..... deviamos ser capazes de nos insurgir contra a maioria que pode e manda....mas que afinal..... não sabe pensar! Eu penso! Logo existo!
Acordo em Lisboa, cidade adormecida...Chiuuu não acordem o Povo dizem os ilustres estrategas "canhotos" ou dextros que vão dilacerando um País.

Google