Um novo conceito de gestão dos cuidados de saúde primários


Na tentativa de encontrar uma melhor solução para o problema da Saúde no Concelho do Seixal, urge, antes de mais, comparar os dados disponibilizados, quer por parte do Ministério da Saúde, quer os apresentados pela CM Seixal. É minha convicção que ambos têm de coincidir, caso contrário este assunto transforma-se numa manta de retalhos em que cada um puxa para seu lado e quem sofre as consequências é o cidadão.
O encerramento dos SAP do Seixal e de Corroios, no período horário das 20 às 24 horas, assenta numa política de alteração de funcionamento da prestação de cuidados de saúde primários, de que é a face mais visivel a criação das USF (Unidades de Saúde Familiares). Com este modelo os Centros de Saúde passaram a estar dotados de meios humanos capazes de responder às necessidades imediatas da população. Sem esperas, as USF permitem ao utente chegar às instalações e ser atendido pelo médico disponível no momento, sem a necessidade de ter de aguardar pela disponibilidade do seu médico de família. Acresce que este modelo permite ainda uma maior cobertura da rede de médicos de família, cada médico aderente aceita receber na sua lista cerca de mais 500 utentes. Esta alteração já permitiu, por exemplo, que na Freguesia do Seixal TODOS os utentes tenham médico de família à sua disposição.
Recorde-se que os Centros de Saúde/SAP's oferecem serviços médicos de cuidados primários, logo, não substituêm a Urgência Hospitalar aquando da necessidade de intervenções urgentes e de emergência. Na realidade os Centros de Saúde não estão preparados, quer do ponto de vista do equipamento, quer do ponto de vista humano para fazer face a situações consideradas emergentes (em que existe risco de vida se não existir intervenção médica no prazo de uma hora).
O funcionamento dos SAP era constante das 08h às 24h. Nos Centros de Saúde das áreas de residência, com a entrada em funcionamento das USF, o horário de funcionamento estende-se das 08h às 20h. A diferença está, portanto, nessas quatro horas sem qualquer serviço de atendimento imediato. Acontece que, os SAP não estão destinados a atender situações muito graves, para essas o recurso apropriado é a ida a um Hospital, como já se disse.
Logo, a lógica diz-nos que ou o caso é grave e o doente deve dirigir-se ao hospital, ou não é, e nesse caso pode esperar pelo dia seguinte. Contudo, os doentes, compreensivelmente não gostarão de ouvir esta ideia, princiupalmente os de maior idade, o que eu, sinceramente, compreendo. No entanto, as regras de uma sociedade evoluida, e da boa gestão da coisa pública, parecem querer impor-nos tal método de acção.

Olhando à perspectiva do ministro, não nos esqueçamos que foi ele quem se decidiu pela construção do Hospital no Seixal. É justo pois dizer que este Ministro decide bem e conhece bem a realidade do concelho do Seixal. Não nos esqueçamos que a decisão política de construir o hospital do Seixal, tomada pelo ministro Correia de Campos, contrariou os estudos técnicos realizados pelos Peritos da Universidade do Porto.
Que se diga que o Garcia da Orta tem os seus serviços saturados, é um facto, mas os SAP não são a sua alternativa directa, essa será, isso sim, quando o Hospital do Seixal, prometido por este ministro for avante.
No imediato, as Unidades de Saúde Familiares, criadas com o intuito de reorganizar o serviço prestado nos Centros de Saúde são a melhor forma de prestar os chamados cuidados de saúde primários.
Algumas das Unidades de Saúde Familiar já estão em funcionamento, fazendo parte do novo modelo de gestão dos cuidados de saúde primários, aprovado pelo Governo, sistema que promete resolver, gradualmente, o problema da falta de médicos de família no nosso país.
Aproximadamente um milhão de portugueses não tem médico de família. Com o objectivo de tentar solucionar esta situação e melhorar a acessibilidade dos cidadãos aos cuidados de saúde primários, o Governo lançou o projecto das Unidade de Saúde Familiares.
Estas serão pequenas unidades operacionais de saúde familiar, constituídas por equipas multiprofissionais, a funcionar dentro dos Centros de Saúde, com autonomia de gestão técnica e funcional, trabalhando em rede e próximo dos cidadãos.
A gestão dos Centros de Saúde de vários concelhos passa assim, com este sistema, a ser conjunta, permitindo aos utentes usufruir de especialidades como Pediatria e Ginecologia, até aqui quase inexistentes na maioria destas unidades.
Estas novas estruturas pretendem melhorar a acessibilidade dos doentes, garantindo maior disponibilidade médica e de acompanhamento dos doentes inscritos. No último ano cerca de 750 mil portugueses foram abrangidos por este novo sistema, sendo que cerca de 90 mil portugueses passaram a ter médico de família, desde o ano passado.
Vamos pois, aguardar, com toda a tranquilidade, a decisão do Sr. Ministro da Saúde, sobre esta matéria, no que ao Seixal diz respeito, com a certeza que a decisão final será sábia e aquela que melhor servirá os interesses de todos os Seixalenses.

9 comentários:

luis disse...

Caro Samuel so as mas linguas do costume e que depois desta tua explicacao vao continuar a fazer que nao entendem o que o ministro pretende.No entanto este meu comentario vai mais noutro sentido.Ainda nao percebi porque porque perdes tanto tempo a responder ao Filipe ao Ponto Verde ao Anonimo e nao te centras naquilo que realmente e a nossa luta.Tu sabes que eu sei que tu sabes fazer muito mais neste blog para que as pessoas compreendao por quem estamos a ser governados neste concelho.Vamos la nao te coibas e denuncia o que realmente e necessario.2009 e ja ali e nos nao podemos tolerar esta gente mais quatro anos.

Anónimo disse...

força samu!

Paulo Silva disse...

Muito haveria a responder a este post. Com efeito as grosserias são tantas... que o dificil era por onde começar! A unica coisa que se safa é a gaja ser boa! Mas o meu camarada "Aldeia" deu uma resposta cinco estrelas que colocou no Seixal Sim, e para a qual remeto.
E como diz

Anónimo disse...

A resposta n�o est� no Seixal Sim mas sim em http://aldeia-paiopires.blogspot.com/

Filipe de Arede Nunes disse...

Caríssimo Sr. Vereador.
Um pequenissimo comentário. Vamos ficar todos à espera de saber quando vai ser construído o tão famoso hospital do Seixal! É que tenho a ideia que vamos andar aqui alguns anos sem que se veja sequer a miragem.
Quanto às suas afirmações, destaco uma ideia: "Acontece que, os SAP não estão destinados a atender situações muito graves, para essas o recurso apropriado é a ida a um Hospital, como já se disse.
Logo, a lógica diz-nos que ou o caso é grave e o doente deve dirigir-se ao hospital, ou não é, e nesse caso pode esperar pelo dia seguinte. Contudo, os doentes, compreensivelmente não gostarão de ouvir esta ideia, princiupalmente os de maior idade, o que eu, sinceramente, compreendo. No entanto, as regras de uma sociedade evoluida, e da boa gestão da coisa pública, parecem querer impor-nos tal método de acção." Então Sr. Vereador, se eu me estiver a sentir doente - a título exemplificativo, engripado ou com fortes enxaquecas devo aguardar pelo dia seguinte para consultar um médico? Ou então dirigir-me a um hospital onde de facto existem casos muitissimo mais graves e onde provavelmente passerei o resto da noite?
Pelo menos o Sr. Vereador é honesto e diz o que pensa. De outras vertentes partidárias esperamos e desesperamos por respostas e por acções. Isto para me referir expressamente à questão das águas residuais não tratadas no Seixal. Ah! Nesta temática do Sr. Vereador não lemos uma palavra. Será que desconhece o assunto? Não acha relevante? Ou prefere olhar para o lado?
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

Este post s� demonstra a swmagogia barata e sem conteudo dos elementos que est�o � frente do PS Seixal, e a resposta adequada est� neste post no aldeia de paio pires, que com a devida v�nia passo a trancrever:
Quarta-feira, Setembro 19, 2007
"Um velho conceito quem tem dinheiro safa-se, quem n�o tem lixa-se

�Acresce que este modelo permite ainda uma maior cobertura da rede de m�dicos de fam�lia, cada m�dico aderente aceita receber na sua lista cerca de mais 500 utentes. �

N�o sei bem que dados estar�o por detr�s destes n�meros, pois segundo o que est� no site do minist�rio da sa�de na melhor das hip�teses cada m�dico conseguir� atender mais 215 utentes, ao que parece assim do nada conseguiu-se inventar mais 285 utentes, o melhor � coincidirem nos n�meros.

�Esta altera�o j� permitiu, por exemplo, que na Freguesia do Seixal TODOS os utentes tenham m�dico de fam�lia � sua disposi�o.�

Simplesmente extraordin�rio os mais de 2500 habitantes da freguesia do Seixal j� t�m medico de fam�lia, infelizmente as �muit�ssimas gr�vidas desta jovem e populosa freguesia� n�o t�m entrada no Garcia de Orta em Almada, as s�bias decis�es vindas do minist�rio assim o determinam, mas se todos os habitantes da freguesia do Seixal t�m m�dico de fam�lia, o mesmo j� n�o podemos dizer dos restantes cerca de 165000 habitantes do Concelho, pois desses cerca de 50000 n�o t�m medico de fam�lia, mas v� l� na freguesia do Seixal j� todos t�m.

�Acontece que, os SAP n�o est�o destinados a atender situa�es muito graves, para essas o recurso apropriado � a ida a um Hospital, como j� se disse.
Logo, a l�gica diz-nos que ou o caso � grave e o doente deve dirigir-se ao hospital, ou n�o � e nesse caso pode esperar pelo dia seguinte.� Contudo, os doentes, compreensivelmente n�o gostar�o de ouvir esta ideia, princiupalmente os de maior idade, o que eu, sinceramente, compreendo. "

Pois � n�o gostam os mais idosos, n�o gostam os mais novos e nem os de meia-idade, sen�o vejamos, as crian�as e as suas malfadas viroses, otites, gripes e todas essas coisas que normalmente aparecem com muita frequ�ncia nessa idade, seguindo o s�bio conselho os pais aguardar�o pacientemente em casa, enquanto as crian�as v�o penando heroicamente em casa, porque n�o podem ir para o hospital por uma simples gripe e porque n�o necessitam de um SAP pois os novos tempos de esquerda dizem-nos que isso s�o luxos aos quais n�o temos direito, provavelmente tamb�m n�o gostar� o trabalhador portugu�s, bem sei que para a esquerda moderna s�o todos uns malandros, mas que sabemos bem, estar longe da verdade e que n�o s�o poucos os que tendo um problema, durante o dia, ou os seus filhos tenham tido uma malfada gripe esperam que termine a jornada de trabalho e s� nessa altura se deslocam ao SAP, pois at� s�o prec�rios e n�o se podem dar ao luxo de faltar por estarem doentes, � que as pessoas s�o mais do que n�meros, mesmo nas sociedades evolu�das, existem outros problemas que temos que perceber e considerar, falamos de pessoas e n�o de coisas.

�Olhando � perspectiva do ministro, n�o nos esque�amos que foi ele quem se decidiu pela constru�o do Hospital no Seixal. � justo pois dizer que este Ministro decide bem e conhece bem a realidade do concelho do Seixal.�

O Hospital no Concelho do Seixal ser� justo dizer que foi uma luta ganha pelas popula�es da Almada, Seixal e Sesimbra n�o fosse o grande movimento que uniu popula�o, comiss�es de utentes e autarcas do tr�s concelhos neste momento, provavelmente haveria alguns a justificar a n�o constru�o de um Hospital no Concelho do Seixal e n�o foi uma luta f�cil e que atravessou diversos ministros foram abaixo assinados com dezenas de milhares de assinaturas, foi uma participa�o na �discuss�o publica condicionada�, sem precedentes e um enorme cord�o humano com mais dez mil pessoas que demonstrou ao ministro que a raz�o estava do lado das popula�es de Almada, Seixal e Sesimbra.

�Vamos pois, aguardar, com toda a tranquilidade, a decis�o do Sr. Ministro da Sa�de, sobre esta mat�ria, no que ao Seixal diz respeito, com a certeza que a decis�o final ser� s�bia e aquela que melhor servir� os interesses de todos os Seixalenses.�

Dito assim nada mais haveria a acrescentar se o ministro decidir o enceramento dos SAP � de s�bio se decidir a manuten�o dos SAP � de s�bio tamb�m, enquanto o s�bio decide a popula�o do concelho do Seixal tem que se dirigir ao SAP concelhio da Amora, uma das freguesias do pa�s com mais utentes sem medico de fam�lia (25 000), que os utentes da Aldeia de Paio Pires, Arrentela, Corroios, Fern�o Ferro e Seixal, ter�o dificuldades acrescidas de mobilidade e ver�o as suas despesas aumentar devido a esta s�bia decis�o, mas tudo em nome da coisa, uma vez confrontados com o inevit�vel congestionamento do SAP da Amora, os utentes da Aldeia de Paio Pires, Amora, Arrentela, Corroios, Fern�o Ferro e Seixal ter�o que ir para as ca�ticas urg�ncias do Garcia de Orta porque quem se dirige a um SAP certamente que n�o volta para casa e ter� que se dirigir a outro local, infelizmente o s�bio conselho de esperar pelo dia seguinte s� pega para quem n�o recorre aos servi�os p�blicos de sa�de e pode ir ao privado, ou para aqueles que querem transformar o Servi�o Nacional de Sa�de, numa coisa ou coisinha publica insignificante.

Nem tudo foi mau no post, a gaja pelo menos era boa, j� a deste post deixa muito a desejar mas ouvi dizer que � s�bia."

CresceNet disse...

Oi, achei seu blog pelo google está bem interessante gostei desse post. Gostaria de falar sobre o CresceNet. O CresceNet é um provedor de internet discada que remunera seus usuários pelo tempo conectado. Exatamente isso que você leu, estão pagando para você conectar. O provedor paga 20 centavos por hora de conexão discada com ligação local para mais de 2100 cidades do Brasil. O CresceNet tem um acelerador de conexão, que deixa sua conexão até 10 vezes mais rápida. Quem utiliza banda larga pode lucrar também, basta se cadastrar no CresceNet e quando for dormir conectar por discada, é possível pagar a ADSL só com o dinheiro da discada. Nos horários de minuto único o gasto com telefone é mínimo e a remuneração do CresceNet generosa. Se você quiser linkar o Cresce.Net(www.provedorcrescenet.com) no seu blog eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. (If he will be possible add the CresceNet(www.provedorcrescenet.com) in your blogroll I thankful, bye friend).

Anónimo disse...

Só o seguidismo militante pode levar alguem a defender estas medidas do governo, por estas e por outras é que este não é o meu PS, o meu partido socialista era de esquerda, este faz o Cavaco parecer um homem de centro esquerda, infelizmente o desejo do poder transforma as pessoas eu prefiro continuar a ser aquilo que sempre fui, um homem de esquerda, um marxista sem partido, mas que continua a exercer o seu legitimo direito de voto, só que em partidos de esquerda.

Samuel Cruz disse...

Caro anóninmo,

Vejo que é um homem com A grande, ou seja, Anónimo! De fortes convicções e ideias, de facto só é pena não ter os mesmos princípios para assinar aquilo que escreve.
Quanto ao mais devo-lhe dizer que se eu considerasse o PS um Partido Marxista não estava aqui a fazer nada. Vivemos no Sec. XXI, não sei se já se deu conta. Aliás, se quer que lhe diga, o PS de Socialista só tem a marca, herdada de um contexto pós-revolucionário algo conturbado. O PS é na realidade um partido social-democrata, assim como o PSD é um partido liberal.

Google