Uma SRU para o casco histórico do Seixal

Andando um pouco pela zona histórica do Seixal deparamo-nos com o estado degradado de vários edifícios. Repara-se, sobretudo, que além de não haver um olhar atento que pense na melhoria de toda a vertente urbana da área, não há motivação.
Olhando para o que se vai fazendo um pouco por todo o país, está na altura de utilizar os mecanismos, nomeadamente legais, postos à nossa disposição em matéria de recuperação e regeneração urbana, assim, penso que seria de extremo interesse a criação de uma SRU (Sociedade de Reabilitação Urbana), para esta zona, e partindo daí, porque não, alargar a experiência a todos os núcleos antigos do concelho.
Nesse sentido, torna-se premente uma intervenção urbano-paisagística, criando para o efeito uma SRU que trate do casco histórico seixalense. Para tal há que mentalizar as entidades concelhias, bem como alguns privados, para que se possam angariar capitais públicos e privados, no sentido de criar uma entidade deste tipo que fique encarregue de recuperar esta zona específica.
A referida zona do Seixal vive um pouco à sombra da movimentação que os vários departamentos da Câmara Municipal originam durante a semana. Quem por lá passe durante o fim-de-semana pode observar a diferença quase desértica que encontra na zona. Há uma falta gritante de elementos cativadores para que as pessoas se sintam bem por ali.
Quando a Câmara Municipal mudar as suas instalações para o edifício novo - levando todos os departamentos para um mesmo edifício -, a zona histórica do Seixal vai notar a diferença, sendo os comerciantes aqueles que mais irão sofrer.
O principal problema de uma intervenção desta envergadura encontrar-se-á, possivelmente, nas expropriações necessárias a esta acção, contudo essa é uma vantagem de se optar por uma SRU, pois podem juridicamente ser expropriados aqueles que se mostrem contrários à beneficiação.
A Junta de Freguesia do Seixal, há já algum tempo, fez o levantamento de todas as casas do casco histórico que se encontram ao abandono, é chegada a altura de meter mãos à obra.
Link de interesse: Legislação das SRU.

2 comentários:

hkt disse...

O principal problema é a vontade política que não existe. Sensibilizar as pessoas para a importância de salvaguardar património, que muitas consideram velharias e estorvos ao progresso, e mostrar a duplicidade das autarquias nesta matéria, é uma tarefa que urge e para a qual já não temos muito tempo. Uma parte significativa do património (mesmo do classificado) deste concelho encontra-se à beira da ruína.

Anónimo disse...

Com um Presidente da Câmara que só visita as ruas do Seixal no 25 de Abril e na Abertura da festa de S. Pedro, não há vontade política que resista. Os poucos que moram no Centro Histórico do Seixal estavam habituados a votar CDU, portanto deixem-nos viver nas casas a cair. Qualquer dia são anunciadas as Ruínas Históricas do Seixal como atracção turistica da Costa Azul.
Já agora aproveito para fazer uma pergunta : Onde anda o Presidente da Costa Azul que há tanto não vem visitar o Seixal ??

Google